Inúmeras são as opções de aplicações financeiras à disposição de quem deseja aplicar seu dinheiro e, daqui a um tempo, resgatar o valor investido com as devidas correções e certa margem de retorno. Mas o que muitas pessoas desconhecem é que muitas das formas de investimento têm um ponto em comum: os custos para investir.

Fundos de investimento, Tesouro Direito, CDB, LCI, LCA, Títulos públicos e outros produtos e serviços financeiros têm custos embutidos, mas que, por vezes, são desconsiderados pelo investidor na hora de escolher uma modalidade de aplicação.

Mas você sabe quais são esses custos para investir o seu dinheiro? Fique de olho no post de hoje e tire todas as suas dúvidas!

Quais são as principais taxas e custos para investir?

Taxa de administração

Quando o investidor aplica seu dinheiro em um fundo de investimento ele se somará aos recursos depositados por outros investidores (cotistas). O valor gerado será gerido por gestores especializados e autorizados pela CVM, que escolherão onde os recursos serão direcionados — o que evita conflitos de interesses e uma melhor eficiência na gestão de fundos. No entanto, tudo isso tem um custo: a taxa de administração.

De forma simplificada, a taxa de administração é um custo com base anual, cuja cobrança ocorre mensalmente sobre o patrimônio médio do fundo de investimento. A taxa de administração tem influência direta na rentabilidade do capital de investimento uma vez que “quanto maior for a taxa, pior será para o investidor”.

Vale destacar que o estabelecimento da taxa de administração deve, obrigatoriamente, estar explícita no regulamento e prospecto do fundo, bem como em materiais destinados à venda.

Além disso, quaisquer aumentos referentes à taxa de administração devem ser aprovados em assembleia. Por isso, o investidor precisa ficar atento aos custos cobrados e se há equilíbrio entre as condições de mercado, distribuição e rentabilidade.

Taxa de performance

Geralmente, é cobrada em fundos de investimentos, por exemplo, fundos de ações ou multimercados. A taxa de performance é aplicada na rentabilidade do fundo, o que significa remunerar pelo seu desempenho, diferentemente da taxa de administração que incide sobre o patrimônio do fundo e que remunera nos momentos de perdas e ganhos.

Vale destacar que os fundos que cobram taxa de performance também cobram taxas de administração. Mas nem todo fundo pode cobrar taxa de performance, segundo regras da classificação da CVM:

Não podem cobrar: os fundos de curto prazo, referenciados e os de renda fixa de curto prazo; Podem cobrar: fundos de renda fixa de longo prazo, fundos cambiais, os fundos da dívida externa e os fundos multimercados.

Algumas regrinhas básicas das taxas de performance:

  • A taxa deve ser cobrada em ciclos mínimos de 6 meses, ou seja, somente semestralmente, anualmente ou de periodicidades maiores;
  • O benchmark (índice de referência) deve estar de acordo com o objetivo do fundo, por exemplo, fundo de ações tem que usar o índice de ações como benchmark, não sendo permitido o uso de taxas de juros ou de câmbio;
  • O fundo deve usar 100% do benchmark.

Taxa de carregamento

A taxa de carregamento é aplicada em planos de previdência privada como, por exemplo, PGBL e VGBL, cujo percentual fica limitado a 10%, podendo incidir na primeira contribuição ou no momento do resgate do valor aplicado.

Muitas seguradoras atualmente não cobram a taxa de carregamento. No entanto, antes de qualquer decisão é importante verificar qual a incidência desta taxa, já que quanto maior ela for, menor será a rentabilidade do valor aplicado e, consequentemente, do benefício mensal no futuro.

O ideal é que não haja a taxa de carregamento e que a taxa de administração seja abaixo de 2% ao ano.

Taxa de custódia

É uma taxa cobrada mensalmente e também debitada diretamente da conta do investidor. Para manter seus cadastros e suas operações registradas em seus sistemas de home broker ou mesa de operações, boa parte das instituições financeiras cobram a taxa de custódia.

De maneira geral, a taxa de custódia cobre custos operacionais das instituições junto à CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia), porém não é uma cobrança obrigatória. Algumas instituições, inclusive, não cobram taxa de custódia dos seus clientes.

Taxa de corretagem

É uma taxa cobrada pelas instituições financeiras, cujo valor pode ser fixo ou variável (percentual sobre a operação) e proporcional ao volume total de operações realizadas com ações ou no mercado futuro.

Emolumentos

Em geral, são custos percentuais cobrados pela BM&Bovespa para cobrir os custos operacionais gerados com as transações financeiras no mercado de ações e futuro.

Quais taxas e impostos incidem sobre os principais tipos de investimento?

Poupança

A poupança é a tradicional e mais conhecida forma entre os brasileiros de guardar dinheiro. A grande vantagem é que ela é isenta de Imposto de Renda e Taxas de Administração. Contudo, apesar de não existir nenhuma cobrança formal, os rendimentos sobre o capital aplicado são baixíssimos, já que com a taxa de juros alta a poupança mal consegue cobrir a inflação.

Como a rentabilidade da poupança é atribuída mensalmente, no caso do aplicador retirar antes, todo o rendimento acaba sendo perdido — o que é uma grande desvantagem.

Tesouro Direto

É cobrado anualmente pela BM&FBovespa a Taxa de Custódia, referente a 0,25% sobre o valor dos títulos, além de eventuais Taxas de Administração, que podem ou não ser cobradas pelas instituições financeiras.

Vale destacar que sobre o Tesouro Direto incide a tabela do Imposto de Renda regressiva, cujas alíquotas variam conforme o período que o dinheiro fica aplicado, podendo ser de 22,5% para aplicações de até 6 meses a 15%, para aplicações acima de dois anos.

Além das taxas, aplicações no Tesouro Direto também incidem o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), caso o investidor resgate os recursos aplicados em menos de 30 dias.

CDB

Nesta caso, não existe a cobrança de taxas, uma vez que o dinheiro está apenas sendo emprestado para o banco. No caso do Imposto de renda e o IOF as regras são as mesmas do Tesouro Direto. Em corretoras, pode existir também a taxa de custódia de renda fixa para os CDBs.

Fundos de Investimento

Para quem deseja aplicar nos fundos de investimento, é importante saber que esta modalidade de investimento cobra uma taxa de administração, como já falamos, e a taxa de performance.No caso da cobrança do imposto de Renda, é aplicada a tabela regressiva, com exceção dos fundos de ações — cuja alíquota equivalente é 15% (única) sobre os rendimentos.

No caso dos demais fundos, a regra é o chamado “come-cotas”, ou seja, há o recolhimento antecipado do IR realizado no último dia útil dos meses de maio e novembro. No caso do IOF, a regra é a mesma do Tesouro Direto.

LCI/LCA

O custo para o investidor sobre o capital aplicado é a incidência da taxa de custódia, que varia conforme a instituição financeira, podendo ou não ser cobrada. Além disso, caso o investimento seja realizado por pessoa física, o investidor é isento do Imposto de Renda.

Letra de Câmbio

Os custos sobre as aplicações em Letra de Câmbio se referem ao Imposto de Renda, cuja incidência leva em consideração a tabela regressiva, cujas alíquotas variam de 22,5% para aplicações até seis meses a 15% para aplicações acima de dois anos. Além do IR, também é cobrado o IOF para resgastes com menos de 30 dias.

Em corretoras, pode existir também a taxa de custódia deste título de renda fixa.

Ações

No caso das ações, os principais custos que incidem sobre os investimentos são emolumentos, para cobrir custos de operação (cobrado pela própria bolsa); a taxa mensal de custódia, cobrada pela CBLC e a taxa de corretagem, cobrada pela instituição. Esta taxa de corretagem pode ser fixa ou proporcional ao valor das operações feitas na bolsa.

Vale destacar que, para quem investe em ações, o imposto de renda é de 15% sobre o rendimento líquido na venda das ações, pago apenas na venda dos papéis. Já para quem faz “daytrade”— compra e venda das ações no mesmo dia, a mordida do Leão é de 20%.

Fique de olho nos custos para saber exatamente o que cada investimento pode lhe proporcionar de retorno e acompanhe estas cobranças na hora de fazer seus aportes. Afinal, conhecer e monitorar o nosso dinheiro e os nossos investimentos nunca é demais, não é mesmo?

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

 

Artigo publicado em 08/09/2016. Atualizado em 10/04/2019.

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. User    

    Voce disse num video no youtube que podemos investir em tesouro direto pelo banco, nao precisando se inscrever em uma corretora, o que me tiraria os rendimentos pela cobrança das taxas de custodia. Mas qual banco e o melhor?

    1. André Bona    

      Não disse isso em hipótese alguma.
      Bancos também cobram taxa de custódia (e mais cara que as das corretoras) para investimentos via tesouro direto.
      Abs,

  2. Claytor    

    Olá André!

    Atualmente tenho somente investimentos em Renda Fixa. Mas tenho estudado os investimentos em ações. Ao analisar os custos de minha corretora, percebi que ela cobra 10 reais por ordem executada. Todavia, aparece que “é exigida uma corretagem mínima mensal de R$ 30,00 equivalente a três ordens executadas”.

    Nesse caso me pareceu meio abusivo, correto? Encontrarei corretoras que não exigem n mínimo correto?

    Desde ja agradeço seu trabalho! Tem esclarecido muitas dúvidas sobre investimentos!

    1. Alan    

      Tenho a mesma dúvida que você Claytor, estamos juntos esperando a resposta do André.

    2. André Bona    

      Olá!
      Não é que seja abusiva. Cada corretora possui sua política de preços e algumas se adaptam mais a alguns investidores do que a outros. Sem duvida, nesse caso, me parece que se vc usar uma corretora que possua até mesmo um custo de corretagem um pouco maior, mas que não te cobre custodia ou mesmo corretagem mínima, será mais barato para você. Abs,

      1. Alan    

        Uau, muito obrigado pela dica André foi “matadora”, pois eu estava olhando agora qual a melhor corretora para investir em ações, porém não tinha pensado na importância tão grande da taxa de custódia ser isenta, não pretendo fazer muitas operações logo seria um pouco difícil ter que pagar uma “mensalidade” para a corretora pra não fazer nada em alguns meses. Parabéns pelo blog e o canal no youtube sempre acompanho ambos.
        Abraço

  3. Alan    

    Uau, dica “matadora”, pois estava pesquisando em qual corretora poderia começar a investir em ações com taxas menores, mas não tinha focado na importância da isenção da taxa de custódia, pois pretendo faze pequenas aplicações e poucas corretagens, e a cobrança da taxa de custódia poderia inviabilizar ou me dar prejuízo por ter que pagar uma “mensalidade” e não fazer nada em alguns meses. Parabéns pelo blog e o canal no youtube acompanho ambos.
    Abraço

  4. Marcis lisiane Rubas lethsm    

    Gostaria de saber onde investir. nunca investi.so como os demais brasileiros so faço divida. Obrigada

  5. Marcelo Rosa    

    André, gostei muito do conteúdo. Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *