No mercado financeiro, existe um termo muito importante, mas que não é conhecido por todos: o asset management. Essa gestão de ativos pode transformar resultados de pessoas físicas e jurídicas, incluindo os fundos de investimento.

Porém, é preciso ter atenção ao contratar o serviço. Afinal, é necessário compreender como ele funciona e o que é capaz de oferecer. Desse modo, você saberá qual é o papel que essa gestão ocupa no mercado financeiro e se vale a pena contar com essa opção.

Neste artigo, você poderá explorar o conceito de asset management e entenderá quais são os impactos no mercado. Confira!

O que é uma asset management?

Para saber o que é a asset management é fundamental compreender que ela é, exatamente, aquilo que é conhecido como gestão de ativos. O processo consiste em um conjunto de técnicas que buscam acompanhar, gerenciar ou rentabilizar uma carteira.

Porém, é importante ter atenção com o termo, que pode causar alguma confusão. Ao pensar no que é uma asset manager, por exemplo, o foco está em uma gestora de patrimônio financeiro. Nesse caso, a instituição utilizará as técnicas de asset management para atingir os objetivos.

Como funciona uma empresa focada na gestão de ativos?

Para deixar o conceito mais claro, deve-se entender como o asset management é feito. A gestão de ativos varia com os objetivos, incluindo processos e soluções específicas em cada situação.

A seguir, veja como a gestão profissional atua em cada alternativa!

Fundos de investimento

Começando pelos fundos de investimentos, eles são modalidades coletivas, em que cada investidor adquire uma cota que dá direito de participação nos resultados. A alocação do dinheiro, entretanto, fica sob a responsabilidade do gestor de investimentos.

Esse profissional utiliza seus conhecimentos e suas análises para tomar decisões quanto à seleção de ativos, de acordo com a estratégia prevista para o fundo. Na prática, tudo isso é coordenado pela gestora de fundos.

Além disso, ela atua para comercializar esses veículos no mercado financeiro. Então, a gestora é responsável não apenas pela questão dos ativos e do patrimônio, mas por toda a atuação no mercado.

Wealth management

Quando se fala em asset management, ainda é comum que o tema seja confundido com wealth management. Porém, enquanto a primeira envolve o gerenciamento de recursos e investimentos financeiros, a segunda alternativa traz uma visão mais ampla sobre o patrimônio.

Em uma tradução livre e direta, “wealth management” é um conceito que pode ser entendido como gerenciamento de riqueza. Logo, além de aplicações financeiras, ele pode incluir a gestão de outros ativos, como imóveis.

Ela também prevê uma atuação que vai além do planejamento financeiro. Nesse caso, há uma preocupação com questões como o pagamento de impostos — o planejamento tributário — e com a sucessão patrimonial. Logo, ele tem uma abordagem mais completa sobre a sua vida financeira.

Family office

Ainda dentro da classificação de asset management, há os chamados family offices. Esse é um serviço voltado para famílias, focando no patrimônio construído por seus integrantes.

É possível, por exemplo, pensar em soluções como a criação de uma holding familiar para facilitar o gerenciamento de ativos e otimizar a sucessão patrimonial. Também há o desenvolvimento de planejamentos e de estratégias focadas na proteção do patrimônio, para garantir sua continuidade.

Por causa de suas características, o family office costuma contar com serviços de wealth management em seu escopo. A diferença é que o foco está apenas em famílias, enquanto o serviço geral é aplicado a pessoas físicas ou jurídicas.

Como é feito o asset management de pessoas físicas?

Como você viu, a gestão de ativos tem características que dependem do tipo de atuação. Uma gestora de fundos, por exemplo, tem responsabilidades diferentes de um family office, embora a ideia seja ajudar a construir e consolidar patrimônio.

Porém, no caso de um asset management focado em pessoas físicas, alguns processos costumam ser replicados. Nessa situação, o foco está em reconhecer e atender demandas específicas de quem recorre ao serviço.

Portanto, é comum que o gestor comece com uma avaliação do perfil do cliente, bem como de suas necessidades e expectativas. A partir disso, é possível identificar o que a pessoa espera obter com a gestão e quais são os caminhos para alcançar tais resultados.

Assim, o profissional pode apontar investimentos que podem ser realizados, considerando perfil e objetivos. A ideia é construir um portfólio otimizado e aumentar o potencial de rentabilização do patrimônio.

Também é possível que o gestor tenha autonomia para emitir as ordens de compra e venda. Logo, pode-se dizer que, nesse caso, o cliente de um asset management transfere a responsabilidade de acompanhamento e gerenciamento do portfólio para o profissional.

Vale a pena contratar um serviço de asset management?

Considerando as características e o funcionamento da gestão de ativos, faz sentido que surjam dúvidas se esse tipo de contratação é interessante. Para tomar a decisão, é necessário conhecer os benefícios que o asset management apresenta.

Por exemplo, recorrer ao serviço proporciona o apoio de profissionais certificados para traçar planos estratégicos, colocá-los em prática e gerenciá-los ao longo do tempo. Isso facilita os seus processos, já que o investidor não precisa se preocupar diretamente com as operações ou com cada escolha.

Além disso, a tomada de decisão é qualificada, o que pode melhorar a geração de resultados. Contudo, não significa que um gestor de ativos seja capaz de prometer ou garantir performance, especialmente quando se trata de investimentos.

Também é preciso considerar que o serviço é personalizado e, portanto, leva em conta as características e objetivos específicos de quem contrata. Isso pode ajudar no nível de satisfação e alinhamento das estratégias, por exemplo.

Porém, ainda é preciso ponderar os custos e se há, realmente, a necessidade de contar com gestores para gerir seus investimentos. Logo, a contratação pode ser indicada se o patrimônio e os ativos forem condizentes, compensando os custos, e se houver o interesse pela otimização de resultados.

Conforme você viu, o asset management é um serviço de gestão de ativos que pode incluir a transferência de responsabilidade quanto ao gerenciamento. Assim, a contratação pode valer a pena para os investidores, desde que faça sentido para o patrimônio e as suas necessidades.

Gostou do artigo? Ajude mais pessoas a conhecerem esse serviço e seus impactos. Compartilhe este post nas suas redes sociais e aproveite para marcar seus contatos!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *