Estar endividado é uma situação delicada, que pode resultar em estresse e muitas preocupações. Com planejamento financeiro e organização, no entanto, qualquer pessoa pode renegociar dívidas e se livrar deste grande incômodo que são as dívidas.

O momento de renegociar dívidas, no entanto, exige muita cautela do consumidor, uma vez que existem diversas armadilhas nas instituições financeiras que podem pegar o cliente menos atento desprevenido e causar ainda mais problemas ao devedor.

Se você está passando por esta fase de renegociação ou pretende renegociar dívidas em breve, este artigo é para você. Continue lendo o artigo de hoje e conheça 5 armadilhas para não cair na hora de renegociar dívidas.

A importância de renegociar dívidas corretamente

A renegociação de dívidas deve ser proveitosa para ambas as partes: o endividado deve conseguir quitar as dívidas enquanto a instituição deve receber o dinheiro ao qual tem direito – mesmo que seja pago em parcelas ou até com algum desconto ou benefício para o devedor. Por isso, é preciso manter os pés no chão na hora de negociar o que é devido.

O primeiro passo para renegociar dívidas corretamente é não cair em armadilhas – que estão presentes na maioria das negociações com instituições bancárias. Neste momento, a atenção e o planejamento financeiro por parte do devedor é fundamental.

5 armadilhas para não cair

Confira a seguir 5 armadilhas para não cair na hora de renegociar dívidas e descubra como se livrar das suas pendências financeiras da maneira correta:

1. Adotar prazos mais longos

Uma boa forma de se certificar de que você vai conseguir quitar as dívidas é tomar cuidado com o prazo a acertar na hora de renegociar dívidas. Uma dívida com prazo muito longo pode acabar fazendo você pagar mais por conta da incidência dos juros, e pode comprometer suas finanças por um tempo maior do que você gostaria.

Por isso, na hora de negociar suas dívidas, priorize os prazos mais curtos – com menor incidência de juros. Se puder pagar à vista, opte por esta forma de pagamento.

2. Não verificar o custo total da dívida

Na hora de renegociar, a instituição financeira costuma cobrar os juros e uma porção de outros encargos. Todos estes valores devem ficar registrados no contrato.

Você precisa fazer as contas e consultar o Custo Efetivo Total, para saber se não está pagando muito mais do que deveria – ou poderia se comprometer a pagar.

3. Escolher a dívida errada

Se você está endividado e tem mais de uma dívida, precisa começar a organizar suas finanças a partir da renegociação de uma delas. Em geral, a melhor maneira de renegociar dívidas é escolher a dívida que mais aumenta por conta da incidência de juros ou aquela que possa estar lhe trazendo problemas diversos – como dívida com cartões de crédito, cheque especial, dívida com serviços básicos (água, luz, entre outros).

Priorizar estas dívidas pode ser uma boa forma de começar a renegociar dívidas da maneira correta e iniciar o processo de organização da sua vida financeira. Escolher uma dívida errada para negociar, por outro lado, pode retardar este processo de organização das finanças.

4. Cair na venda casada

O intuito de qualquer instituição financeira é lucrar. Por isso, não é incomum encontrar bancos que ofereçam serviços e produtos ao consumidor que está contatando a instituição para negociar suas dívidas.

Se sua ida ao banco tem como único objetivo quitar suas dívidas, então foque-se nisso e evite cair na tentação de adquirir uma venda casada, como um título de capitalização em troca de, na teoria, melhores oportunidades para negociar dívidas.

Esta é uma das principais armadilhas que existem atualmente no setor bancário, e que podem pegar o consumidor de surpresa. Evite-a sempre que possível.

5. Fazer outras dívidas

Ter uma única dívida já é uma situação bastante ruim, mas ter diversas dívidas pode deixar o consumidor bastante aflito e com a sensação de impotência em relação à bagunça da sua vida financeira.  Para evitar esta situação é imprescindível não fazer outras dívidas.

Evitar se endividar novamente é uma tarefa fundamental também para quem está projetando renegociar dívidas que já possui. Organize-se, planeje-se e renegocie suas dívidas de acordo com suas possibilidades, a fim de evitar cair no endividamento mais uma vez.

Seguindo estas dicas para não cair em armadilhas na hora de renegociar dívidas, você conseguirá colocar sua vida financeira em ordem e quitar suas pendências financeiras ao longo do tempo. Basta ter atenção, planejamento, organização e força de vontade para manter uma vida financeira mais equilibrada.

Gostou do artigo de hoje? Então assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos sobre finanças e investimentos no seu e-mail!

 

Quer aprender mais sobre investimentos e finanças? Então conheça o treinamento online “O Investimento Perfeito”Clique aqui e saiba mais sobre o curso!

Autor

Redação Blog de Valor

O Blog de Valor é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *