Ao se planejar para investir na bolsa de valores, é necessário entender como acessar o ambiente de negociação e quais são os principais investimentos disponíveis. Por exemplo, o investidor precisa saber o que são os home brokers e quais investimentos podem ser feitos nessas plataformas.

Elas foram criadas com a modernização da bolsa de valores brasileira, a B3. Antes, era necessário contar com o operador de mercado via mesa de operações. Agora, embora essa possibilidade ainda exista, os investidores podem contar com outro caminho para fazer suas negociações de forma direta e ágil.

Se você quer aprender mais sobre essa possibilidade, continue a leitura para entender o que são os home brokers e confira 4 investimentos que podem ser feitos nessas plataformas.

Acompanhe!

O que é home broker?

O home broker é uma plataforma online que permite acessar o ambiente de negociações da bolsa de valores e fazer as operações desejadas. Ele pode ter acesso por meio da conta em uma instituição financeira, como o banco de investimentos.

Para entender os diferenciais que ele proporciona, vale destacar que as operações em bolsa costumavam ser feitas por telefone, em contato com um operador de mercado ou corretora. Depois, eles comandavam as ordens em um pregão viva voz, já extinto.

Dessa maneira, com o objetivo de popularizar o investimento na bolsa e modernizar o mercado financeiro, os primeiros home brokers foram criados em 1999. Desde então, com a instituição do pregão eletrônico, o acesso à bolsa de valores passou a ser feito pela internet.

Também é importante saber que existem diversos home brokers, já que muitas instituições financeiras oferecem suas próprias plataformas aos seus clientes. Porém, todos contam com os mesmos investimentos da bolsa de valores, já que ele conecta o investidor à B3.

Como funciona?

Agora que você já sabe o que é home broker, é hora de entender como ele funciona. Na prática, é comum que o banco de investimentos informe ao investidor o link de direcionamento para a tela inicial do sistema quando é feito o login na conta.

Além disso, há possibilidade de acessar a plataforma pelo smartphone via aplicativo disponibilizado pela instituição, se for o caso. De todas as formas, por meio dessa plataforma o investidor tem acesso a informações importantes, como:

  • saldo total;
  • ordens abertas;
  • garantias;
  • custódia.

Também é possível visualizar cotações e negociações da bolsa em tempo real, emitir ordens de compra ou de vendas, entre outras. Contudo, embora a ideia do home broker seja facilitar o acesso direto do investidor ao ambiente da bolsa, há quem prefira o suporte nesse momento.

Desse modo, o investidor pode contar com o serviço da mesa de operações do banco de investimentos ou procurar apoio de uma assessoria de investimentos. Porém, lembre-se de que também existem outras alternativas nas plataformas da instituição, como outros fundos e títulos de renda fixa.

4 investimentos que você pode fazer via home brokers

Até o momento, você já entendeu o que são os home brokers e como acessá-los. Então, é a hora de conhecer 4 investimentos que podem ser feitos por meio dessas plataformas.

Veja!

1. Ações

Quando se fala em renda variável, é comum pensar nas ações. No entanto, nem todos sabem o que é exatamente esse investimento. Na verdade, uma ação é a menor parte do capital social de uma empresa.

Assim, ao adquirir uma ação, o investidor se torna acionista e participa dos resultados do negócio. Esse rendimento pode ser obtido de diversas formas, existindo duas principais. A primeira é pela valorização do preço das ações. Ou seja, pela venda acima do preço médio de compra.

A outra é por meio da distribuição de proventos de forma proporcional à participação do acionista. Entre eles, estão os dividendos — que são uma divisão dos lucros obtidos pelo negócio.

2. Fundos de índice (ETFs)

Antes de entender o que são os fundos de índice, ou exchange traded funds (ETFs), é interessante saber o que são os fundos de investimentos. Trata-se de uma modalidade coletiva, que funciona como um condomínio de investidores.

Sendo assim, os investidores adquirem cotas de participação para aproveitar os resultados do fundo. Nesse caso, os recursos são aplicados por um gestor profissional, de acordo com a estratégia definida para o fundo.

Em relação aos fundos de índice, o objetivo é acompanhar os resultados de um indicador de referência. Para isso, ele espelha a carteira teórica desse índice. Por exemplo, um ETF que espelha o Ibovespa, faz aportes nas mesmas ações e na mesma proporção que o indicador

Portanto, a alternativa apresenta gestão passiva, pois não há intenção de superar o benchmark. Vale destacar, ainda, que o índice de referência pode ser nacional ou internacional. Logo é possível ter exposição internacional indireta por meio dos ETFs.

3. Fundos imobiliários

Os fundos imobiliários (FIIS) também são fundos de investimentos. Nesse caso, a maior parte dos aportes é feita em ativos relacionados ao mercado de imóveis.

Dessa maneira, eles se dividem de acordo com a estratégia adotada. Veja:

  • fundo de tijolo: aloca a maioria dos recursos em imóveis físicos. Exemplo: lajes corporativas, empreendimentos residenciais ou comerciais etc.;
  • fundo de papel: prioriza os aportes em títulos financeiros relacionados ao mercado imobiliário, como a letra de crédito imobiliário (LCI) ou certificado de recebíveis imobiliários (CRI);
  • fundo de fundo: investe a maior parte dos recursos em cotas de outros FIIs.

Assim, é importante entender o funcionamento do FII, que pode ter foco em diferentes estratégias. Por exemplo, ganho com aluguéis, na valorização de imóveis, entre outros.

4. BDRs

O brazilian depositary receipt (BDR), ou certificado de depósito de valores mobiliários, é um tipo de investimento relacionado a ativos do exterior. Para que eles sejam disponibilizados, a instituição depositária adquire ativos internacionais, como ações, títulos de dívida e ETFs.

Então, ela emite certificados negociados na bolsa de valores brasileira, com lastro nesses ativos. Portanto, de maneira indireta, o investidor em BDR aporta em investimentos internacionais. Isso permite explorar o potencial do mercado externo, sem sair do Brasil.

Como você viu, os home brokers são plataformas que permitem aos investidores acessar o ambiente de negociação da B3. Assim, eles permitem a realização de aportes em alternativas de renda variável de forma simples e online.

Quer investir, mas não sabe por onde começar? Abra a sua conta no BTG Pactual Digital para ter acesso à plataforma de investimentos e um home broker completo, intuitivo e simples de usar!

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *