Existem alguns pontos fundamentais que devem ser considerados pelos investidores no momento de montar sua carteira. Como exemplos, podemos citar a rentabilidade e a segurança. Certamente, você pensa sobre elas antes de tomar uma decisão, não é mesmo?

E sobre o prazo dos investimentos? Você tem refletido acerca dele na hora de escolher se realiza ou não determinado aporte no mercado financeiro? Vale a pena ter em mente que o prazo é tão importante quanto outras características centrais dos investimentos.

Que tal saber mais sobre a sua importância e ver qual é a maneira mais adequada de considerar o prazo na montagem da sua carteira? Preparamos dicas especiais sobre o assunto neste post!

O que é o prazo dos investimentos?

Basicamente, o prazo dos investimentos diz respeito à data de vencimento dele. No caso de títulos da renda fixa, existe de fato um dia determinado para que o investimento “acabe”. Ou seja, na data estipulada o emissor do título devolve seu dinheiro e os rendimentos oriundos dele.

Já na renda variável, podemos falar de um prazo subjetivo. Mesmo que na maioria dos casos não haja um dia certo para que se tire o dinheiro, é normal que exista um período em que o investidor prevê o resgate. Por exemplo, operações de trade são realizadas no curto prazo.

Em contraponto, outros investidores podem ter planos de médio ou longo prazo para retirar a quantia que investiu na bolsa de valores. Alguém pode pensar em resgatar em dez anos para custear um objetivo ou em manter seus ativos até a aposentadoria, por exemplo.

Os exemplos que demos indicam um dos pontos fundamentais quando se fala de prazos: ele reflete os objetivos que você tem para o dinheiro. Ou seja, negligenciar o fator prazo nas suas decisões pode atrapalhar seus planos financeiros e também a rentabilidade da sua carteira.

Em muitos casos, tirar a quantia antes do tempo estipulado pode causar prejuízo. E não ter o valor disponível quando precisa atrapalha bastante seu orçamento, certo? Logo, a importância do prazos dos investimentos se torna inegável quando refletimos sobre o tema.

Como escolher os melhores prazos?

Agora que você compreendeu a relevância dos prazos, pode estar se perguntando qual é a melhor maneira de escolher seus investimentos considerando tal aspecto. Confira algumas dicas!

Entender a relação entre prazo e rendimento

No mercado financeiro, existe uma relação direta entre rentabilidade e risco. Isto é, de modo geral, ativos que proporcionam maior possibilidade de ganhos também estão acompanhados de maiores riscos.

Podemos ver uma relação semelhante entre a rentabilidade e o prazo. Analisando rapidamente alguns títulos da renda fixa é possível observar que aqueles que mantêm seu dinheiro por mais tempo costumam oferecer rendimentos mais atrativos.

Apesar de não apresentar prazos definidos como na renda fixa, um movimento semelhante pode acontecer na bolsa de valores. Em muitas situações, as oportunidades de ganhos no longo prazo são maiores do que no curto.

Entender essa lógica lhe ajuda a tomar suas decisões com eficiência. Afinal, é possível avaliar os prazos e as expectativas de rendimento ao escolher onde investir.

Considerar a liquidez

Outro conceito central quando se discute sobre prazo é a liquidez. Ela diz respeito à facilidade e rapidez com a qual você consegue resgatar seu dinheiro sem sofrer perdas.

Fique atento para o fato de que prazo e liquidez não são sinônimos. Ainda que a data de vencimento de um investimento seja daqui a alguns anos, ele pode apresentar alta liquidez.

O Tesouro Selic é um exemplo. Apesar de ter um prazo médio, o investidor usufrui de liquidez diária e pode solicitar resgate sem perder os rendimentos que ganhou até o momento.

Enquanto isso, opções com baixa liquidez implicam em risco de perda de rendimentos, caso seja solicitado o resgate antecipado. Assim, o mais indicado antes de investir em alternativas de longo prazo é ter uma reserva de emergência em uma aplicação de alta liquidez.

Guiar-se por seus objetivos

Uma das estratégias mais interessantes para montar uma carteira é alinhar seus objetivos com os prazos dos investimentos. Afinal, uma opção com prazo para cinco anos provavelmente não servirá bem para quem deseja usar a quantia para comprar um carro daqui a um ou dois anos, certo?

Se o investimento não apresentar alta liquidez, será inviável retirar o dinheiro com os rendimentos para adquirir o veículo. Logo, investir em uma opção com prazo próximo ao do seu objetivo é a escolha mais apropriada.

O mesmo deve ser considerado para seus objetivos de médio e longo prazo. Avalie as características de cada opção de investimento e veja qual delas se adéqua melhor a determinado objetivo — como acumular patrimônio, comprar um imóvel, aposentar-se, etc.

Avaliar seu perfil de investidor

Ao considerar os prazos dos investimentos não se pode perder de vista também o seu perfil de investidor. O fato de ações serem consideradas boas alternativas para o longo prazo, por exemplo, não significa que todos os investidores se adaptam bem a elas.

Pessoas de perfil conservador geralmente não têm abertura ao risco da renda variável. Desse modo, é mais confortável procurar opções de maior estabilidade na renda fixa.

Além disso, alguns investidores conservadores não se sentem à vontade para fazer aplicações de longo prazo. Esperar vários anos até ter o dinheiro de volta pode ser um fator de risco para eles.

Diversificar a carteira

Por fim, a dica de diversificar a carteira também vale quando se considera o prazo dos investimentos. Pense em como você se sentiria se todo o seu dinheiro estivesse em um investimento de longo prazo?

O que fazer em caso de emergências ou como realizar seus planos de curto e médio prazo? Com certeza, seria mais difícil. Por isso, o mais aconselhado é montar uma estratégia diversificada, distribuindo o dinheiro em opções de vencimentos variados.

Como falamos, a reserva de emergência precisa estar em uma opção com alta liquidez. Já os planos de curto prazo devem ser alocados em investimentos com vencimento para os próximos dois ou três anos, no máximo.

Alguns exemplos interessantes para curto e médio prazo são CDBs, Letras de Crédito e Letras de Câmbio. Já para os seus objetivos de longo prazo entre as opções mais procuradas estão o Tesouro IPCA e ativos da renda variável, como Fundos Imobiliários e ações.

Agora você sabe o que são os prazos dos investimentos e como eles podem influenciar no seu planejamento financeiro e na rentabilidade da sua carteira. Coloque nossas orientações em prática e alcance sucesso nas estratégias que utilizar para tomada de decisão.

E então, gostou deste post? Aproveite para conhecer mais 6 características essenciais dos investimentos!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *