Você já ouviu falar no dividendo sintético? Muitos investidores buscam receber uma renda com os investimentos, ganhando dinheiro com o tempo sem precisar fazer resgates. Além dos proventos recebidos por ações ou fundos, os dividendos sintéticos podem ajudar.

Contudo, é preciso saber se essa maneira de receber renda passiva com investimentos pode fazer sentido para a sua estratégia. Para descobrir, é fundamental que você entenda o que é o dividendo sintético e como ele funciona.

A seguir você descobrirá o que são dividendos sintéticos, seu funcionamento, vantagens e riscos envolvidos. Não perca!

O que são dividendos?

Antes de entender os dividendos sintéticos, você deve saber o que são dividendos no mercado financeiro. Esse conceito diz respeito a um ganho repassado aos investidores em dinheiro, oriundo da distribuição de lucros em certos investimentos.

Para ilustrar melhor, é possível pensar nas ações. Elas representam uma fração do capital social de uma empresa listada na bolsa de valores. Ao investir em uma ação, o investidor passa a ser mais um sócio da companhia, expondo-se aos seus resultados e riscos.

Então, por conta dos resultados da empresa emissora dos papéis, os investidores podem ficar mais ou menos interessados em adquirir suas ações. Com a alta demanda, o preço das ações tende a subir, pois elas são limitadas.

Por outro lado, também há movimentos de queda, principalmente quando investidores decidem se desfazer desses papéis ou não há interessados na compra — aumentando a oferta. Logo, os investidores podem ganhar ou perder dinheiro ao vender uma ação.

Além disso, as empresas são obrigadas por lei a distribuir dividendos. Eles são um tipo de provento e tratam da divisão de parte do lucro obtido no período. Apesar da obrigatoriedade, cada empresa pode escolher a proporção que será distribuída entre acionistas.

Dessa forma, os detentores das ações receberão os dividendos de forma proporcional ao número de papéis que possuem. A distribuição deve acontecer pelo menos uma vez por ano, mas há empresas que optam por distribuir em menos tempo.

Vale saber que não são apenas as ações que distribuem dividendos. Os fundos de investimento imobiliário também devem distribuir parte dos seus ganhos entre os seus cotistas. Nesse caso, deve acontecer de forma semestral.

Como funciona o mercado de opções?

Você já aprendeu o que são os dividendos, então agora é possível entender o conceito de dividendo sintético. Ele diz respeito ao recebimento do prêmio ao fazer o lançamento coberto de opções de ações que um investidor possui.

Parece complicado, mas entendendo o mercado de opções você conseguirá visualizar o dividendo sintético. Esse ambiente da bolsa de valores negocia derivativos: as opções. Elas são direitos de compra ou venda de ativos — geralmente, ações.

Ao adquirir o derivativo, é feito um acordo de compra ou venda de um ativo-objeto com um preço específico e em um prazo determinado. Dessa maneira, na data futura combinada, uma das partes poderá exercer seu direito de compra ou venda determinada, caso seja vantajoso.

Para isso, o tomador (que compra a opção) precisa pagar um prêmio para o lançador (que a vende). Ele funciona como uma remuneração pelo direito de compra ou venda. Esse prêmio deve ser pago em qualquer situação, e não é devolvido se você não exercer seu direito.

Como se trata de um direito, e não de uma obrigação, cabe ao tomador decidir se a opção é interessante. Se não for, é possível deixar o prazo de vencimento passar e ela “vira pó”, como se diz no mercado financeiro.

Exemplo prático

Imagine que uma ação está cotada a R$ 51 no mercado à vista e é lançada uma opção de compra por R$ 50 para um prazo futuro. Um operador avalia que, nessa data, a ação tende a estar cotada a R$ 55, e decide se posicionar nessa opção de compra.

Ao chegar à data combinada e a tendência se confirmar, ele poderá exercer a sua opção e comprar a ação, pois o preço está vantajoso. Mas se a previsão não se confirmar e a ação estiver mais barata no mercado à vista, é possível evitar maiores prejuízos deixando a opção expirar.

Como funcionam os dividendos sintéticos?

Agora que você já entendeu o funcionamento do mercado de opções, poderá saber como funcionam os dividendos sintéticos. Ao adquirir uma opção, o tomador precisa pagar o prêmio ao lançador, certo?

Desse modo, os dividendos sintéticos são o recebimento desse prêmio. No entanto, é preciso ficar atento às duas situações possíveis — tendo como exemplo uma opção de compra ao chegar o prazo final:

  • o tomador pode não exercer a sua opção de compra. Assim, quem fez o lançamento coberto receberá o prêmio, mas não precisará entregar suas ações;
  • o tomador exerce o poder de compra. Nessa situação, quem fez o lançamento coberto também recebe o prêmio, mas terá que entregar as ações pelo preço combinado na opção.

Ou seja, diferente dos dividendos comuns, aqui há a possibilidade de o investidor ter que vender as suas ações ao fazer o lançamento de opção. E isso pode não ser vantajoso para você. Logo, é necessário considerar as particularidades do mercado antes de usar essa estratégia.

Vale considerar, no entanto, que também é possível lançar opções de venda. Nesses casos, o lançador faz o lançamento do derivativo acreditando na queda do papel. Assim, ele pode receber o prêmio e, se a ação cair, ele tem a possibilidade de comprar o ativo mais barato no mercado.

Quais as vantagens e riscos dessa estratégia?

Ao conhecer os dividendos sintéticos, é preciso entender suas vantagens e riscos para avaliar essa possibilidade. Nesse sentido, um dos benefícios é a possibilidade de gerar renda com suas ações.

Ou seja, quem procura receber dividendos, mas as ações na carteira não contam com o resultado esperado, pode potencializar esse recebimento. Assim, o investidor recebe o prêmio pelo lançamento coberto e gera os dividendos sintéticos.

Como os dividendos não dependem de um esforço ativo do investidor, ou seja, da venda do seu trabalho, eles são uma renda passiva. No entanto, é preciso considerar os riscos envolvendo as opções.

O primeiro deles você já viu: se o tomador decide exercer seu direito, você poderá ter prejuízos em determinadas situações.  Considere, ainda, a liquidez das ações. Afinal, o ideal é ter o papel em carteira na data do exercício de uma opção de compra.

Como ter dividendos sintéticos?

Depois de ponderar todas as vantagens e riscos dos dividendos sintéticos, é preciso considerar seu perfil de investidor e objetivos. Se você avaliar que eles podem fazer sentido para o seu perfil, o primeiro passo é abrir uma conta em um banco de investimentos.

Ele disponibilizará o acesso ao home broker para fazer suas negociações na bolsa de valores, incluindo a compra e venda de ações e de opções. Assim, você conseguirá fazer o lançamento coberto e receber os dividendos sintéticos.

Como você viu, o dividendo sintético é uma maneira de obter renda passiva por meio das suas ações em carteira. No entanto, é fundamental avaliar todos os riscos dessa estratégia e pautar suas decisões em seus objetivos financeiros.

Ficou interessado em investir em ações e receber dividendos? Então abra já sua conta no BTG Pactual, o maior banco de investimentos da América Latina!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *