Você deseja investir no mercado financeiro para aumentar seu patrimônio, mas ainda está em dúvidas sobre qual investimento escolher ou se é possível investir com pouco? Anda meio perdido, buscando entender como investir com segurança?

Saiba que estas dúvidas são normais entre os investidores iniciantes, e até mesmo entre aqueles que já têm alguns poucos investimentos. Porém, na hora de investir, mais do que conhecer a fundo o mercado, as estratégias disponíveis e os produtos de investimento para aportes, o investidor deve se atendar aos mitos sobre mercado financeiro que se conta por aí.

Por isso, no artigo de hoje, desvendaremos 8 mitos sobre investimentos no mercado financeiro. Confira!

1. Bons investimentos permitem enriquecimento rápido

Para ganhar muito dinheiro com investimentos no mercado financeiro é preciso paciência, disciplina e aportes frequentes. E você não irá ganhar somas exorbitantes de dinheiro da noite para o dia.

Na hora de aportar pensando no futuro, considere investimentos de longo prazo que possuam expectativa de retornos melhores e com menos custos (o imposto de renda, por exemplo, diminui ao longo do tempo). Mas atenção: se o intuito é enriquecer mais rápido, você precisa fazer o seu dever de casa. E o seu dever de casa é continuar guardando e investindo o máximo possível de dinheiro todo mês.

2. Só se investe com muito dinheiro

Certos investimentos realmente exigem um capital inicial mais alto. Mas existem aplicações nas quais é possível investir pouco. O Tesouro Direto é uma delas.

Existem ações no mercado financeiro, por exemplo que também têm preços baixos e podem ser opções interessantes para o investidor. Considere também, por exemplo, investir em fundos de índice ou de ações, que não exigem rios de dinheiro para cada aporte.

Evidentemente, quanto mais recursos um investidor possui, maior a possibilidade de acessar opções de investimento diferenciadas. Mas lembre-se sempre que existe uma relação entre o valor que você investe e o rendimento a ser obtido: quanto mais alto seu investimento, maiores as chances de obter melhores resultados.

Mas não é preciso ter tanto assim para aplicar. Comece com pouco e, à medida que for se familiarizando com o investimento, aumente os aportes. Vá com paciência que você chega lá.

3. Poupança é um bom investimento do mercado financeiro

Há muitos anos, colocar dinheiro na poupança realmente valia a pena. Muitas pessoas viviam até mesmo da renda que ela proporcionava! Mas, infelizmente, esse tempo passou.

Atualmente a poupança não é recomendada por nenhum especialista. Com um rendimento mensal muito baixo, ela não pode ser considerada um investimento rentável nem no curto e nem no em longo prazo.

Além disso, a tão elogiada segurança que a poupança proporciona (investimento sem risco) foi colocada em dúvida desde o dramático episódio ocorrido no governo Collor (1990 a 1992), quando o dinheiro de todos os poupadores foi confiscado. Da mesma forma, a garantia de poder de compra com a poupança também não é 100% confiável, pois frequentemente perde da inflação.

4. Apenas pessoas muito inteligentes podem investir

Outro mito. Claro que tudo exige conhecimento, mas não há um mistério tão grande assim em investir seu dinheiro. Com paciência e dedicação é possível entender o mercado de investimentos sem problemas.

No caso de fundos de investimentos, por exemplo, existem profissionais que ficarão responsáveis por sua carteira de investimentos. E você mesmo aprenderá à medida que for participando e se informando sobre o assunto.

Claro que você deverá sempre tomar cuidado e estar preparado para eventuais perdas. Evite deixar-se levar pela conversa de supostos “estrategistas” financeiros, que podem estar somente querendo tirar alguma vantagem nesta história.

Qualquer pessoa pode investir em fundos de investimento do mercado financeiro. Procure uma instituição financeira idônea, peça informações e faça uma aplicação confiável. Os fundos, por exemplo, são boas formas de investimento para iniciantes, já que são diversificados e permitem maior flexibilidade de montantes mínimos e aportes mensais.

5. Liquidez diária é fundamental no investimento

Investir em longo prazo permite lucros maiores. Mas é fundamental ter em mente que esse investimento deve demorar.

Dessa forma, não será permitido (ou recomendável) sacar parcelas do dinheiro a qualquer momento. Isso compromete a rentabilidade e a disciplina financeira do investidor (é como mexer no seu “porquinho” todo dia para tirar algumas moedas – ele nunca vai ficar realmente “gordinho”).

Você deve ter em mente, entretanto, que não é preciso que todos os seus investimentos tenham alta liquidez. Basta que você tenha ao menos parte da sua carteira aportada em produtos que permitam saques para eventuais emergências. Estes serão sua reserva de emergência.

A escolha de quanto e onde investir dependerá do perfil do investidor e dos objetivos de investimento. Procure diversificar seu portfólio, separe uma parte para investir em produtos de alta liquidez mas também permita-se tirar algum benefícios dos investimentos menos líquidos, que poderão ser mais rentáveis.

6. Imóvel é um dos investimentos mais seguros

Apesar do perfil “permanente” dos imóveis, eles também estão sujeitos às oscilações de preço. Assim como outros produtos financeiros, casas, apartamentos e terrenos também fazem parte de um processo cíclico: existem períodos bons e outros ruins, de preço baixo.

Em muitas cidades, em alguns períodos, imóveis apresentaram rentabilidade real negativa! Além disso, existe a questão da imobilização de patrimônio, que pode ser um grande problema em situações emergenciais.

Portanto, se você ainda acredita que imóvel é um dos investimentos mais seguros a serem feitos, talvez seja o momento de repensar sua estratégia.

7. Investimento em renda fixa é totalmente seguro

Fique ciente de que não existem investimentos sem risco. Investimentos em renda fixa oferecem menos riscos que outros investimentos de renda variável. Mas há 3 riscos que afetam as aplicações de renda fixa:

  • Crédito
  • Mercado
  • Liquidez

O primeiro risco é o emissor do título não cumprir sua parte e não te devolver o montante investido com os juros. Alguns investimentos de renda são garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito, o que confere certa proteção, até R$ 250 mil por CPF, por instituição financeira, limitado a um valor global de R$ 1 milhão.

O segundo diz respeito às oscilações naturais de mercado, que podem tornar o investimento muito ou pouco vantajoso, especialmente quando um investidor não leva um título de renda fixa longo até o seu vencimento.

Quanto à liquidez, trata-se da facilidade ou dificuldade de negociar o título no mercado e transformá-lo em dinheiro vivo. Apesar de a liquidez não ser obrigatoriamente um requisito fundamental em um investimento, muitas pessoas não conhecem as limitações da renda fixa e acreditam que poderão resgatar o dinheiro a qualquer momento, inclusive vendendo os títulos que possuem com bons lucros.

8. Títulos indexados à inflação são sempre os melhores

Nem sempre isso acontece. Esperamos que os títulos indexados à inflação sempre gerem boa rentabilidade e garantam nosso poder de compra. Eles são remunerados de acordo com uma taxa definida no momento da compra mais a correção oferecida pelo IPCA (inflação).

Mas fique sempre alerta: o objetivo de quem investe em títulos atrelados ao IPCA é manter uma boa rentabilidade real (acima da inflação) e não conquistar, necessariamente, a melhor rentabilidade nominal.

Em diversos momentos, em função da marcação a mercado, títulos de longo prazo atrelados ao IPCA podem sofrer variações bruscas e até mesmo apresentar rentabilidades negativas, se o investidor precisar efetuar resgates antes do vencimento.

Por isso, na hora de fazer seus investimentos, considere todas as oportunidades e possibilidades disponíveis e verifique quais delas atendem às suas metas pessoais e ao seu perfil enquanto investidor. E jamais se esqueça que existem inúmeros mitos sobre mercado financeiro, que não devem ser levados em consideração na hora da formação da carteira de investimento e nas decisões de investimento de maneira geral.

E você, já caiu em algum destes mitos sobre mercado financeiro? Deixe seu comentário e compartilhe conosco suas experiências!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Artigo publicado em 25/08/2016. Atualizado em 04/04/2019

Autor

Equipe André Bona

Nosso site é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Ronan    

    Olá André, estou sempre ligado nas suas dicas. Minha dúvida atual é até qual taxa ainda vale apena investir no ipca+. Aproveitei a época dos 7, 36% e sempre aplico todo mês pensando na aposentadoria. Agora ando meio perdido onde aplicar, porque quando a inflação baixar, qual taxa ainda vai valer apena. (5, 4)? É para médio e curto prazo? Abs

  2. antonia    

    gostei da dicas, são muito boas.

  3. Leonardo    

    É isso aí Bona!
    Não há carta marcada…
    É necessário compreender o mercado, os produtos e o principal o que se deseja alcançar para melhor investir seus recursos.
    Lembrando que em matéria de investimentos tudo é cíclico!
    Obg por este material!

  4. Mara    

    Como sempre, muito boa as dicas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *