Quando se fala sobre a bolsa de valores, muitas pessoas só conhecem as possibilidades de investir em ações. Mas há muitas outras oportunidades mercado financeiro, inclusive em ambientes diferentes do mercado à vista.

Dentre elas está a especulação de minicontratos. Se ainda não conhece esta prática, vale a pena saber como operar minicontrato — e este artigo pode ajudar.

A partir de agora você conhecerá alguns benefícios e riscos da atividade e verá um passo a passo para iniciar nessa jornada.

Vamos lá?

O que é o minicontrato?

De modo geral, o minicontrato é um acordo de compra e venda de um ativo (commodities agrícolas, metais, moedas ou índices de mercado) na bolsa de valores, por preço determinado e com vencimento futuro.

Assim, não se negocia o ativo diretamente, mas contratos derivados dele — por isso são também chamados de derivativos. Negociados no mercado futuro, os minicontratos são versões menores dos contratos futuros cheios.

Para exemplificar, no contrato cheio, um contrato de dólar (DOL) representa a quantia financeira de US$ 50.000,00. E um contrato de índice (IND) envolvia o montante de R$ 110.855,00 (R$ 1,00 por ponto do índice).

Percebendo que nem todos os investidores teriam patrimônio para participar desse mercado, a bolsa brasileira decidiu, a partir de 2001, fracionar os contratos em cinco partes. Assim, deu origem aos minicontratos, correspondentes a fração de um quinto (1/5) do contrato original.

Como funciona o minicontrato?

Aquele que negocia no mercado futuro se propõe a se posicionar na compra ou venda de um minicontrato, com liquidação financeira em data futura. Os resultados acontecem por meio dos ajustes diários. Portanto, a cada dia a bolsa credita ou debita da conta do especulador, de acordo com a oscilação dos preços.

A liquidação da posição no contrato também pode ocorrer antes do vencimento. Basta o interessado zerar a sua posição no mercado. Ou seja, quem se posicionou na compra terá que efetuar uma venda e vice-versa. Isso permite que o especulador busque lucros no curto prazo com a variação de preços.

Essa atividade é conhecida como especulação ou trader. Assim, é possível “comprar barato e vender caro” se o mesmo acredita na alta dos preços, ou “vender caro, e comprar barato” se entende que os preços cairão.

Uma das vantagens dos minicontratos para a especulação é sua liquidez. Por isso, atualmente, os minicontratos mais negociados são os de dólar (WDO) e índice (WIN).

A seguir, entenda como cada um deles funciona:

Minicontrato de dólar (WDO)

Assim como qualquer outro ativo ou derivativo negociado em bolsa, o minicontrato de dólar possui um código capaz de identificar suas informações. Os códigos são chamados de tickers e dão detalhes sobre o contrato.

Por exemplo, no WDOF21 temos:

  • W: se traduz em minicontrato;
  • DO: significa dólar;
  • F: diz respeito ao mês de vencimento do contrato – janeiro (F), fevereiro (G), março (H), abril (J), maio (K), junho (M), julho (N), agosto (Q), setembro (U), outubro (V), novembro (X) e dezembro (Z);
  • 21: relativo ao ano de vencimento do contrato.

Como o vencimento é mensal, quem for negociar minicontratos de dólar no primeiro dia de março/2021, por exemplo, deve se valer do código WDOH21. A variação no minicontrato de dólar se dá a cada meio ponto (0,5) e a remuneração por cada movimentação de preço é de R$ 5,00.

Minicontrato de índice (WIN)

Diferente do minicontrato de dólar, o vencimento do minicontrato de índice acontece a cada dois meses. São eles: fevereiro (G), abril (J), junho (M), agosto (Q), outubro (V), e dezembro (Z) A data é na quarta-feira mais próxima do dia 15.

Também de modo distinto, a variação do minicontrato de índice ocorre de 5 em 5 pontos, e sua remuneração é de R$ 1,00 por cada movimentação.

Se o retorno parece pouco atrativo, saiba que a variação do índice pode oscilar em alguns milhares de pontos em um único ano. Além disso, há possibilidade de aumentar o número de contratos, o que fará com que o resultado acompanhe o multiplicador quantidade.

Quais as vantagens e riscos do mercado futuro?

Você já viu que a especulação pode trazer lucro em ambas as pontas do mercado, seja na compra ou na venda.  Agora vale conhecer quais as vantagens ou riscos que essa atividade proporciona.

Um ponto importante é a possibilidade de lucrar no curto prazo, tanto na alta quanto na baixa da bolsa. Entre as principais vantagens dos minicontratos também está a sua acessibilidade. Como já mencionado, eles foram criados para permitir operação com valores menores.

Além disso, é possível utilizar da alavancagem. Ou seja, o especulador pode negociar sem apresentar todo o dinheiro da operação. É preciso apenas apresentar uma margem de garantia para a instituição financeira.

Outra vantagem é a alta volatilidade e liquidez desses derivativos, o que permite ao especulador abrir e encerrar posições em questão de segundos. Isso evita que fique preso na operação ou seja exposto a alterações muito bruscas de mercado.

Como desvantagem pode-se apontar que, da mesma forma que o especulador pode ganhar dinheiro, o prejuízo pode vir em iguais proporções. Os riscos são maiores quando se utiliza de alavancagem. Portanto, antes de ingressar nesse mercado, trace estratégias e busque fazer um bom manejo de risco.

Como operar minicontratos?

Se você acredita que este tipo de negociação faz sentido para o seu perfil de risco, é hora de aprender como fazer. Siga esse passo a passo:

Abra uma conta

Os bancos de investimentos são responsáveis por intermediar as negociações no mercado financeiro entre pessoas físicas e jurídicas. Assim, é preciso abrir uma conta para ter acesso à bolsa e ao mercado futuro.

Transfira o capital

Depois de aberta a conta, transfira o montante necessário para concretizar o negócio. É preferível que seja disponibilizado um valor superior ao exigido como margem de garantia pela instituição, para evitar surpresas.

Considere utilizar uma plataforma profissional

Considerando a necessidade de rapidez nesse tipo de negociação, pode ser interessante contratar uma ferramenta profissional. Elas têm mais estabilidade e recursos para o trader.

Negocie o minicontrato

Em sua plataforma, digite o ticker do minicontrato desejado e busque suas oportunidades de operação. Basta abrir uma boleta de compra ou venda e digitar o valor que aceita negociar o derivativo.

Feito isso, a ordem será enviada e processada pela B3. Quando houver uma contraparte, ela será executada. Depois, cabe a você ficar atento à variação de preços e encerrar a operação quando chegar no fator de lucro desejado — ou no limite de prejuízo que se dispôs a correr.

Agora você sabe como operar minicontrato. Como viu, é simples negociar contratos no mercado futuro. Contudo, fique atento aos riscos e proteja seu capital. A atividade de especulação é mais complexa e demanda tempo e estratégia!

Gostou desse conteúdo? Aproveite para nos contar a sua experiência no campo de comentários!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *