Quem investe e pretende aumentar seu patrimônio financeiro com certeza já ouviu as nomenclaturas consultor CVM e agente autônomo. Trata-se de dois profissionais diferentes, mas muitos não sabem diferenciá-los e outros até pensam que possuem as mesmas atribuições.

Há alguns anos, a CVM deu novas diretrizes diferenciando as atividades dos consultores e dos agentes autônomos e de outros cargos, como os gestores.

Se você investe há tempos ou pretende começar a investir, saber as funções de cada cargo pode ser interessante. Leia o artigo e saiba a diferença entre esses dois profissionais!

Acompanhe!

O que é um consultor de investimentos?

O consultor de valores mobiliários é uma pessoa física ou jurídica que presta serviços com objetivo de orientar, recomendar ou aconselhar sobre investimentos no mercado de valores mobiliários. Esse profissional realiza trabalhos de forma individual e independente.

Sua função consiste em identificar as necessidades, interesses, preferências e perfil de risco para oferecer conselhos que mais se adequam aos objetivos dos seus clientes. Dessa forma, o consultor os orienta de forma personalizada, guiando-os sobre os investimentos disponíveis que mais se adequam ao perfil de cada um.

Embora o consultor dê esses aconselhamentos, cabe ao cliente decidir se acata ou não as dicas e se segue as orientações recebidas.

Um consultor de investimentos não pode trabalhar e ter registro como agente autônomo de investimento.

Como uma pessoa se torna um consultor de valores mobiliários?

A profissão é regulada pela Comissão de Valores Mobiliários. Para se tornar um consultor CVM, você deve, antes de tudo, ser um consultor credenciado junto à própria CVM. Para poder exercer a função e ter o registro, você deve ter os seguintes requisitos:

  • ser domiciliado no Brasil;
  • ter se graduado em algum curso de nível superior;
  • aprovação em um exame de certificação que seja aceito pela CVM;
  • reputação ilibada;
  • não ter condenação criminal.

Em relação ao exame que deve ser obrigatoriamente feito, é imprescindível ter um conhecimento elevado em mercado de capitais.

Vale repetir: antes de realizar qualquer prova, procure a respeito e veja se a certificação de consultor de valores mobiliários escolhida seja aceita pela Comissão de Valores Mobiliários.

O que é um agente autônomo de investimentos?

O agente autônomo de investimentos é um profissional que trabalha com:

  • captação de clientes;
  • recepção, registro e transmissão de ordens para os sistemas de negociação;
  • oferecimento de informações sobre os produtos disponíveis e sobre serviços prestados pela instituição integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários que contratou o profissional.

O agente autônomo atua como pessoa física, por meio de uma instituição criada com esse objetivo, e deve realizar suas funções sempre através de uma sociedade integrante do sistema de distribuição de valores mobiliários, na qual atua como preposto.

Ou seja, apesar do nome, esses profissionais não são completamente “autônomos”, pois precisam sempre prestar seus serviços vinculados a uma instituição financeira e indicam somente produtos que a instituição à qual ele está vinculado oferece.

A profissão também é regulada pela CVM. Esses profissionais podem tirar dúvidas e orientar os investidores sobre os produtos, mas não podem de maneira alguma sugerir investimentos e dar opiniões pessoais, como os consultores financeiros.

Como ser um agente autônomo de investimento?

Para se tornar um agente autônomo, você precisa passar na prova da Ancord. Esses exames são diários e ocorrem no país inteiro, bastando apenas agendá-lo e prestá-lo – depois de estudar muito.

Com a aprovação, você poderá retirar seu certificado depois de enviar diversos documentos para a Ancord. Com esse certificado em mãos, poderá pedir seu credenciamento junto à CVM.

Qual a diferença entre esses dois profissionais?

Como dito, a maioria dos investidores não sabem exatamente as funções de cada profissional. As regras são claras para cada um, mas ainda assim é possível fazer confusões.

Enquanto o consultor de investimentos pode recomendar, orientar e aconselhar sobre qualquer tipo de investimento disponível no mercado financeiro, o agente autônomo pode somente explicar e indicar os produtos oferecidos pela instituição que o contratou.

O consultor de investimentos CVM é remunerado pelo cliente quando faz suas recomendações em relação aos investimentos. Esse profissional não pode ter vínculo com nenhuma instituição que presta os serviços financeiros. Ou seja, trata-se de um profissional completamente independente.

Por outro lado, o agente autônomo não é remunerado pelo cliente, mas sim pela instituição financeira que o contratou. O profissional pode esclarecer dúvidas sobre os investimentos da instituição e como está vinculado a esse estabelecimento, não pode atuar de maneira independente, como um consultor atuaria.

O consultor de investimentos atua como um profissional autônomo e sua remuneração depende do número de clientes que adquire e que o pagam para receber seus aconselhamentos.

O agente autônomo recebe pela instituição que trabalha e pode receber remunerações maiores se conseguir fazer os clientes investirem em determinado produto que a instituição oferece.

Cabe ainda comentar brevemente sobre mais um profissional, que é o gestor de valores mobiliários, apenas para conhecimento.

O que é o gestor de valores mobiliários?

O gestor de recursos, como também é chamado, pode tomar decisões e operar os investimentos em nome do cliente, tarefa que o agente autônomo e o consultor financeiro não podem fazer.

Quando um cliente contrata um gestor, ele está dando permissão para esse profissional decidir pelo cliente e utilizar as estratégias que foram combinadas antes com o cliente.

Ou seja, o gestor não aconselha nada sobre investimentos e nem sugere investimentos de uma instituição específica. Geralmente, esse profissional é contratado quando o cliente já sabe o que precisa, sendo remunerado para cuidar de suas operações financeiras.

Por que é importante diferenciar o consultor CVM do agente autônomo?

Agora que você viu a diferença, deve se perguntar: “na prática, por que devo saber a diferença entre esses profissionais?”. Simplesmente porque você pode precisar de um determinado tipo de serviço e, caso isso aconteça, saberá a qual profissional recorrer.

Saber o que cada profissional pode fazer lhe poupará tempo e dor de cabeça, pois você não perderá seu tempo buscando a ajuda de um profissional que não pode lhe dar o resultado esperado numa determinada situação.

Diferenciar o consultor CVM e o agente autônomo é o primeiro passo para quem deseja investir. Isso porque o investidor saberá a qual profissional recorrer, caso seja preciso, e pode focar suas energias nas estratégias para melhorar os seus rendimentos.

Quer aprender a investir com eficiência? Então acompanhe o nosso canal do Youtube e saiba fazer seu dinheiro trabalhar para você!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *