Sempre falamos sobre os benefícios de fazer o dinheiro trabalhar para você e como isso é possível. Em momentos de crise, também muito se fala acerca das oportunidades que surgem para a renda e os investimentos. Contudo, o assunto agora será um pouco diferente.

Período críticos, embora possam trazer oportunidades em diversos casos, também geram dificuldades para muitas pessoas. Então, é tempo de exercer a filantropia e ajudar quem está enfrentando problemas.

As oportunidades na crise não se resumem ao crescimento financeiro, certo? Temos, ainda, a chance de evoluir pessoalmente ao prestar auxílio ao próximo. Inclusive, é muito comum ver empresas e grandes investidores organizando doações.

Afinal, ter qualidade de vida e poder proporcioná-la a outras pessoas também são objetivos da organização financeira. Veja como é possível prestar ajuda enquanto o país enfrenta uma crise econômica.

Dar preferência a pequenos negócios

Nem sempre as pessoas percebem isso, mas nós podemos auxiliar os pequenos empresários que estejam enfrentando dificuldades nos seus negócios em uma crise. Uma maneira simples é dar preferência a eles quando formos consumir algo.

Ou seja, quando você precisar fazer compras no mercado ou fazer um pedido de comida em delivery, por exemplo, busque pequenos negócios da sua região. Faça o mesmo quando for presentear alguém, comprar roupas ou acessórios, etc.

Consumir de negócios de menor porte e manter o dinheiro em circulação nas pequenas empresas é uma forma de ajudar quem enfrenta as maiores dificuldades durante um período crítico. Elas correm sérios riscos, enquanto as grandes companhias têm maior fluxo de caixa e resiliência.

As crises podem levar à falência de vários negócios ou profissionais autônomos. Portanto, se você tem opção de apoiar o comércio local, procure dar atenção para ele. Além de comprar, também é uma boa ideia ajudar a divulgar produtos e serviços.

Manter o pagamento aos prestadores de serviços

Sabemos que, quando se vive dificuldades financeiras, é muito comum precisar cortar alguns gastos considerados supérfluos. Com isso, normalmente há menos procura por alguns tipos de serviços — como academias, estética, faxina, etc.

Se o país está enfrentando uma crise econômica, mas a sua renda não sofreu maiores impactos, considere manter o pagamento aos prestados de serviços que são frequentes na sua vida. Com certeza, fará diferença no orçamento dos profissionais.

Caso não seja possível marcar horário com eles temporariamente, uma opção é combinar o atendimento para uma data futura. Então, os pagamentos continuam sendo realizados e o período de usufruto do serviço pode ser combinado em breve.

Ajudar familiares e amigos

Além de considerar as questões da economia no geral, é importante olhar para como as pessoas estão sofrendo os impactos da crise. Comece observando quem se encontra mais perto. Isto é, seus amigos e familiares.

Veja se algum conhecido se encaixa nos setores que mais costumam vivenciar impactos negativos — por exemplo, trabalhadores informais, profissionais autônomos ou funcionários de empresas que estejam no centro da crise.

Se algum amigo ou parente estiver precisando de suporte, avalie como a ajuda pode ser oferecida. Em períodos difíceis, é fundamental poder contar com pessoas próximas que estão com a renda mais estável e podem prestar auxílio.

Com certeza, uma grande oportunidade gerada pelas crises é a de se aproximar das pessoas que você ama e ajudá-las como puder. Períodos assim deixam ainda mais fortes os laços sociais e afetivos que nos unem, mostrando o que realmente importa.

Fazer doações para projetos sociais

Depois, vale a pena olhar para além do seu círculo de família e amigos: como a população mais vulnerável está sendo impactada pelas dificuldades? Quando algo emergencial acontece, logo aparecem projetos sociais para organizar doações.

Em casos de catástrofes naturais, por exemplo, vemos sendo divulgadas em todo o país algumas campanhas de apoio. Diversas iniciativas aceitam doações que não sejam apenas em dinheiro. Assim, mesmo quem não está com as finanças estáveis pode ajudar.

É possível pesquisar os projetos sociais que buscam ajudar pessoas e até animais em momentos complicados. Há a alternativa de doar dinheiro, roupas, comida, ração, acessórios e várias outras possibilidades, a depender do projeto.

Participar de financiamentos coletivos

A tecnologia é uma ferramenta muito utilizada para organizar grupos em prol da ajuda financeira. Com isso, participar de financiamentos coletivos é mais uma das oportunidades na crise. Hoje em dia, a internet possibilita oferecer auxílio facilmente, sem sair de casa.

É viável participar de campanhas para causas em todo o país — e até mesmo em outros locais do mundo. Na maior parte das vezes, existem alternativas muito práticas, como fazer um pagamento por boleto ou cartão de crédito.

Nesse ponto, é importante ficar atento para pesquisar se os financiamentos coletivos são idôneos. Afinal, qualquer pessoa pode organizar um e, infelizmente, há golpistas que se aproveitam da solidariedade para praticar crimes.

Pesquisar um pouco sobre as campanhas e dar preferência para aquelas que são coordenadas por pessoas que você confia são algumas estratégias interessantes para evitar problemas. Além disso, você mesmo pode organizar um financiamento coletivo em prol de uma causa que acredita.

Prestar auxílio não financeiro

Sabemos que nem sempre é possível ter dinheiro disponível para ajudar financeiramente quem mais sofre com as crises. A boa notícia é que existem formas de oferecer apoio não financeiro também. Uma delas é doar coisas que você tem em casa.

Outra maneira é conhecer as necessidades geradas pela crise e avaliar o que pode ser feito. Por exemplo, é comum que os bancos de sangue sofram queda de doadores em períodos difíceis. Assim, quem pode doar sangue consegue ajudar dessa forma.

Mais um exemplo é se oferecer para ajudar em aspectos do dia a dia quando as pessoas estão impossibilitadas de fazer. No exemplo do novo coronavírus, oferecer-se para realizar as compras de familiares ou vizinhos que fazem parte do grupo de risco é uma grande ideia.

Certamente, o crescimento pessoal é uma das oportunidades na crise. Exercitar a empatia, entender as necessidades dos outros e conseguir fazer o seu dinheiro trabalhar em beneficio do próximo são comportamentos que nos engrandecem muito nesse momento ao aliviar a vida de quem precisa!

E então, o que achou do post? Tem outra sugestão de ajuda que não citamos aqui? Compartilhe sua ideia nos comentários!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *