É bastante comum encontrar, no mercado global, investidores em busca de produtos de investimentos mais rentáveis, que possam ajudar a impulsionar os ganhos do portfólio de investimentos. Muitos destes investidores, entretanto, não conhecem a fundo as oportunidades disponíveis no mercado para quem procura por investimentos de maior risco, porém com chances de entregar uma rentabilidade melhor.

Você, por exemplo, já pensou na possibilidade de investir em debêntures? O nome pode até assustar os investidores mais iniciantes, mas trata-se apenas de uma forma de investimento que pode ser utilizada pelo investidor para turbinar a carteira de renda fixa e que pode, sim, ser uma opção interessante para composição de portfólio.

No artigo de hoje você conhecerá um pouco mais sobre este produto de investimento e descobrirá por que pode valer a pena considerar investir em debêntures em algum momento.

Confira!

O que são debêntures?

Debêntures são valores mobiliários representativos de dívida de médio e longo prazos que asseguram a seus detentores (debenturistas) direito de crédito contra a companhia emissora.

Agora vamos para um linguajar mais popular: no CDB, o investidor empresta dinheiro ao banco, certo? Na debênture, o investidor empresta dinheiro a uma empresa e obtém uma taxa de rentabilidade por esse empréstimo.

Uma debênture é, portanto, um título de crédito privado, como o CDB. No entanto, ao invés de ser emitido por um banco, a debênture é emitido por uma empresa S/A.

Por que as empresas emitem debêntures?

Quando uma empresa é muito grande e desfruta de grande prestígio e credibilidade no mercado, ela possui duas alternativas para tomar dinheiro emprestado: através de empréstimos bancários ou emitindo debêntures. Como estamos falando de empresas realmente com alta credibilidade, muitas vezes, a taxa de juros cobrada pelos bancos será superior ao juros que a empresa obterá disponibilizando seus títulos, na forma de investimento, para os investidores.

Ao invés de tomar dinheiro junto ao banco, portanto, toma diretamente dos investidores.

Outro aspecto que facilita para a empresa, é que na debênture ela própria determina como pagará o empréstimo ao investidor. Normalmente ela pode, dessa maneira, “casar” o fluxo de pagamentos com o fluxo de retorno de um determinado projeto que esteja desenvolvendo.

Mas, se a empresa precisa de dinheiro emprestado não significa que ela está com dificuldades?

Não. Empresas fazem captação de recursos com frequência para expandir suas atividades, aumentar produção e comercialização de seus produtos. Para isso, captam recursos.

As maiores empresas, por possuírem muita credibilidade no mercado, captam dessa forma, emitindo títulos de dívida dentro e fora do país com juros muito menores do que os que tomaria via banco. Portanto, nesse processo, surge a oportunidade para a empresa, de captar recurso mais barato, enquanto que, para o investidor, optar por investir em debêntures poderá resultar em maiores chances de obter uma rentabilidade superior em relação aos seus aportes.

A rentabilidade das debêntures

Normalmente, a rentabilidade das debêntures são de três anos, vinculadas ao CDI, vinculadas  a um índice de inflação ou pré-fixada.

Elas irão obedecer praticamente os mesmos critérios dos CDBs e, quanto maior for a percepção de risco de uma empresa, maior a remuneração que ela vai pagar ao investidor. As de prazo de resgate mais longo também pagarão maior rentabilidade.

Então, o próprio mercado vai posicionando as empresas segundo seu grau de risco.

Riscos e desvantagens da debênture

O principal risco ao qual o investidor pode estar exposto é o risco de crédito, Trata-se do risco de a empresa não conseguir honrar com o seu compromisso de devolver o valor investido pelo investidor na data previamente combinado

A principal desvantagem deste tipo e investimento, por outro lado, é o risco de liquidez. Não existe liquidez em debêntures.

Existir, até existe, mas o ideal é não contar com ela. Assim, ao investir numa debênture com vencimento em 5, 6 ou 10 anos, por exemplo, a intenção e o planejamento do investidor deve ser de levá-la até o vencimento.

Quanto devo investir em debêntures?

Existem debêntures a partir de R$ 1 mil. O importante para definir quanto você alocará em debêntures é saber qual parte do seu capital você não precisará imediatamente.

Por exemplo, se você possuir R$ 200 mil para investir, pode deixar uns R$ 50 mil em investimentos em aplicações com liquidez imediata, mais R$ 100 mil em aplicações de 2 e 3 anos; os demais R$ 50 mil você poe aportar em aplicações de prazos mais longos, incluindo aí as debêntures. Isso fará com que a rentabilidade de sua carteira, no todo, seja turbinada.

Esta decisão de investir em debêntures, por outro lado, OBVIAMENTE irá depender dos seus objetivos, do seu planejamento e, principalmente, do seu perfil de investidor. Portanto, na hora de compor seu portfólio de investimentos, permaneça atento a estas questões e tome decisões assertivas, com base nas suas necessidades, no seu perfil e, principalmente, de acordo com  suas metas pessoais.

E você, já pensou em investir em debêntures? Deixe seu comentário!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

 

 

*Artigo publicado originalmente em 22/02/2012. Atualizado em 06/02/2019.

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Comentários

  1. Marcio    

    olá, parabéns pelas informações,
    fiquei com uma duvida quanto as taxas de rentabilidades, elas são anuais?
    por exemplo a telemar norte que tem vencimento em 2020 no fina do prazo receberei o valor da debendure acrescido do IPCA de 2013 a 2020 + 6%a.a. ou o valor da debendure acrescido doIPCA de 2013 a 2020 + 6% no final apenas?
    E ambém se há taxas de rendimento de debendres maiores que estas?

    mto obrigado

    1. André Bona    

      Olá Marcio. Bom no caso da sua pergunta, existem debentures que pagam algum juros periódico (semestral, por exemplo) e outras que só no vencimento. Depende da série que vc investiu. Há sim algumas taxas superiores a essa.

      1. Marcio    

        vlw pelos esclarecimentos André
        até breve

        1. André Bona    

          Marcio, boa noite! Reli a sua pergunta aqui e vi que não ficou clara a resposta. Sim, a taxa informada na debentures é anual. Não para todo o período. Ela pode ser paga em prazos definidos diferentes, com amortizações e tudo mais, mas normalmente essa taxa que vc viu aí de IPCA + 6% é ao ano. Essa é a referência. Sabendo que ela pode ser paga em períodos diferentes de 1 ano, mas a referência da rentabilidade é anual.

  2. Douglas Casagrade    

    Muito interessante a matéria, André. Uma duvida que eu tenho sobre debentures, e talvez você saiba me ajudar, é a seguinte: ”Liquidez semestral” << isto quer dizer que caso no final de 6 meses eu queria retirar todo o valor da aplicação, eu posso ou apenas quer dizer que entrarão juros depois de 6 meses? Agradeço a ajuda. Abraço

    1. Manuel Rivera    

      Nao estes ativos quando se produce a venda no preço vai inclui os juros que voce tinha de haver percibido

      1. André Bona    

        Também sujeito a marcação a mercado, podendo na verdade ter um retorno MENOR ou MAIOR que a taxa pactuada inicialmente em função disso.

  3. Manuel Rivera    

    Buenas noches André,
    Muy interesante el articulo sobre la adquisición de Bonos Corporativos, para alcanzar una rentabilidad complementaría o un plus en la formación de una cartera. Pero creo que debería haber indicado que la renta fija solo es fija, si el titulo se mantiene en cartera hasta vencimiento. No solo existe el riesgo de crédito, que es uno de los que mas influyen, si no también el riesgo de mercado o tipo de interés, es fundamental en este tipo de activos las oscilaciones en los tipos de interés en la curva de tipos, una variación nos puede producir un efecto en el precio del activo muy importante. Ademas la situación del mercado en su conjunto riesgo país, inflación, situación ciclica de la economica es importante para valor si un activo debe estar en nuestra cartera.
    Saludos.

    1. André Bona    

      Perfeito Manuel! Exatamente isso.

      Perfeito. A taxa de rentabilidade pactuada será garantida apenas no vencimento da operação. Do dia da compra até o vencimento o título poderá oscilar conforme sua marcação a mercado, essencialmente pelas variações da taxas de juros na economia, assim como as NTN-Bs do Tesouro Direto.

      Abs,

  4. marcus    

    Olá Andre vc usa desse as debentures nos seus investimentos….caso use teria alguma sugestão
    Grato

  5. irineu    

    Como são os impostos dos rendimentos e qual a garantia? Tem algo como “fundo garantidor”?

  6. Thiago Oliveira Lopes    

    Olá, estou fazendo trabalho de faculdade onde posso investir um valor em dois tipos de aplicação, escolhi um por enquanto, o CDB pós fixa, e outro estou em duvida entre debênture e LCI. Gostaria de saber qual rentabilidade e liquidez sobre o LCI?

  7. Ivan Matos    

    Bom dia!

    Entendi que as debentures incentivadas são livre de IR. Isso é um boa vantagem!
    Mas qual seria a desvantagem delas? Rendem menos?

    Abraço!

  8. Gilberto    

    Além da falta de liquidez, há o risco de crédito. 420 mil investidores sofreram perdas em fundos de investimentos, com o pedido de recuperação judicial da Oi. Cuidado!!

    1. André Bona    

      A mais pura verdade. O interessante também é observar que só duas gestoras tinham debêntures da OI nos seus fundos: da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil. Justamente onde muitos investidores imaginavam que estariam mais seguros…
      Tem um video que falo sobre essa questão do risco das debêntures:
      > Debêntures são melhores que Tesouro IPCA? https://www.youtube.com/watch?v=q_YuDKHACho
      Abs,

  9. CArlos    

    Boa tarde André, como proceder caso soframos com um calote de alguma empresa? veremos o dinheiro novamente? Teremos que entrar na justiça? Qual a forma de reaver esse dinheiro já que não é protegido pelo FCG?

  10. Tiago    

    Bia tarde. Estou disposto a investir 20000 em uma debenture que paga fluxo semestral de Ipca + 8.6 RDTV11. Mas tenho duvida de como sera o fluxo exato de pagamento. Infa nao consegio enrender. Alguem saberia me explicar certinho5por favor. Grato

  11. carlos    

    André, primeiramente, obrigado como sempre pela iniciativa de educação financeira.
    Bem, tenho uma dúvida sobre o tema e a exponho abaixo, não sei se fui muito confuso, mas não achei outra forma de passar a questão.
    O pagamento das debêntures é diferenciado, no vídeo você mesmo explica que o pagamento dos juros é, em geral, semestral e o principal pago lá no final ou mesmo após um determinado prazo regulado na própria emissão do título.
    Quando há o pagamento de parte da amortização mais juros semestralmente, isso encolhe o valor a receber, pois o próximo juros incidirá no principal parcialmente amortizado o que prejudica muito a rolagem de juros compostos e se for pensar no longo prazo, mais juros vão incidir sobre menos capital investido.
    Até aqui, realmente parece uma NTNB, porém diferentemente desta, as debêntures não são de fácil reinvestimento porque o PU sempre (ou quase sempre) será maior que os juros pagos semestralmente e não é possível reinvestir fração do PU. Então, em comparação com uma NTNB: no tesouro direto o reinvestimento é possível mesmo em valores menores e isso pode ter significativo impacto na rentabilidade final do título.
    Portanto, fica a dúvida: o rendimento a uma taxa maior pelas debêntures compensam a incidência de juros sobre capital cada vez mais amortizado (e por isso menor), além do difícil reinvestimento no título (o que minimizaria o efeito do capital sendo amortizado)?
    Obrigado.

  12. Lucineia Vaz    

    André, bom dia!!
    Eu queria que vc me ajudasse a entender uma coisa: eu e meu marido fizemos uma aplicação em debênture no dia 03/01/2017, a debênture é a CMDT23 – CEMIG DISTRIBUICAO S.A, com vecto em 15/02/2021 e rentabilidade de IPCA+9,70%.
    Eu apliquei o valor de R$ 5997,38, todos os dias eu olho as aplicações que nós temos rs, e eu reparei que essa debênture tem aumentado ao dia uma média de R$ 3,50, até aí tudo bem, mas hoje quando abri para olhar o valor bruto dela estava em R$ 5786,32, ou seja, menor do que o valor que foi aplicado. Aí fiquei sem entender nada de como é feita essa rentabilidade, vc pode me ajudar a entender isso, por favor?

    1. Marcelo    

      Pode aparecer um valor menor, devido a marcação de mercado. No entanto, caso você mantenha até o prazo de vencimento, receberá o Juros + IPCA contratado.

  13. Bernardo    

    Antes de mais nada parabens pelos seus posts. Sempre muito próprios e oportunos.
    Investi em debentures da Vale um tempo atras, meio sem entender muito, mas achei que seria bom para diversificação.
    Queri entender por que a corretora está dando a oportunidade de resgatar essa debenture antes do final.
    Qual o interesse de uma empresa em recomprar essas debentures?
    Achar que exagerou no juro pago e se arrependeu??

    Grande abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *