As fraudes bancárias, apesar de serem um grande problema, existem há anos. E, com o advento da tecnologia, as práticas fraudulentas e os estelionatos aumentaram ainda mais.

Sendo assim, se tornaram muito comuns as fraudes realizadas pelos telefones celulares. Pode ser que você, inclusive, conheça alguém que tenha passado por alguma situação dessas. Ou mesmo já tenha sido abordado por indivíduos tentando lhe prejudicar, seja por mensagens no telefone, ligações ou pelas redes sociais.

Acompanhe a leitura do artigo, entenda melhor o assunto e veja como se proteger de uma situação como essa!

O que é fraude bancária?

Considere fraude bancária qualquer situação realizada por um terceiro que, de forma fraudulenta, tem a intenção de atingir o patrimônio de alguém para conseguir uma vantagem ilícita.

Essa prática pode também ser considerada crime de estelionato, no qual um indivíduo atua para conseguir, por exemplo, dados bancários ou o dinheiro da conta da vítima.

Quais as situações de fraude bancária mais comuns?

Esses criminosos podem agir de diversas maneiras distintas para conseguir atingir seus objetivos. Confira abaixo algumas formas bastante comuns de atuação desses indivíduos:

Representantes ou atendentes de bancos

São comuns ações fraudulentas nas quais os estelionatários se passam por representantes de bancos, principalmente no telefone, podendo ocorrer também nas redes sociais.

Além disso, é possível encontrar aqueles que atuam de forma presencial, fingindo ser um funcionário da instituição financeira que ajuda as pessoas nos caixas eletrônicos, por exemplo.

Golpe com motoboy

Esse é mais recente. Acontece quando um suposto representante de um banco entra em contato por telefone com alguém para confirmar supostas compras realizadas no cartão de crédito.

Nesse caso, os criminosos passam os dados verdadeiros da vítima para fazê-la crer que, de fato, ocorreu alguma movimentação indevida na conta bancária. Sendo assim, os estelionatários “aconselham” a vítima a entregar-lhes o cartão de crédito e, muitas vezes, ainda a senha deste.

Compra com cartão em máquina suspeita

Há situações também nas quais a vítima efetuou um pagamento com seu cartão em uma máquina aparentemente comum, mas com dispositivos prontos para gravar a senha. Alguns equipamentos também podem clonar os cartões das vítimas.

Outras situações

Além das ligações telefônicas, existem fraudes bancárias que envolvem o uso de mensagens do estilo SMS. Elas são enviadas para diversas pessoas, com o intuito de se passar pela própria instituição bancária pedindo os dados das contas dos indivíduos e até a senha do cartão.

Com a utilização da internet cada vez mais difundida, surgiram também golpes nos quais há a criação de um aplicativo falso de celular utilizado para conseguir os dados bancários de terceiros.

Além disso, é comum receber mensagens de celular avisando a vítima que ela teria ganhando um suposto prêmio e pedindo para entrar em contato informando as informações bancárias, dentre outras inúmeras maneiras.

Como se proteger de fraudes bancárias?

Felizmente, há algumas práticas que você pode adotar para se proteger dessas situações. A mais básica de todas é: sempre desconfie.

Se alguém lhe oferecer ajuda para utilizar o caixa eletrônico em uma agência física, por exemplo, certifique-se se ela está com algum crachá ou uniforme de identificação que prove que realmente é um funcionário do banco.

A segunda premissa é: se alguém entrar em contato com você, não passe seus dados ou continue a conversa, por mais verdadeira que possa parecer. Se isso acontecer, desligue e entre em contato com a instituição por um número oficial para saber se há algo errado.

Quem aplica golpes por telefone são experts e utilizam programas que podem modificar o número que aparece na tela do celular da vítima. Além disso, muitas ligações podem começar com o estelionatário apavorando a vítima, deixando-a com uma sensação de urgência para resolver o problema.

Tenha em mente que instituições financeiras nunca ligam pedindo a senha do cartão ou dados pessoais da conta.

Por fim, em relação às mensagens por SMS, desconfie de todas elas. Inclusive daquelas que dizem que você tem um prêmio a receber.

Como identificar um golpe pelas redes sociais?

Apesar das diversas práticas fraudulentas via telefone ou mensagem, as redes sociais também se tornaram palco para esse tipo de golpe. Então, como se proteger nas mídias digitais?

Infelizmente, nesses meios os criminosos podem criar perfis com o mesmo nome, foto e até o modo como a marca se comunica com seus clientes. No entanto, a abordagem pode não ser no sentido de causar pânico ao usuário, mas sim oferecer uma oferta ou proposta que pareça imperdível, como um empréstimo incrível.

Entenda que nenhum banco entra em contato com as pessoas oferecendo dinheiro depois de recolher dados da conta por telefone. Propostas de empréstimos devem ocorrer na agência ou por meio do aplicativo do banco escolhido. Para isso, certifique-se que a aplicação utilizada é a oficial, a qual pode ser encontrada na página do banco.

Ainda, lembre-se de verificar se as redes sociais do seu banco têm o selo de verificado ao lado do nome do perfil.

O mesmo cuidado vale para o WhatsApp. Nenhuma instituição entrará em contato oferecendo algo e solicitando os dados bancários. Analise com cuidado, pois atualmente todas as propostas ocorrem dentro do aplicativo da instituição.

Outras dicas de segurança na internet

Além do que foi dito, vale alguns reforços para evitar cair em ciladas. São eles:

  • nunca compartilhe dados nas redes sociais;
  • cuide da segurança de seus aparelhos eletrônicos utilizando antivírus e senhas de proteção;
  • evite utilizar redes de wifi suspeitas;
  • crie senhas bem elaboradas para seus aplicativos;
  • monitore sempre as movimentações dos seus cartões e contas.

Qual a responsabilidade dos bancos em caso de fraude bancária?

Segundo o Código de Defesa do Consumidor, a instituição bancária tem o dever de informar ao cliente quando há movimentações estranhas ao cliente. Caso não o faça, poderá ser configurada a má prestação de serviços por parte do banco.

Diante disso, é possível restar configurada a sua responsabilidade. Isso porque as instituições financeiras respondem objetivamente (mesmo sem culpa) por danos causados aos seus clientes. Inclusive, é o que consta na Súmula 479 editada pelo STJ.

Sendo assim, os bancos devem ressarcir vítimas de fraudes bancárias nesses casos, não excluindo o dever de indenização.

O que fazer diante de uma fraude bancária?

Caso perceba que foi vítima de uma fraude bancária, pode ser interessante registrar um boletim de ocorrência. Além disso, conversar com um advogado para saber os passos que devem ser dados a partir desse momento pode ser uma boa alternativa.

Fraudes bancárias sempre foram comuns. Mas, com o uso mais frequente da tecnologia, houve aumento desses golpes, contribuindo também para o surgimento de novas formas desses estelionatos. Portanto, é essencial saber se defender para evitar prejuízos!

Quer continuar aprendendo sobre o tema? Então aproveite e entenda o que são as pirâmides financeiras e como elas funcionam!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Comentários

  1. Luciene    

    Boa noite
    Paguei minha boleta de230.35 valor integral no banco pan peguei a fatura no zap dai fui informada que o zap nao é do banco me pediram pra enviar o comprovante enviei e quase 1 mes depois nao resolveram e me ligam fazendo cobrança o deve fazer sempre que ligo sou informada que esta em analise sendo que o banco so pede 5 dias úteis to desesperada.

    1. Adriana    

      Estou na mesma situação e também com o banco Pan. Entrei em contato pelo whatsapp para quitar uma dívida com o banco e só depois que paguei descobri.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *