Muitas pessoas ainda não sabem o que significa dolarizar a carteira. Porém, uma vez que esse termo tem se tornado cada vez mais frequente, é interessante entender do que ele se trata e qual é a sua importância.

O conceito significa expor um portfólio de investimentos ao dólar. No mercado atual, é possível fazer isso com muitas alternativas de investimento. Inclusive, algumas que antes eram acessíveis apenas a investidores maiores e passaram a estar ao alcance de mais pessoas.

Assim, expor a carteira à moeda norte-americana se tornou uma possibilidade mais simples, podendo agregar benefícios a quem investe.

Acompanhe a leitura para saber mais sobre o assunto e entender como dolarizar sua carteira de investimentos!

O que significa dolarizar a carteira?

Dolarizar a carteira significa, como investidor, expor parte do seu capital ao mercado externo. Isso pode ser importante porque alguns mercados (como o americano) tendem a ser mais sólidos que o brasileiro.

Quando feita da maneira correta, ou seja, de modo alinhado aos objetivos e ao perfil do investidor, a atitude pode ajudar a proteger os investimentos. Em especial pela relação entre o dólar e bolsa de valores.

Afinal, normalmente o dólar sobe quando há uma tendência de instabilidade na bolsa brasileira. Então, nesse sentido, expor-se ao dólar pode ser uma alternativa de proteção.  Dolarizar a carteira também pode ajudar a conquistar mais rentabilidade – como você entenderá mais à frente.

Qual a importância de dolarizar a carteira?

Agora que você sabe o que significa dolarizar a carteira, é interessante entender um pouco mais sobre os potenciais impactos dessa decisão. A seguir, você descobrirá alguns motivos que podem ser relevantes aos investidores.

Entenda!

Valorização do dólar

A valorização do dólar é um dos principais motivos que levam os investidores a dolarizar a carteira. Afinal, ao ter investimentos nessa condição no portfólio, torna-se possível protegê-lo de possíveis altas da moeda norte-americana em relação à moeda brasileira.

Diversificação

O Brasil é um país extenso e diverso em termos culturais. Ainda assim, ele representa uma porcentagem muito pequena do mercado de capitais em todo o mundo. Com isso em mente, pode ser interessante expor o seu próprio capital ao potencial do mercado mundial.

Isso significa ser capaz de investir em economias como a norte-americana ou a chinesa, por exemplo. Como resultado, você também dilui os riscos de suas aplicações entre outras alternativas e mercados, o que é fundamental para quem busca investir conscientemente.

Instabilidade econômica e política

Infelizmente, o Brasil tende a ter uma história longa em termos de instabilidade econômica e política. A democracia do país, que é jovem, já presenciou várias crises, como:

  • impeachments;
  • greves;
  • confisco da poupança;
  • hiperinflação, entre outros acontecimentos.

Além desses obstáculos, o Brasil tende a ser profundamente impactado por crises internacionais — com as de 2008 e 2020. Em cenários como esses, o dólar pode se valorizar.

Empresas internacionais também podem se recuperar mais rapidamente da crise. Assim, ter investimentos dolarizados pode ajudar a dar equilíbrio para sua carteira.

Descorrelação entre Ibovespa e dólar

Como é sabido, há uma tendência de que o dólar se desvalorize quando mais investidores estrangeiros entram no Brasil. Ao mesmo tempo, a bolsa de valores se valoriza — e vice-versa. Isso aponta a chamada correlação inversa ou negativa.

Nesse sentido, buscar pela descorrelação é uma consequência de ter ativos do mercado internacional em uma carteira. Em especial, os dolarizados. Com isso, você pode ter mais estabilidade, já que quedas do Ibovespa podem ser compensadas por alta do dólar.

Assim, dolarizar a carteira pode ajudar na hora de garantir um bom gerenciamento de riscos no portfólio de investimentos.

Quais alternativas pode ser usadas para dolarizar a carteira?

Existem diversas possibilidades disponíveis aos investidores que desejam dolarizar a carteira. Confira algumas delas a seguir!

Minicontratos de dólar futuro

Os minicontratos de dólar futuro podem ajudar os investidores não só a se proteger, mas, também, a lucrarem com a alta do dólar. É possível negociá-los no mercado futuro, por meio de contratos ou minicontratos.

A segunda alternativa é considerada mais acessível aos investidores, por valerem 20% do contrato cheio. Eles podem ser interessantes, também, às empresas de pequeno e médio porte que tenham obrigações em dólar, por exemplo.

Contudo, vale destacar que o mercado futuro tem como foco a proteção ou especulação. Portanto, os minicontratos podem não ser adequados para quem visa por investimentos de longo prazo.

ETFs lastreados em índices fora do país

Os ETFs (Exchange Traded Funds), ou fundos de índice replicam o comportamento de um índice usado como benchmark. Dito isso, alguns ETFs permitem que os investidores acessem o mercado externo, favorecendo a exposição ao dólar.

Um exemplo disso é o IVVB11, ligado ao S&P 500, o principal índice de ações do mercado financeiro norte-americano. Nesse caso, quando investidor compra o ETF, ele se expõe indiretamente ao dólar.

Fundos cambiais

Essa alternativa de investimento outra forma de dolarizar a carteira. Isso porque se trata de fundos com foco no mercado cambial. Com isso, eles podem ser usados por quem busca proteção da carteira ou tem expectativas quanto ao dólar.

Por exemplo, quem pretende viajar ao exterior. Os fundos cambiais podem investir em derivativos. Assim, a rentabilidade esperada tende a estar próxima da variação da cotação do dólar.

Fundos internacionais

Além de fundos cambiais e ETFs, existem os chamados fundos internacionais. São também uma modalidade coletiva que foca em investimentos no exterior — principalmente nos Estados Unidos.

Logo, são mais uma possibilidade de ter exposição aos mercados internacionais e dolarizar a carteira. Eles podem investir, por exemplo, em ações de companhias estrangeiras, em derivativos, renda fixa etc.

Porém, é preciso atenção. Afinal, muitos fundos internacionais são direcionados a investidores qualificados.

Como vimos, dolarizar a carteira é possível por meio de diferentes formas. Escolher as mais adequadas ao seu caso exige uma observação da sua realidade, dos seus objetivos e do perfil. Utilize as informações para tomar decisões alinhadas às suas necessidades!

Gostou de saber mais sobre a importância de expor seu portfólio de investimentos ao dólar? Se tiver alguma dúvida, não deixe de comentá-la a seguir!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *