Comprar imóvel vale a pena ou continuar no aluguel é a melhor alternativa? Em uma sociedade que valoriza e idealiza tanto o sonho da casa própria, os que se questionam sobre o assunto acabam sendo vistos como loucos.

Afinal, desde pequenos, somos levados a acreditar que a casa própria é um objetivo que todos devem ter e batalhar para conquistar. Isso, no entanto, não é uma verdade absoluta.

Além do mais, ter uma residência, para muitos, é sinônimo de estabilidade e segurança. Mas, será que realmente vale a pena comprar uma moradia? Ou continuar aluguel pode fazer mais sentido?

Confira agora 5 excelentes motivos que provam que comprar imóvel pode não ser a melhor escolha para você!

1. Alugar não é sinônimo de perder dinheiro

Muito provavelmente você ouviu seu pai, avô ou outro membro da família dizer que “pagar aluguel é dinheiro jogado fora”. Esse pensamento é bastante comum, pois há os que pensam que o valor despendido em uma locação não lhe traz benefício algum. Mas isso não é verdade.

Considerando a renda fixa, dependendo de como estão os juros, por exemplo, vale mais a pena continuar no aluguel e investir o dinheiro que estava reservado para a casa própria. Assim, é possível pagar a locação com os rendimentos e guardar o resto para, quem sabe, comprá-la posteriormente.

Afinal, a grande maioria das pessoas não compra sua casa à vista e recorre aos financiamentos. E esse tipo de negócio não é vantajoso, pois a pessoa acaba assumindo uma dívida por anos, e o valor a ser pago pelo imóvel pode até triplicar na comparação com o valor original do bem.

Comprar o que futuramente será seu lar e pagar o triplo do seu valor não é um bom negócio, não é? Inclusive, você pode até fazer simulações para comprovar esta questão.

Desta forma, pode valer muito mais a pena investir seu dinheiro – fazendo-o trabalhar para você – e continuar no aluguel, pagando esta despesa (ou parte dela) com os rendimentos e ainda ter dinheiro na conta, não acha?

Portanto, se livre desses “mitos populares” e não tenha medo de continuar a pagar mensalmente por um local alugado.

2. Imóvel não é investimento

Antes de explicar esse tópico, é necessário entender a diferença entre ativos e passivos. De uma forma bem simples, ativo é tudo que lhe gera lucro, como seu salário, renda proveniente de  locações, dentre outros. Passivo é o que “tira o seu dinheiro”, como as contas de luz, carro, despesas com alimentação, vestuário, etc.

Pessoas compram uma moradia com a certeza de que estão fazendo um investimento, ou seja, que a casa é um ativo. Mas, na verdade, uma propriedade é um dos maiores passivos que uma pessoa pode ter.

É importante ter em mente que ter uma casa própria é somente pelo bem estar familiar e não gera nenhum lucro. Com essa nova aquisição, virá dívidas como IPTU e outros impostos, gastos com manutenção e uma série de reparos que possam aparecer.

Certamente seu dinheiro estará aplicado ali, mas ele pode tanto valorizar – com a valorização do bem em si ao longo dos anos – como também se desvalorizar. Isso sem contar que o dinheiro fica imobilizado, fazendo você perder em liquidez.

3. Imóveis desvalorizam

Provavelmente uma das mentiras mais repetidas é a de que “imóveis sempre valorizam”. Por esse fator, muitos compram imóveis acreditando que estão fazendo um bom investimento ao ter uma casa própria e não continuar no aluguel. Assim como um carro ou qualquer outra aquisição, as moradias podem sim sofrer depreciação com o tempo.

Nesses momentos, muitos vão dizer: “mas você pode comprar para revender por um valor maior ou ter uma renda extra com aluguéis”.  Primeiro, vale dizer que vender um estabelecimento não é tão simples assim.

Além de ter que gastar com reparos, dependendo das vezes, você terá que baixar o valor caso não consiga vender no tempo desejado. Agora, quanto à locação, pode acontecer de o rendimento do aluguel ser muito baixo e não superar a depreciação, inflação e os custos da manutenção.

4. Comprar imóvel pode ser transformar em um pesadelo

Por mais que desejamos que tudo esteja bem em nossa vida, nem tudo sai como planejamos. Como dito anteriormente, financiamentos podem fazer a pessoa pagar pelo valor de três imóveis sendo que comprou apenas um.

Além disso, uma residência pode representar gastos, comprometendo o orçamento familiar.  Não obstante, estes imóveis desvalorizam, muitas vezes, e podem significar despesas no futuro com manutenções.

Porém, há muito mais que deve ser levado em conta e que muitos acabam esquecendo.

Grande parcela adquire sua propriedade pensando na família que construiu ou quer construir. Contudo, acabam esquecendo que, por exemplo, uma separação ou divórcio pode acontecer. Isso traz questões judiciais que podem se tornar uma longa e complicada história até ser resolvida.

Outros fatores como desastres naturais e condições do lugar que se deseja viver devem ser levados em consideração. Afinal, adquirir um bem em um local ruim e que prejudique o dia a dia também não é um bom negócio.

Pense também em sua carreira. Uma moradia poderá lhe “prender” naquele município no qual está. Se surgir uma oportunidade de viver fora ou de trabalhar em outro lugar, vendê-lo ou colocá-lo para alugar pode ser um processo difícil e demorado.

5. O imóvel não é seu até ser quitado

Se imagine na seguinte situação: você financiou um apartamento e o quitará em 20 anos. Você fica feliz da vida porque agora tem seu apartamento próprio. Mas não é bem assim.

O imóvel não é seu! Sim, o apartamento será seu somente após a quitação da dívida. Ou seja, você só será dono depois dos vinte anos que ficou pagando pelo bem! Vale a pena ficar todo esse tempo pagando uma dívida?

Dependendo do contrato firmado, você só será o proprietário após algumas décadas. Depois que tiver mais idade ou se aposentar, terá valido a pena ficar tanto tempo usando seu dinheiro nesse passivo? Pense nisso.

Ainda, quem se arriscou em financiar, pode acabar perdendo o emprego ou tendo problemas financeiros diversos – comprometendo o compromisso feito com a instituição financeira. Dessa forma, poderá perder aquilo que tanto batalhou para conquistar.

Acredite, perder um bem por alienação fiduciária ou hipoteca não é um final feliz. Vendê-lo para quitar a dívida com a instituição ou por não ter pago impostos como IPTU também não.

Conclusão

Comprar imóvel é o sonho de grande maioria dos brasileiros. Contudo, há muito o que avaliar antes de tomar essa decisão. O mito de que alugar é perda de dinheiro, portanto, deve ser desmentido.

Principalmente para quem não quer desperdiçar capital ou não deseja se ver preso com uma obrigação de longo prazo que não trará muitos benefícios, continuar no aluguel pode ser uma excelente opção.

Portanto, tenha cuidado com o que os outros dizem e saiba que continuar no aluguel pode ser a melhor alternativa para você!

Agora que você conhece as desvantagens de comprar um imóvel e as vantagens de continuar no aluguel, que tal descobrir como acumular dinheiro para viver de renda passiva?

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

Nosso site é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *