As pirâmides financeiras têm voltado a estar nas manchetes das notícias mundiais, inclusive no Brasil. Em geral, algumas empresas ligadas ao mercado financeiro digital têm sido acusadas de práticas desse esquema, causando prejuízos aos investidores.

Porém, as chamadas pirâmides financeiras são bem mais antigas que o mercado digital, e até hoje são defendidas por algumas pessoas, embora sejam ilegais.

Continue acompanhando o artigo para entender o que são e como funcionam as pirâmides financeiras, como é possível identificá-las e, principalmente, como evitar cair em uma destas pirâmides. Acompanhe!

O que são pirâmides financeiras?

As pirâmides financeiras são modelos comerciais nos quais os lucros estão baseados no recrutamento progressivo de pessoas. Esse modelo foi criado nos Estados Unidos pelo italiano Carlo Ponzi, em 1920. Por isso mesmo, é comum também encontrar essa mesma estratégia com a descrição de “esquema Ponzi” ou ainda “pirâmide Ponzi”.

Esse modelo comercial depende, exclusivamente, do recrutamento constante de investidores. É isso que, fundamentalmente, o torna insustentável – já que não existe a produção nem a criação de uma receita, mas apenas o repasse do dinheiro que entra.

É comum também que esse esquema se aproveite de investimentos do momento para chamar a atenção dos possíveis clientes. É o caso do atual modelo de negócio conhecido como Marketing Multinível, que também trabalha com o recrutamento de pessoas, mas é permitido por lei.

As pirâmides financeiras podem apresentar uma estrutura completa e organizada, formando vários níveis, mas sempre com os pagamentos dos investidores sendo através de aplicações feitas pelos novos membros.

Como funcionam as pirâmides financeiras?

A forma mais simples de entender como funcionam as pirâmides financeiras é através de exemplos. Imagine que apareça uma oportunidade de investimento cuja aplicação inicial é de R$ 50,00. A promessa é que, após um mês da aplicação, o lucro obtido seja de R$ 250,00.

O investimento parece bom mas, para que os R$ 250,00 realmente venha, o investidor precisa trazer para o programa novos 10 investidores, que também já começarão a participar do projeto aplicando R$ 50,00.

O grande jogo de uma pirâmide financeira é que essas regras nunca mudam. Ou seja, no exemplo citado acima, todo novo investidor sempre deverá trazer novos 10 clientes para o programa.

E como o nome “pirâmide” não vem do nada, esse esquema de investimento possui camadas que são diferenciadas de acordo com o tempo de participação no negócio, e que definem diretamente a lucratividade recebida.

Assim, a base da pirâmide é o lugar com mais investidores e que, consequentemente, recebem menor, enquanto o meio da pirâmide é formado por aqueles que entraram no esquema logo no seu início. O topo da pirâmide financeira, por sua vez, é constituído por pouquíssimos membros, sendo basicamente as pessoas que inventaram a ideia do esquema.

A insustentabilidade

Voltando ao exemplo anterior, ao entrar no esquema pagando R$ 50,00, o indivíduo levou mais 10 pessoas que também pagaram R$ 50,00. E todos entram sendo base da pirâmide. Do total de R$ 500,00 faturados, o investidor que recrutou os novos 10 clientes receberá o lucro prometido de R$250,00 depois de um mês, enquanto os R$ 250,00 vão para as partes de cima da pirâmide.

E os 10 novos investidores trazidos só terão os mesmos lucros depois de um mês, e com cada um trazendo novos clientes. É por isso também que as pirâmides financeiras são totalmente insustentáveis.

Com novos investidores sempre trazendo mais pessoas para participar do negócio, é comum as pirâmides financeiras atingirem altos valores de investimento em pouco tempo. Mas o grande problema é que nem sempre haverá mais e mais pessoas entrando no negócio.

Pirâmide financeira é crime

Não importa o que os envolvidos com esquemas de pirâmide financeira digam, esse modelo é ilegal, inclusive no Brasil. De acordo com o Ministério da Fazenda, qualquer tipo de negócios em pirâmide é proibido no país.

A lei nº 1.521 de 1951 garante que “obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos (“bola de neve”, “cadeias”, “pichardismo” e quaisquer outros equivalentes)”, é considerado um crime contra a economia popular, com possível punição de 6 meses a 2 anos de detenção.

Como não cair em esquemas de pirâmides financeira?

Embora seja um golpe antigo, a pirâmide financeira ainda faz vítimas no mundo todo. Os danos são prejuízos incalculáveis, financeiros e morais, já que é sempre díficil parava vítima aceitar que “caiu em um golpe”.

Para evitar se envolver em um esquema de pirâmide financeira sem saber, a informação é sempre o primeiro caminho. Além de saber o que é e como funcionam esses esquemas, é importante ficar de olho em outras dicas dos especialistas e até mesmo em sites que trazem uma lista de pirâmides financeiras detectadas em 2019.

Entre as dicas para evitar cair num esquema de pirâmide financeira, destacamos:

  • Pesquise muito sobre quem está oferecendo o negócio, seja uma pessoa ou uma empresa;
  • Desconfie de propostas com investimento baixo, altos lucros e em pouco tempo;
  • Desconfie também de propostas cujos lucros dependem de indicação de pessoas;
  • Confira as características e riscos do investimento;
  • Entenda o que está sendo realmente negociado;
  • Procure conhecer, de fato, os produtos ou serviços que estão sendo ofertados;
  • Exija toda a documentação do acordo e acompanhe as operações de perto.

Caí em uma pirâmide financeira. E agora?

No caso de “cair em uma pirâmide financeira”, reúna o máximo de provas que conseguir e procure uma delegacia do consumidor. Como provas, valem testemunhas, emails e outros tipos de mensagens trocadas, gravações e áudios, contratos, entre outros.

Depois de fazer o boletim de ocorrência na delegacia, o ideal é procurar um advogado para tentar reaver o dinheiro perdido. Mas, provavelmente, isso demandará tempo e esforço.

A burocracia é grande. Portanto, vale ficar sempre alerta para não cair no golpe, principalmente “cair em tentação” com promessas de lucros altíssimos em pouco tempo; Lembre-se que, no final das contas, não há uma fórmula mágica para ganhar dinheiro.

Curtiu esse conteúdo? Então aproveite para se inscrever em nossa newsletter e receba em seu email outros materiais exclusivos sobre finanças e investimentos.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Comentários

  1. Domingos nhamussua    

    Foi bom ter lido este artigo já estava para entrar num negocio igual em Moçambique em que voce ganha o dodro do investimento em 3meses
    Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *