É comum ouvir notícias que apontam a ligação entre a taxa Selic e o mercado imobiliário.  Afinal, a taxa Selic é referência para todas as outras taxas de juros do Brasil e impacta diretamente diversos setores.

É por este mesmo motivo que a Selic não impacta apenas o mercado imobiliário, mas também os investimentos, por exemplo. Mas, qual seria a interferência dessa taxa de juros nas negociações de propriedades? Como a Selic pode impactar este mercado?

Para entender um pouco mais sobre como o mercado imobiliário é afetado com a variação da taxa Selic e por que é importante acompanhar de perto a variação dessa taxa na economia nacional, siga o artigo de hoje. Continue a leitura e aprenda mais sobre o assunto!

O que é taxa Selic e como ela afeta o mercado imobiliário?

A Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) é uma taxa de financiamento no mercado interbancário para operações de um único dia que possuem lastro em títulos públicos federais. Ela funciona como uma espécie de índice de base para todas as taxas de juros cobradas pelos bancos.

E é exatamente por essa característica que ela é chamada de taxa básica de juros. É considerada, inclusive, um dos indicadores econômicos mais importantes do mercado brasileiro.

A variação da taxa Selic afeta diretamente a economia nacional, especialmente as taxas de juros de investimentos, financiamentos e empréstimos. É a partir da taxa Selic que são calculadas as rentabilidades de muitos títulos do Tesouro Nacional, por exemplo.

O Banco Central utiliza essa variação da Selic para conter ou acelerar a economia de acordo com a inflação: quando a inflação está em alta, o governo aumenta a taxa Selic. Já quando a inflação diminui, o governo reduz a taxa Selic.

Entender esse controle é importante também para ter uma noção sobre como e por que a taxa Selic sempre sofre variações ao longo do tempo.

Taxa Selic e financiamento imobiliário

A ligação entre a taxa Selic e o mercado imobiliário acontece justamente pela influência da taxa em outros tipos de juros do mercado financeiro nacional, especialmente o do financiamento imobiliário. Afinal, a variação da taxa Selic também pode alterar o valor dos imóveis disponíveis no mercado.

Quando a taxa aumenta, por exemplo, os financiamentos imobiliários tender a ter um reajuste nas parcelas, que ficam mais caras. Já se a taxa Selic diminui, consequentemente tende a acompanhar um queda na taxa do financiamento imobiliário no mercado, deixando as parcelas mais baratas e aquecendo o mercado imobiliário.

Em outras palavras, quando a taxa Selic está mais alta, os juros do financiamento imobiliário também aumentam e muitos consumidores acabam evitando negociações no mercado imobiliário. Já quando a Selic diminui, a procura por transações no setor aumenta: as parcelas de financiamentos ficam mais baratas e o interesse por adquirir um imóvel se eleva.

Vale ressaltar ainda que, dentro do cenário de locação (aluguel), a taxa Selic também pode influenciar o preço dos aluguéis. Embora esta não seja a taxa oficial da correção dos aluguéis (papel do IGP-M), uma vez que a Selic afeta todo o mercado, é de se esperar mudanças nos preços das locações com a Selic em alta ou baixa.

A taxa Selic em 2019

O mercado imobiliário tem voltado a mostrar índices de crescimento e recuperação depois de alguns anos de retração devido à crise econômica. As vendas do mercado imobiliário e os lançamentos de novos empreendimentos voltaram a crescer,  de acordo com a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), muito graças à retomada de confiança do mercado na economia.

Este avanço acontece em um momento em que a taxa Selic bateu seu recorde de menor patamar histórico. Após diversas reduções realizadas pelo Banco Central, a Selic alcançou o patamar de 6% ao ano.

O cenário atual acaba sendo, portanto, mais favorável para o mercado imobiliário. Afinal, além do otimismo para o setor, os juros menores tendem a movimentar o mercado de crédito e investimentos imobiliários.

O setor imobiliário e o cenário nacional

Ainda assim, apesar do momento ser de um maior otimismo para o setor imobiliário, vale sempre a cautela ao observar a economia brasileira. Se o país apresenta muitas oscilações na economia, o mesmo acontece com o mercado imobiliário, afetando diretamente os negócios.

Por isso, manter um acompanhamento do cenário econômico nacional e as movimentações, inclusive, da taxa Selic, pode ser uma boa pedida para aqueles que têm interesse em adquirir ou vender imóveis ou fazer transações diversas no segmento. Vale lembrar que a redução da taxa Selic é um indicador de que os juros de empréstimos e financiamentos também estão diminuindo.

E você, já conseguiu identificar esta movimentação no setor imobiliário de acordo com os movimentos da Selic ao longo do tempo? Deixe seu comentário!

Gostou deste artigo e quer ficar por dentro de outros conteúdos semelhantes? Acesse nosso canal no YouTube e confira muitos outros materiais úteis para suas finanças e investimentos.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *