Certamente você já ouviu falar sobre a possibilidade de ganhar muito, investindo pouco. Mas existem outras questões sobre as quais precisamos falar em relação a essa possibilidade e explicar mais detalhadamente o que é a alavancagem.

Nesse artigo você aprenderá mais sobre a alavancagem, seus riscos, em quais operações ela é mais comum e o que se espera quando esta ferramenta é utilizada no mercado financeiro. Especialmente para especulação na bolsa de valores.

Continue a leitura e aprenda mais sobre o assunto!

O que é alavancagem?

Caso você busque no dicionário, ou ‘dê um Google’ na palavra alavancar, terá como definição:

Alavancar: Impulsionar, causar impulso, incentivar, favorecer, tornar mais favorável.

É possível perceber que o termo alavancar está associado a fomentar, a incremento e crescimento. No mercado financeiro, o objetivo é bastante similar, mas a prática de alavancagem tem nuances próprias.

Quando citamos a alavancagem financeira, significa que estamos citando uma situação em que se está operando com uma margem maior do que a capacidade financeira real. Estar alavancado em situações econômicas significa contrair riscos maiores do que o capital atual e mesmo contrair dívidas buscando e acreditando em um crescimento e em ganhos futuros.

A alavancagem é uma variável mensurada com cuidado nas operações de empresas, governo e instituições financeiras, que tiveram limites para alvancar definidos no comitê de Basiléia. Contudo, nem sempre há o mesmo cuidado entre a população de modo geral e investidores pessoa física na hora de utilizar esta variável.

Como podemos imaginar, não é simples operar com uma capacidade financeira maior do que a real, pois existem grandes riscos nessa operação. Afinal, há muitos riscos de as coisas não saírem como o esperado.

E é sobre esses riscos que vamos falar a seguir.

Quais os riscos da alavancagem?

Como citamos, a alavancagem pode se dar em termos de investimentos e em termos de gastos também. Operações de crédito contraídas por alguém podem atingir um montante maior que seu patrimônio atual, e cria uma realidade na qual ela vive com um valor que não tem. Logo, alavancada.

Em relação às aplicações, quando uma pessoa investe um valor, ela pode até perder tudo que investir e reduzir o capital a zero, de acordo com o risco do investimento. Porém, quando se está alavancado, quando se opera posições maiores do que o dinheiro que se tem disponível, há a chance de perder de uma forma indefinida, sem limites.

Empresas, quando contraem passivos a fim de investir para ganhos e crescimento futuro, devem fazer um estudo profundo. Afinal, caso os resultados sejam diferentes do esperado, ela pode se afundar em dividas impagáveis e até falir.

Instituições financeiras precisam ter controle sobre o nível do que emprestam e qual o lastro para tal, a fim de não correrem risco de honrar compromissos de saques e resgates caso estejam muito alavancadas. Leia mais especificamente sobre os riscos da alavancagem em nosso artigo Risco de Alavancagem: Entenda.

Operações que usam alavancagem

Sempre que alguém opera de forma acima de sua capacidade, está operando alavancado.

Exemplo simples dessa realidade no mercado de crédito é quando o indivíduo contrai vários financiamentos e empréstimos, de forma a obter um valor total que não teria. Uso de cartão de crédito sem ter como pagar valor total de fatura também.

Nos investimentos, a forma mais comum se operar alavancado é no mercado de derivativos. Quando um investidor opera no mercado futuro, no mercado de opções, ele não precisa do valor da operação inicialmente disponível na conta para firmar o contrato.

Como as liquidações se dão no futuro, já que não estão no mercado à vista, existe a chance de obter resultados muito desfavoráveis com prejuízos incalculáveis. Leia mais sobre essa forma de aplicar em nosso artigo Mercado de derivativos, o que é e como funciona.

Por que operar alavancado?

Bom, até aqui tratamos das características de se operar acima da capacidade financeira e dos riscos inerentes a esta posição. Mas, por que será que existem tantas pessoas que atuam assim se são tantos os riscos?

Como já bem sabemos, ao entrar em uma operação de grande risco – e operar alavancado está no topo dos riscos das opções de investimento, espera-se um grande retorno, a fim de sempre tentar maximizar a relação risco retorno.

Empresas, quando atuam dessa forma, se embasam em possibilidades que consideram relevantes de conseguir crescer e aumentar seus resultados.

Nos investimentos, as operações alavancadas, como ocorre em algumas posições do mercado de derivativos, da mesma forma que não limita prejuízos, não limita ganhos também. E como é possível entrar na operação sem seu valor total, é possível sim ganhar um valor relevante na liquidação da operação.

Imagine a seguinte situação: Você acredita que, nos próximos dias ou semanas, o Índice Bovespa terá uma subida relevante e deseja auferir os ganhos desse movimento.

Para montar uma posição nas ações que compõem o Ibovespa, o valor inicial necessário seria bastante considerável. Da mesma forma aplicações iniciais em alguns fundos de investimentos.

Mercado futuro

Já nas operações de mercado futuro, minicontratos, é possível realizar essa posição com valores bem menores. O acesso à bolsa é muito mais facilitado.

É possível e até comum que, em primeiras operações de derivativos alavancado, você perca dinheiro. O risco de perder dinheiro é realmente grande, não é somente uma teoria.

Mas, sempre que se opera alavancado, se espera um retorno muito maior do que em operações com menor risco. E é por isso que os riscos também são muito mais altos.

Como você pode perceber, a decisão de operar alavancado exige do interessado uma grande tolerância a riscos e, portanto, um perfil agressivo no mercado. E, por conta desta característica, é fundamental avaliar com cuidado as possibilidades e fazer um bom manejo dos perigos para evitar perder altas somas de dinheiro.

Gostou de saber mais sobre alavancagem? Então acompanhe mais conteúdos do portal. Leia nosso artigo sobre Investir em ouro!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *