*Este artigo foi produzido pelo Mobills com exclusividade para o Blog de Valor.

Você já se perguntou qual o melhor investimento: CDB ou poupança? Se você já pensou em investir em um investimento de renda fixa e de baixo risco e ficou em dúvida entre o Certificado de Depósito Bancário (CDB) e a Caderneta de Poupança, então você está no artigo certo.

O mundo dos investimentos é bem complexo, então é essencial que você tenha um conhecimento amplo sobre o assunto para não cometer erros muito graves, afinal, ninguém quer perder dinheiro, né? Sobre CDB ou poupança, especificamente, é importante que você saiba que estes dois investimentos são bem diferentes e, por isso, é preciso conhecer cada um deles antes de tomar qualquer decisão.

Seja para o caso de você já ter dinheiro aplicado na poupança ou ainda estar pensando em aportar seu dinheiro no investimento mais popular do país, este artigo pode lhe ser muito útil. Será que é uma boa ideia manter o dinheiro na poupança, ou vale a pena o CDB? É o que você vai descobrir lendo este artigo!

Boa leitura e bons aprendizados!

O que é CDB?

CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título de renda fixa que os bancos emitem para captar dinheiro das pessoas. Assim, a instituição bancária remunera com juros, que varia de acordo com o valor emprestado.

Existem dois tipos principais de CDB: prefixado e pós-fixado. No primeiro você sabe exatamente quanto irá receber no vencimento. Já no segundo, você receberá um valor de acordo com o indexador (normalmente atrelados ao CDI, um índice de referência que acompanha a Selic).

O que é Poupança?

Poupança é um tipo de investimento financeiro com baixo risco e, consequentemente, baixa rentabilidade, garantido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) até um determinado valor, independentemente da instituição bancária que você deposita.

A caderneta de poupança é o investimento mais popular entre os brasileiros, mas vem perdendo espaço gradualmente na economia, principalmente por conta do aumento da oferta de novos (e melhores) produtos de renda fixa. De acordo com o Banco Central, entre janeiro e setembro de 2017, os saques da poupança superaram os depósitos em R$ 4,16 bilhões.

Isto acontece primeiro por conta da crise na economia brasileira, que obriga muitas pessoas a usarem dinheiro guardado na poupança para pagar suas contas. Mas, em segundo lugar, por causa da baixa rentabilidade da caderneta, que perde para praticamente qualquer outra aplicação de renda fixa.

Quanto rende cada um?

CDB

O rendimento do CDB varia de acordo com a instituição bancária que oferece o investimento. Existem diferentes títulos com diversos vencimentos e formas de remuneração. Normalmente, quanto maior a duração da aplicação, maior a valorização oferecida pela instituição financeira.

Os CDBs prefixados têm percentual de valorização já estabelecido na hora da compra. Já os títulos atrelados ao CDI (pós-fixados) dependem dessa referência, que normalmente acompanha a Taxa Selic. Atualmente, o CDI está em cerca de 6,39%.

A Calculadora do Cidadão, ferramenta gratuita disponibilizada pelo Banco Central, pode ajudar você identificar algumas rentabilidades dos investimentos na poupança e em títulos atrelados ao CDI e Selic, por exemplo.

Poupança

A rentabilidade da poupança é baixa e é calculada dependendo da Taxa Selic, que atualmente está definida em 6,5%.

Quando a Selic alcança um valor superior a 8,5%, a valorização da caderneta é de 0,5% ao mês mais a variação da Taxa Referencial (TR), um percentual bem pequeno calculado a partir da média ponderada dos juros do CDB. Porém, quando a Selic está abaixo deste patamar, a poupança rende 70% da Selic + TR.

A Calculadora do Cidadão é uma ferramenta disponibilizada pelo Banco Central para calcular o histórico de rendimento da poupança. Nela, você pode consultar rendimentos entre quaisquer períodos e ver que TR não faz quase nenhuma diferença nessa valorização.

Quais as vantagens de cada um?

CDB

O CDB possui algumas vantagens quando o assunto é identificar o melhor investimento entre CDB ou poupança. Entre eles é o fato de o CDB, assim como outros títulos de renda fixa, servir de margem de garantia para a bolsa de valores.

Essa margem serve para a negociação de derivativos, como o dólar futuro e contratos agrícolas, por exemplo. Assim, em vez de depositar um valor de garantia, você pode usar o seu CDB como margem, tornando bem mais fácil e menos o ato de investir na bolsa.

Além disso, o CDB também tem o apoio do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que é uma associação não governamental que reúne bancos e corretoras do país. Esse fundo garante o pagamento do saldo do investimento para valores de até R$ 250 mil por CPF por instituição financeira,em um montante global de, no máximo, R$ 1 milhão por CPF.

Em relação à poupança, uma vantagem importante do CDB é a sua rentabilidade. Em geral, os Certificados de Depósito Bancários têm rendimentos acima da rentabilidade da poupança, principalmente em caso de investimentos de longo prazo.

Poupança

Uma das maiores vantagens da poupança quando buscamos comparar CDB ou poupança ou até mesmo outro investimento em renda fixa é a facilidade de investimento e a rapidez da aplicação e do resgate.

Você pode fazer um depósito, por exemplo, hoje e o dinheiro cairá imediatamente em sua conta do banco ou corretora. Assim como, em caso de necessidade de resgate, o dinheiro pode ser sacado ou transferido a qualquer momento.

Para abrir uma conta poupança você não precisa pagar nada, nem custo inicial e nem taxas de administração ou performance, além de não precisar pagar o Imposto de Renda, como em alguns investimentos de renda fixa. Assim como o CDB, a poupança também tem o apoio do FGC e é considerado um investimento de baixo risco.

E as desvantagens?

CDB

Apesar de possuir vantagens em relação à poupança, existem algumas  desvantagens relacionadas ao CDB. A primeira é que é cobrado o Imposto de Renda (IR) em cima do investimento. É usado como base uma tabela regressiva, que premia quem mantém o investimento por mais tempo.

A alíquota máxima é de 22,5%, para aplicações inferiores a 180 dias, e a mínima, de 15%, para aplicações superiores a 720 dias. Lembre-se que o imposto incide apenas sobre a valorização (juros), e não sobre o total aplicado.

Confira a tabela:

Tempo do Investimento Alíquota do IR
Até 180 dias 22,5%
De 181 a 365 dias 20%
De 365 a 720 dias 17,5%
Acima de 720 dias 15%

A segunda desvantagem também pode ser uma vantagem: existem muitos tipos de CDB disponíveis no mercado (os principais, como já citei são prefixado e pós-fixado). Por um lado, essa variedade é positiva, já que oferece alternativas para diferentes tipos de investidores. Mas por outro, pode deixar confuso o investidor iniciante.

O melhor a se fazer quando não se tem conhecimento sobre algum assunto é pesquisar e buscar aprender mais sobre o tema. Antes de tomar alguma decisão financeira, não se esqueça jamais de ter certeza absoluta do que está fazendo.

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) também pode ser uma desvantagem para quem investir em CDB, pois existem alguns títulos do CDB sem prazo de carência, que costumam pagar juros menores ao investidor. Por isso, é indicado que o investidor nunca resgate antes de 30 dias da aplicação, para que não haja a incidência do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras).

Confira a tabela:

Dias corridos IOF sobre o rendimento Dias corridos IOF sobre o rendimento
1 96% 16 46%
2 93% 17 43%
3 90% 18 40%
4 86% 19 36%
5 83% 20 33%
6 80% 21 30%
7 76% 22 26%
8 73% 23 23%
9 70% 24 20%
10 66% 25 16%
11 63% 26 13%
12 60% 27 10%
13 56% 28 6%
14 53% 29 3%
15 50% 30 0%

Poupança

Existem muitas desvantagens associadas à poupança. A principal delas é o baixo rendimento, que perde para a maioria dos investimentos em renda fixa.

Além disso, sempre existe a possibilidade de que a valorização do seu investimento na poupança seja inferior à inflação oficial, o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), fazendo com que você perca poder de compra ao longo do tempo.

Além disso, mesmo você podendo sacar o dinheiro a hora que quiser, a remuneração mensal do investimento só ocorre mensalmente, ou seja, caso resgate o dinheiro antes do período de aniversário, você poderá perder todo o rendimento dos últimos dias.

Outros investimentos em renda fixa

Você já deve ter percebido que, na batalha entre CDB ou poupança, geralmente valerá a pena sempre buscar por investimentos em CDB. Apesar disso, existem outros investimentos em renda fixa que podem ser excelentes opções para compor sua carteira de investimentos.

O mais famoso entre eles é o Tesouro Direto, um programa de venda de títulos públicos a pessoas físicas desenvolvido pelo Tesouro Nacional.

Existe também o LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e o LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) que, assim como a Poupança, são isentos do Imposto de Renda.

Conclusão

Depois de saber algumas características e as principais vantagens de CDB e poupança, certamente deve ter ficado mais fácil para você identificar qual é o melhor investimento entre CDB ou poupança, não é mesmo?

Apesar disso, vale ainda aqui uma dica: você deve encontrar bons títulos de CDB no mercado, que ofereçam boa rentabilidade, que se encaixem no que você está procurando e  que tenham um prazo de resgate que não atrapalhe seu orçamento.

Antes de investir, portanto, pense na sua situação financeira atual. Se pergunte:

  • Quanto eu ganho por mês e por ano?
  • Quais são os meus gastos mensais?
  • Como eu cuido do meu orçamento?
  • Qual é a estabilidade do meu emprego?
  • Aquele dinheiro aplicado fará falta no fim do mês?

Depois de responder com sinceridade, você deve separar um valor equivalente a cinco ou seis meses de seus gastos mensais para fazer sua reserva de emergência e, em seguida, escolher um bom CDB para aplicar seu dinheiro, de acordo com seus objetivos financeiros. Mas, seja qual for o caso e sua situação, evite investir na poupança sempre que possível e procure opções melhores para rentabilizar seus investimentos.

Ademais, nunca se esqueça de se manter informado sobre o mercado financeiro. Pesquise, pergunte para quem conhece, estude e prepare-se para investir melhor e evitar erros na hora de cuidar do seu dinheiro.

 

Isabelle Lima

*O Mobills é um aplicativo de controle financeiro, que permite ao usuário cadastrar e gerenciar suas contas de forma eficiente, em qualquer lugar e a qualquer hora.

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *