Muito tem se falado sobre investir. Em várias situações, vende-se a promessa de um retorno rápido e, com isso, aquelas pessoas que ainda não têm conhecimento sobre investimentos acabam vendo o castelo dos sonhos desmoronar.

Ao esperarem um crescimento acelerado em um curto espaço de tempo, muitos frustram-se com o desempenho de seus investimentos. A questão toda é que, como nos ensina a  educação financeira, investir não é sinônimo de adquirir riqueza de maneira rápida.

Investidores geralmente se enquadram em uma das duas categorias: há aqueles que investem em ganhos de curto prazo e outros que investem a longo prazo.Considerando as duas estratégias, você saberia dizer qual é a melhor para você?

Sobre investimentos de longo prazo

De modo geral, são considerados investimentos de longo prazo qualquer investimento que tenha uma probabilidade mais alta de maximizar os seus retornos ao longo de um período de pelo menos cinco anos.

Tradicionalmente, nós, brasileiros, temos um certo receio em realizar investimentos de longo prazo. Isso se dá por dois motivos: a cultura do imediatismo e as incertezas econômicas que nos cercam. No entanto, entenda que aplicar o dinheiro em ativos que proporcionem uma remuneração a longo prazo é se preocupar – e investir – no seu futuro (como, por exemplo, o investimento em um  plano de Previdência Privada).

Investimentos de longo prazo trabalham com o que chamamos de juros sobre juros (ou, no vocabulário financeiro, de juros compostos). Significa que um percentual é aplicado ao somatório do capital no final de cada ciclo de investimento.

Graças à mágica dos juros compostos, o retorno financeiro aumenta ano após ano. Exatamente por isso é que, quanto maior o prazo do investimento, maior o retorno.

Tipos de investimentos de longo prazo

São várias as opções que você tem para investir em longo prazo. Algumas incluem:

Sobre investimentos de curto prazo

Investimentos de curto prazo geralmente têm a ver com a realização de qualquer investimento por menos de um ano. Duas características descrevem esta modalidade: simplicidade e agilidade.

Investimentos de curto prazo possuem uma boa relação entre liquidez e rentabilidade. Um exemplo são as reservas de emergência, as quais nos mantém preparados para os imprevistos.

Tipos de investimentos de curto prazo

Dentre os investimentos de curto prazo, destacamos:

  • CDB: Sigla para Certificado de Depósito Bancário, o CDB corresponde a um título de renda fixa remunerado por meio do crédito privado. O funcionamento é simples: quando você aplica capital nesses papéis, empresta dinheiro para um banco ou uma instituição financeira que, por sua vez, concederá crédito aos seus clientes e devolverá os recursos emprestados com acréscimo de juros. Veja os 5 pontos a considerar antes de escolher o CDB.
  • LCI e LCA com liquidez diária: O LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e o LCA (Letra de Crédito do Agronegócio), são títulos de renda fixa do setor bancário, mas, neste caso, o banco já fez o empréstimo para alguma iniciativa no setor imobiliário (LCI) ou no setor de agronegócio (LCA). Tanto LCI’s quanto LCA’s são isentos de imposto de renda. Aprenda a investir em letras de créditos.
  • Tesouro Selic:Título pós-fixado emitido pelo governo, cuja rentabilidade segue a variação da taxa básica de juros brasileira, a taxa Selic. Veja a comparação entre Tesouro Selic e CDB.
  • Fundos DI:Este tipo de investimento é atrelado à taxa Selic e ao CDI. Por apresentarem baixo risco e liquidez, os Fundos DI são ideais para curto prazo.  Conheça mais neste post.

Investimentos de longo ou de curto prazo: qual escolher?

Cada um carrega uma expectativa diferente. Por exemplo, investimentos de longo prazo são indicados para aquelas pessoas que buscam uma renda para o futuro. Já os de curto prazo fornecem uma maior proteção de capital (como no caso da reserva de emergência) e são indicados para quando sabemos que precisaremos de uma certa quantia de dinheiro para um momento próximo (para tirar férias, por exemplo).

Além disso, ambos atendem a diferentes necessidades em diferentes momentos da vida. Investimentos de curto prazo ajudam a pagar um adiantamento em um imóvel, enquanto os de longo prazo contribuem para a construção de recursos para a aposentadoria. No entanto, para quem está se aposentando ou já está aposentado, talvez a maior necessidade seja a de manter alguns investimentos de curto prazo.

Ressaltamos que um dos maiores riscos associados aos investimentos de longo prazo é a volatilidade, ou seja, as flutuações nos mercados financeiros que podem fazer com que os investimentos percam valor. Por isso, para perfis menos arrojados e aos que estão começando, o indicado é buscar por investimento que tragam mais segurança (como o Tesouro Direto).

Bons investidores não escolhem entre investimentos de curto e longo prazo, mas sim trabalham com um mix. Conhecer as diferenças entre as duas modalidades e a importância de considerar também investir para o médio prazo é fundamental para que você saiba escolher as opções certas de acordo com seu objetivo.

Por fim, lembre-se que a decisão do investidor deve se basear no que chamamos de tripé de investimentos: a avaliação do risco, da rentabilidade e da liquidez.

Importante: faça seu dinheiro trabalhar para você

Saber o que são investimentos de longo e curto prazo vai ajudá-lo a tomar melhores decisões. Investir bem é saber fazer seu dinheiro trabalhar para você de modo que seus objetivos financeiros sejam conquistados.Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora

Autor

Equipe André Bona

Nosso site é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *