A falta de organização pode prejudicar as suas finanças pessoais tanto quanto a ausência de dinheiro. Afinal, não ter controle sobre as contas do mês poderá resultar em atraso no pagamento dos seus compromissos — gerando multas e juros que podem corroer seu patrimônio.

Além disso, você poderá ter gastos desnecessários que acabam por diminuir ainda mais a sua renda. Como consequência, não terá capital suficiente para investir em seus sonhos e projetos. Percebe como é fundamental saber como organizar as contas do mês?

Se você ainda não sabe como fazer isso, não se preocupe. Neste artigo, você acompanhará dicas de como organizar seu orçamento de um jeito simples.

Confira!

Invista em educação financeira

Para começar a organizar as suas contas do mês, é imprescindível aumentar seu conhecimento sobre educação financeira. Isso porque é por meio dela que as pessoas aprendem a ter uma relação saudável com o dinheiro e também ter mais consciência do que fazer com ele.

É possível, por exemplo, começar a se questionar se a aquisição de um determinado produto ou serviço é necessária naquele momento ou se é apenas uma compra por emoção. E a educação financeira também vai além.

Com ela, você pode aprender a administrar seu próprio dinheiro para construir um planejamento alinhado com os seus objetivos financeiros. Por exemplo, comprar um imóvel, fazer uma viagem, ter mais tranquilidade no futuro etc.

Conheça a sua realidade financeira

Como você viu, entender sobre educação financeira permitirá que compreenda melhor as suas finanças pessoais — e esse é o próximo passo para organizar as contas do mês. A ideia é identificar os seus ganhos e gastos. Depois disso, fazer uma análise para entender a sua realidade.

Portanto, pegue um caderno, uma planilha de Excel ou um aplicativo financeiro e comece a anotar a sua renda e todas as contas do mês — tanto fixas quanto variáveis. Essas informações são essenciais para saber onde você tem gastado seu salário e quanto sobra.

A prática também indicará como você pode otimizar as suas finanças pessoais. Ou seja, entender onde pode cortar gastos ou diminuir despesas para ter o montante necessário para realizar seus sonhos ou alcançar seus objetivos financeiros.

Organize as suas contas do mês

Após concluir a análise da sua realidade financeira, é o momento de dividir os seus ganhos para organizar melhor as contas do mês. Já ouviu falar da regra 50-30-20? A técnica pode ajudar nessa tarefa.

Ela consiste em dividir a sua renda em categorias de despesas, estabelecendo um teto máximo de gastos no seu orçamento mensal. Veja só:

  • 50% para as contas essenciais, como moradia, alimentação, saúde, transporte e outros;
  • 30% para os gastos extras e pessoais, como viagens, alimentação fora de casa, lazer, etc.;
  • 20% para a reserva de emergência, dívidas e investimentos para a realização de sonhos ou projetos.

Essa é apenas uma sugestão de método para organizar as suas finanças. Se for necessário, você pode adaptar e alterar os valores destinados a cada categoria. Por exemplo, rever os percentuais caso as suas despesas pessoais ultrapassem 50% dos seus ganhos.

Monte um planejamento financeiro

O próximo passo é fazer um planejamento para evitar problemas financeiros no futuro. Por exemplo, a falta de pagamento de uma despesa, que poderia acarretar em juros e multas. Essa etapa fica mais fácil de ser realizada depois que você já listou suas despesas anteriormente.

Portanto, pegue sua lista novamente e anote as datas de vencimento das suas contas. Para ajudá-lo a lembrar dos compromissos financeiros, uma dica é contar com o auxílio de um aplicativo de finanças ou uma agenda online.

Essas soluções tecnológicas podem enviar lembretes na tela do seu smartphone ou computador para lembrá-lo da data de vencimento das suas contas. Além desse cuidado, outro aspecto do seu planejamento financeiro é definir objetivos em curto, médio e longo prazo.

Por exemplo, se você deseja guardar dinheiro para montar sua reserva de emergência pode prever esse valor em seu planejamento financeiro. Assim, poderá manter o foco na realização dos seus planos.

Modifique os seus hábitos

Após montar seu planejamento, você pode perceber que não terá saldo suficiente para arcar com todas as suas despesas ou para investir em seus projetos. Nesse caso, é preciso considerar algumas mudanças de hábitos financeiros.

Para isso, retome a análise sobre a sua realidade financeira e comece a entender quais são suas opções para cortar ou diminuir despesas. Inicie com os gastos desnecessários e supérfluos, como as compras por impulso.

Afinal, eles são os que menos farão falta no seu orçamento. Após esse passo, você pode identificar maneiras de reduzir as contas variáveis. Por exemplo, diminua o pacote da TV a cabo, desligue as lâmpadas dos cômodos que estão vazios e busque serviços bancários mais baratos ou gratuitos.

Faça um bom controle financeiro

Mais um passo essencial para organizar as contas do mês é fazer um bom controle financeiro. Os aplicativos podem ser úteis nesse momento. Isso porque ao tê-los na palma da sua mão, fica mais simples registrar suas despesas no instante em que elas ocorrem.

Desse modo, é possível acompanhar o saldo da sua conta e evitar gastar mais do que tem disponível. Ademais, muitos dos aplicativos contam com funcionalidades mais robustas. Por exemplo, permitem categorizar as despesas e informar sua origem.

Com ele, você saberá se pagou determinada compra com o cartão ou com dinheiro. Outra funcionalidade interessante é o planejador — que pode acompanhar suas metas e apontar se você está perto ou longe de alcançá-las.

Construa a sua reserva de emergência

Existem muitos motivos pelos quais uma pessoa deseja organizar as contas do mês. Entre eles, destacam-se eliminar dívidas, evitar a inadimplência e fazer investimentos para realizar projetos e sonhos. Pensando nisso, uma dica importante é a reserva de emergência.

Ela visa trazer mais tranquilidade para a sua vida financeira, pois é um montante que deve ser destinado para as situações emergenciais. Se você perder o emprego, por exemplo, saberá que pode contar com esse dinheiro para arcar com suas despesas durante o tempo.

O ideal é manter um montante equivalente a, pelo menos, 6 meses do seu custo de vida. Você pode deixar essa reserva em investimentos de liquidez imediata, que são aqueles que permitem fazer o resgate do dinheiro a qualquer momento.

Organizar as contas do mês pode parecer uma tarefa difícil para muitos. Mas, como você viu, é possível fazer isso de um jeito simples. Então não perca mais tempo e comece a seguir as dicas que viu aqui!

Gostou deste artigo? Continue aprendendo e descubra como montar a sua reserva de emergência agora mesmo!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *