Confira os principais destaques da economia e do mercado financeiro na última semana e acompanhe os próximos eventos econômicos e políticos desta semana:

Política e Mercado Financeiro

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Depois de se encontrar com o presidente Michel Temer e aliados do Governo no final de semana, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, definiu uma data para discutir, em plenário, a Reforma da Previdência: 14 de dezembro, próxima quarta-feira. A votação da Reforma, que ainda é esperada para este ano, deve acontecer somente no dia 18 deste mês.

PAUTA PRINCIPAL

Em viagem oficial à Argentina para participar de conferência da Organização Mundial do Comércio (OMC), Temer disse, no domingo (10), que é possível que a votação da Reforma da Previdência ocorra ainda em 2017, e deixou claro que o Governo não desistiu da pauta. “Essa matéria da Previdência não vai parar. Se não for neste ano, será no início do ano que vem”, afirmou o presidente.

VAMOS BEM, OBRIGADO?

Ainda na Argentina, Temer disse que o Brasil deixou a recessão para trás e tratou de exaltar dados econômicos positivos no ano, como a criação de postos de trabalho em 2017, o crescimento da produção industrial e o recuo da taxa de juros – que atingiu o menor patamar histórico na semana passada.

NOVO PRESIDENTE NO PSDB

O PSDB elegeu, no último sábado (9), o atual governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, como presidente nacional do partido para os próximos dois anos. A missão de Alckmin é unificar o partido, rachado desde maio, quando o então presidente do PSDB, Aécio Neves, pediu licença depois de ser gravado pedindo R$ 2 milhões ao dono da JBS, Joesley Batista.

VAIAS AO SENADOR

Na convenção do PSDB deste final de semana, o senador Aécio Neves foi, inclusive, bastante vaiado pela militância do partido. Por conta do clima azedo, Aécio Neves deixou o evento após cerca de 40 minutos de sua chegada.

SELIC EM QUEDA

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu cortar a taxa Selic em 0,5 ponto percentual na reunião da semana passada, levando a taxa básica de juros brasileira a 7% – o menor patamar da história. A previsão do mercado é de novos cortes para o início de 2018.

BOVESPA EM ALTA

A Bolsa de Valores brasileira fechou em alta de 0,34% na última sexta-feira (8), encerrando a semana aos 72.731 pontos. No acumulado semanal, o avanço do índice Ibovespa foi de 0,65%.

DÓLAR EM ALTA

O dólar fechou em alta na última sexta-feira (8), com o mercado à espera de uma votação da Reforma da Previdência. A moeda norte-americana subiu 0,25%, para R$ 3.294 na última sessão da semana, e acumulou alta semanal de 1,17%.

Seu bolso

MUDANÇAS PARA O GÁS DE COZINHA

A Petrobras deve mudar, em breve, sua política de aumento do preço do gás de cozinha, que já subiu 68% no segundo semestre do ano. Com as alterações, o gás de cozinha não deverá mais sofrer correções de preços mensais. Os consumidores, no entanto, não devem se animar muito, já que não há indícios de que o preço do gás de cozinha seja reduzido no mercado mesmo com as mudanças programadas pela Petrobras.

MALHA FINA

Mais de 747 mil declarações caíram na malha fina do Imposto de Renda 2017, de acordo com a Receita Federal. No site da Receita o contribuinte pode verificar se caiu na malha fina e, em caso positivo, enviar uma declaração retificadora.

Internacional

BITCOIN ESTREIA EM CHICAGO

A moeda digital Bitcoin atingiu inéditos US$ 18,7 mil no último domingo (10), após estrear na bolsa de Chicago, nos Estados Unidos. As negociações de contratos futuros da criptomoeda tiveram início na noite de ontem, e fizeram o Bitcoin avançar 21% em poucas horas. Como não podia deixar de ser, os contratos futuros de Bitcoin foram os mais negociados na Chicago Board Options Exchange (CBOE) no final de semana.

JERUSALÉM, CAPITAL DE ISRAEL

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu, no último dia 6 de dezembro, a cidade de Jerusalém como capital de Israel. Com o reconhecimento – postergado pelos presidentes norte-americanos nos últimos anos, a embaixada dos Estados Unidos em Tel Aviv deverá ser transferida para Jerusalém, que já abriga os principais escritórios administrativos do governo israelense, como o Parlamento.

O que vem por aí

AGENDA DO CONGRESSO

O Congresso deve ter dias mais agitados antes do recesso parlamentar, que acontece em duas semanas. Além da Reforma da Previdência, projetos que tratam de temas como a mudança nas regras dos planos de saúde, porte de arma de fogo em áreas rurais, entre outros, devem ser discutidos nas próximas sessões.

VOTAÇÕES NO SENADO

Enquanto isso, o plenário do Senado deve receber diversas votações nos próximos dias, como o projeto de lei que permite a união estável entre pessoas do mesmo sexo, a medida provisória que prevê incentivos tributários para empresas do setor de petróleo, entre outros.

ÚLTIMAS SESSÕES DO ANO NO STF

No Supremo Tribunal Federal (STF), as pautas de final de ano devem se concentrar em temas políticos. Entre os temas a serem discutidos no Tribunal estão o pedido de liberdade do empresário Joesley Batista, da JBS, e do executivo do grupo, Ricardo Saud. O recesso do STF tem início na semana que vem.

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *