*Este artigo foi produzido pelo bxblue com exclusividade para o Blog de Valor.

 

Você precisa de dinheiro extra, mas ao avaliar todas as opções disponíveis no mercado não sabe exatamente a qual recorrer. Então, geralmente opta pelo que já conhece ou está mais fácil. E é aí que mora o perigo!

Se essa cena lhe pareceu familiar, saiba que você não está sozinho. Mais de 90% das pessoas recorrem ao cartão de crédito ou cheque especial quando precisam de crédito ou dinheiro rápido.

Outro medo comum é pagar mais caro por um empréstimo pessoal, por exemplo. Mas você sabia que é possível economizar ao fazer um empréstimo pessoal? Saiba como a seguir!

Como economizar ao fazer um empréstimo pessoal?

Se você está pensando em contratar um novo empréstimo ou tem um ou mais contrato ativos, confira atentamente essas dicas. Você verá na prática como economizar dinheiro.

1 – Avalie as modalidades disponíveis

Hoje em dia existem várias opções de crédito pessoal disponível. Desde as mais comuns como o cartão de crédito ou cheque especial, a antecipação do 13º salário, por exemplo.

As modalidades variam em função dos pré-requisitos, prazos para pagamento, taxas de juros cobradas, formas de cobrança.

Enquanto o empréstimo convencional é cobrado normalmente via boleto bancário, no caso do empréstimo consignado, por exemplo o pagamento é automático, por estar vinculado ao salário ou benefício INSS.

A dica aqui é muito simples: pesquise a melhor opção para o seu bolso. Na dúvida pesquise e busque alternativas para comparar.

2 – Compare o Custo Efetivo Total (CET)

Aqui não há segredo. Se você pesquisa o valor das frutas na feira, porque não irá comparar as taxas de juros cobradas por um banco? Sim, acredite: com esse simples exercício você poderá economizar muito dinheiro. Mas avaliar apenas as taxas de juros não garantirá a melhor oferta de crédito.

As taxas de juros no Brasil variam conforme o risco de inadimplência do tomador de crédito. Assim, quanto maior o risco de não receber, o valor cobrado pelos bancos é mais alto.

Por outro lado, quanto menos risco, menor a taxa de juros – o que pode ser visto como um benefício para quem precisa de dinheiro.

A essa conta final, ou seja, o valor total a ser pago, adiciona-se também outras taxas, encargos, tarifas e, em alguns casos, seguros. A soma total desse valor é conhecido como Custo Efetivo Total (CET), que divido pelo prazo do contrato dá o total da prestação mensal.

Tanto a taxa de juros quanto o CET variam de banco para banco. Portanto, antes de fechar qualquer negócio pesquise e compare todas as propostas, em diferentes bancos.

3 – Pague as parcelas em dia

Quando a parcela de um empréstimo não é paga em dia, você certamente pagará a mais. Imprevistos ou esquecimentos ocorrem, mas é preciso lembrar que existem taxas e juros adicionais que podem ser cobrados após o vencimento do pagamento.

Decorrido muito tempo do pagamento devido, há também o risco de ter o nome protestado ou negativado. Então, sempre que não receber o boleto, por exemplo, entre em contato com o banco.

Uma dica para evitar esse tipo de problema é automatizar o pagamento da prestação do seu empréstimo. Isso pode ser feito com a autorização do débito em conta. Assim não há mais atrasos ou desculpas para não pagar suas contas.

4 – Quite antecipadamente o seu empréstimo

Se o contexto em que você solicitou o empréstimo era um e agora você já está em uma condição financeira mais confortável, uma alternativa viável para economizar dinheiro é antecipar a quitação do seu contrato.

Com essa opção, o valor da dívida é trazido a valor presente. Ou seja, já descontadas as taxas de juros que seriam cobradas no prazo original de vencimento do contrato.

E não se preocupe. Você pode optar pela quitação parcial do contrato. Assim, não precisa pagar a dívida de uma vez.

5 – Faça a portabilidade de crédito

Você não leu errado. Assim como no caso da telefonia, é possível portar ou transferir a sua dívida para outro banco.

Essa operação, que é conhecida como portabilidade de crédito, traz entre outros benefícios o barateamento da dívida. Em resumo, o novo banco compra a sua dívida e a quita no banco anterior. Dependendo do tipo de negociação, o novo contrato pode ser emitido com prazo maior para pagamento. Portanto, é possível economizar dinheiro ao fazer um empréstimo ou mesmo depois de contratá-lo.

Lembre-se que ao fazer um empréstimo, sua renda permanecerá comprometida pelo tempo em que o contrato durar. O cuidado está em não perder essa dívida de vista, para não aumentar a dívida inicial.

Ter o mínimo de planejamento financeiro irá garantir também o equilíbrio das suas finanças. Então, ao buscar por um novo empréstimo ou otimizar os que você já tem, pense nisso.

Tome decisões estratégicas que possam contribuir para a sua saúde financeira no curto, médio e longo prazo. Não abra mão de ter controle sobre o seu dinheiro!

Comece já! E se você quer aumentar ainda mais seu conhecimento, aproveite para ler os 10 livros para aprender sobre finanças!

Autor

Danielle Vieira

Apaixonada por marketing, descobriu os números e finanças ao longo do caminho e decidiu ajudar as pessoas através da educação financeira. Hoje faz isso atuando no marketing da bxblue, fintech acelerada pela Y Combinator e escrevendo em alguns portais.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *