Você certamente já ouviu falar e ficou curioso em saber como funciona a bolsa de valores, certo? Afinal, é comum vermos notícias sobre o assunto. O termo pode causar dúvidas no início, mas, quando explicado, fica fácil entender o que é esse ambiente de investimento.

A bolsa pode ser interessante para investidores que aceitam lidar com um pouco mais de risco. Inclusive, os investimentos dela vêm sendo cada vez mais procurados por brasileiros que buscam rentabilizar seu capital — especialmente no longo prazo.

Quer saber mais? Continue a leitura para entender o que é a bolsa de valores e como ela funciona!

O que é bolsa de valores?

A bolsa de valores é um ambiente onde podem ser realizados diversos investimentos de renda variável. Os mais conhecidos são as ações, mas também existem fundos imobiliários, fundos de índice (ETFs), certificados de investimentos internacionais (BDRs) e derivativos.

Como você pode ver, há grande diversidade de alternativas para investidores. Mas nem todas as possibilidades de renda variável são negociadas na bolsa. Algumas, como determinados fundos de investimentos, são encontrados nas plataformas de bancos de investimentos.

Caso você deseje se expor aos ativos da bolsa, saiba que ela representa como um local seguro para negociações entre emissores e investidores. Todas as operações são realizadas pela internet, com um sistema simples chamado de home broker.

Para acessá-lo, é preciso ter conta em um banco de investimentos. Depois, você pode procurar o que deseja e realizar ordens de compra e venda. Os preços na bolsa seguem a lei de oferta e demanda. Ou seja, podem oscilar constantemente a partir das movimentações do mercado.

Como funciona a bolsa de valores?

Agora você sabe que a bolsa de valores representa um ponto de encontro entre investidores que desejam vender ou comprar ativos, cotas de fundos e derivativos. Nela, existem diferentes mercado — como o mercado à vista, o mercado futuro, o mercado de opções e o mercado a termo.

O mercado à vista é o mais conhecido por investidores iniciantes, pois é nele em que se negociam ações, por exemplo. Nesse caso, existe o mercado tradicional, destinado à compra e venda de ações em lotes, e o mercado fracionário — onde podem ser comparados papéis individuais.

Outro entendimento que vale a pena ter sobre a bolsa de valores é em relação ao mercado primário e o secundário. O primeiro conceito representa as negociações que acontecem entre os emissores dos investimentos e os investidores.

Por exemplo, quando uma empresa abre capital na bolsa ela faz um IPO (oferta pública inicial). Nesse momento, a venda de ações tem o objetivo de atrair capital para o negócio. Assim, o dinheiro vai para a companhia.

Mas, depois que as ações são vendidas no IPO, as negociações passam a se dar no mercado secundário. Ou seja, não mais entre emissor e investidores, mas somente entre investidores. Logo, o dinheiro da venda vai para o proprietário anterior dos papéis.

Como investir na bolsa de valores no Brasil?

Se você tem interesse em entender como funciona a bolsa de valores, talvez queira realizar investimentos nela. Para isso, é preciso analisar uma série de critérios. Afinal, o investimento em renda variável apresenta riscos significativos.

Algumas dicas podem te ajudar na hora de começar a investir em ações. Confira!

Avalie seu perfil do investidor

O perfil de investidor serve para evidenciar suas preferências no momento de investir. Em especial, relacionadas à sua abertura ao risco. Investidores conservadores, por exemplo, costumam prezar pela segurança e não querem arriscar perder dinheiro.

Com isso, eles não muito atraídos pela bolsa. Já os investidores moderados aceitam tomar um pouco mais de risco em busca de resultados potencialmente mais altos. Enquanto isso, o investidor arrojado é aquele que prioriza o potencial de ganhos, abrindo mão da segurança.

É possível conhecer o seu perfil depois de abrir uma conta de investimentos. A instituição deve aplicar um questionário com os clientes para isso. A medida é obrigatória, segundo a Instrução Normativa n.539 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Por isso, antes de investir na bolsa avalie o seu perfil e decida qual percentual da carteira faz sentido colocar em maior risco. Isso depende da sua tolerância aos riscos e também dos seus objetivos como investidor.

Conheça os investimentos

Neste conteúdo você viu que a bolsa de valores vai muito além das ações — embora elas sejam os ativos mais conhecidos. Diante disso, é preciso entender o funcionamento das alternativas. Inclusive, porque existem opções com maior ou menor risco na bolsa.

Assim, ao entender como elas funcionam, você consegue escolher as que podem compor sua estratégia de maneira mais adequada. Alguns investidores focam em ações de grandes empresas, por exemplo, enquanto outros buscam companhias menores.

Existem, ainda, aqueles que preferem investir por meio de fundos. Você só saberá qual é o seu caso avaliando seu perfil, objetivos e conhecendo as particularidades de cada alternativa de investimento.

Agora você sabe como funciona a bolsa de valores — e pode avaliar se investir nela é uma opção para seu caso. Como existem possibilidades muito variadas, é essencial fazer uma análise criteriosa. Por isso, continue buscando informações!

Fazer cursos é uma ótima maneira de se preparar melhor para o mercado financeiro. Conheça o “Manual do Investidor” e saiba mais sobre como escolher seus investimentos!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *