Começar a investir pode ser intimidador — e isso é bastante compreensível. Afinal, você ainda não sabe qual é o caminho mais seguro para seguir nem conhece as opções de investimentos disponíveis no mercado que podem fazer sentido para iniciantes.

Além disso, existem questões básicas fundamentais, como poupar dinheiro e aprender sobre educação financeira, antes de dar seus primeiros passos nessa jornada. E entender esses aspectos é o que ajudará a transformar seus sonhos e projetos em realidade.

Por isso, você verá neste artigo, 7 dicas de investimentos para iniciantes começarem bem sua jornada nesse universo. Confira!

1. Saiba como poupar o seu dinheiro

Um dos primeiros passos para começar a investir é guardar dinheiro. No entanto, quando se tem um orçamento apertado certamente será necessário encontrar maneiras de poupar para ter capital suficiente para fazer seus primeiros aportes.

Para isso, você precisa, antes de tudo, organizar as suas finanças a fim de entender a sua situação atual. Nesse momento, é possível utilizar uma planilha de controle financeiro para centralizar todas as informações.

Assim, você conseguirá identificar quais são as despesas que podem ser reduzidas e os gastos desnecessários que podem ser eliminados. Além disso, entenderá se será necessário obter renda extra para realizar os seus projetos.

2. Busque conhecimento sobre o mercado

Após entender sua situação, é o momento de buscar informações sobre o mercado financeiro para saber como ele funciona. Ao pesquisar provavelmente você se deparará com diversos termos. Entre eles, o tripé de investimentos: rentabilidade, liquidez e segurança.

É fundamental compreendê-lo, pois é a partir dessas três características que você poderá identificar quais são os tipos de investimentos mais adequados para o seu caso. Saiba mais:

  • rentabilidade: representa a remuneração que você receberá ao fazer um investimento;
  • liquidez: é o processo de transformar o investimento em dinheiro, seja ao vendê-lo ou ao resgatá-lo;
  • segurança: relaciona-se com os riscos de perdas de um determinado investimento.

Todos esses itens estão relacionados entre si. Por exemplo, quanto mais seguro for um investimento, geralmente menor será a sua rentabilidade. Do contrário, quanto mais riscos eles apresentarem, maiores podem ser as chances de obter rendimentos significativos.

3. Entenda sobre os investimentos

Existem diversos tipos de investimentos que podem compor a sua carteira. Por isso, o próximo passo é conhecê-los. De modo geral, há duas classes principais:

Renda fixa

O investimento em renda fixa é aquele em que a forma de rentabilidade é conhecida no momento da aplicação. Logo, é caracterizado como seguro e estável. Entretanto, pode não oferecer uma remuneração tão elevada, pois os ganhos são limitados.

Alguns exemplos são os títulos do Tesouro Direto, o certificado de depósito bancário (CDB) e as debêntures. Além disso, há a letra de crédito imobiliário (LCI), o certificado de recebíveis do agronegócio (CRA) e fundos de investimento em renda fixa.

Renda variável

Na renda variável é impossível saber qual será o retorno. Isso porque essa classe não apresenta garantias e previsibilidade. O investidor está exposto à volatilidade do mercado. Ou seja, o preço do investimento varia de acordo com diversos cenários.

Por outro lado, não há limitação na rentabilidade, como há na renda fixa. Assim, os ganhos podem ser mais altos. Alguns exemplos dessa classe são ações, fundos de investimentos multimercados, fundos imobiliários, exchange traded funds (ETFs) e outros.

4. Descubra qual é o seu perfil de investidor

Após conhecer os tipos de investimentos disponíveis no mercado financeiro, é muito importante conhecer o seu perfil de investidor. Ele permite que você identifique sua tolerância ao risco, ajudando a definir a composição da sua carteira.

O seu perfil pode ser:

Conservador

O investidor conservador é aquele que não aceita se expor a muitos riscos. Logo, ele prioriza a segurança no momento de investir, mesmo que para isso precise renunciar à rentabilidade.

Moderado

Os moderadores aceitam se expor aos riscos em busca de ganhos maiores, mas ainda prezam pela segurança. Com isso, eles normalmente buscam equilibrar alternativas de renda fixa e variável.

Arrojado

Já os investidores arrojados têm uma tolerância alta aos riscos. Logo, aceitam abdicar da segurança para ter a oportunidade de rendimentos maiores.

5. Defina os seus objetivos financeiros

O perfil serve para guiar suas escolhas nos investimentos. Além dele, é preciso definir os seus objetivos financeiros. Para isso, pense no motivo pelo qual você pretende investir. Pode ser sua aposentadoria, a aquisição de um imóvel, uma viagem etc.

Definir as metas é importante para saber qual é o período em que você pretende cumpri-las. A partir disso, será mais fácil encontrar investimentos alinhados a esse prazo. Portanto, tenha cuidado no momento de estabelecer planos de curto, médio e longo prazos.

6. Abra uma conta em um banco de investimentos

Outra etapa importante para iniciantes é abrir uma conta em um banco de investimentos. Ele é responsável por intermediar a relação dos investidores com as alternativas do mercado financeiro.

Além dessa mediação, o banco também faz a custódia dos seus ativos, títulos e outros. Por isso, é fundamental escolher uma boa instituição. Antes de se decidir, conheça os benefícios e as alternativas que ele oferece. Depois disso, abra a sua conta.

7. Escolha opções alinhadas com seu perfil e objetivos

Após abrir a sua conta, é o momento de conhecer e escolher as opções de investimentos disponíveis no seu banco. Para isso, você deve analisar o seu perfil de investidor e seus objetivos financeiros, usando essas características para analisar o tripé dos investimentos.

Vale saber, ainda, que mais de uma opção pode se encaixar nas suas necessidades. Nesse contexto, a dica é buscar diversificar sua carteira. O objetivo é combinar investimentos com características distintas para ter melhores resultados.

Feito a sua escolha, é só começar a investir. Se possível, tente aportar com frequência, mesmo que seja com pouco dinheiro. Isso ajudará a aumentar seu patrimônio e atingir seus objetivos mais rapidamente.

Neste artigo você viu 7 dicas de investimentos para iniciantes. Assim, poderá começar a investir com mais consciência e se aproximar dos seus projetos. Portanto, não deixe de colocar as orientações em prática — e lembre-se de que o primeiro passo é poupar dinheiro!

Se você não sabe como economizar dinheiro para investir, então conheça nosso curso “Comece a Poupar” e transforme seus sonhos em realidade!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *