Manter as finanças organizadas é o objetivo de todas as pessoas. Dívidas e contas atrasadas impactam diretamente no bem-estar pessoal, gerando um grande desgaste mental. No Brasil, o volume de inadimplentes representa mais de 40% da população adulta do país.  

 

O endividamento pode ser causado por vários fatores. Por exemplo, imprevistos cuja reserva não supre as necessidades, desemprego, a irracionalidade no consumo exagerado, má administração das finanças pessoais, entre outros. O ideal é ter suas econômicas organizadas de uma forma saudável e com um planejamento adequado às metas e objetivos de vida. Mas nem sempre isso acontece conforme o esperado.  

 

Então, como sair do endividamento? Por onde começar? Separamos algumas dicas para ajudar você a reverter essa situação desagradável e sair das dívidas com alguns aprendizados importantes. Confira! 

 

Tenha uma visão ampla de todos os seus gastos 

 

Antes de quitar as dívidas é preciso colocar todos os gastos na ponta do lápis e fazer uma análise geral. Faça uma lista no papel ou crie uma planilha e verifique cada débito pendente, do mais caro ao mais barato, por ordem de atraso e urgência de pagamento.  

 

Reúna os extratos bancários e os cartões de crédito, compare as taxas de juros dos empréstimos que possui e veja quais dívidas comprometem a maior parte do seu rendimento mensal. 

 

 

Reavalie os gastos desnecessários 

 

Ter a visibilidade total dos gastos é muito importante para saber como sair do endividamento. Isso ajuda a priorizar as contas que devem ser quitadas antes, assim como aquelas despesas que podem ser cortadas — contribuindo para desafogar um pouco a situação.  

 

Revisar as contas fixas, como o plano de telefone e internet, ou até aqueles gastos mensais não tão necessários – como assinaturas de serviços de streaming – podem trazer um grande alívio no orçamento. 

 

Lembre-se de que as contas em atraso devem ser quitadas com maior urgência, independentemente do valorAfinal, os atrasos resultam em incidência de juros — ou mesmo juros sobre juros. 

 

Renegocie suas dívidas 

 

Se você está pensando em como se livrar das dívidas de uma forma mais prática, tenha em mente que pode ser a hora de procurar renegociar as dívidas.  

 

Para uma ação imediata, tente entrar em contato com o credor ou com a instituição financeira para um acordo. Converse sobre as possíveis condições disponíveis para que esse débito possa vir a ser pago. Isso também pode ajudar a entender melhor o tempo que você precisará se organizar para sair do endividamento. 

 

Mesmo que neste momento você não tenha como arcar com o valor total da dívida de uma única vez, de acordo com o volume das despesas, talvez seja melhor liquidar as contas pouco a pouco. Optar por um financiamento (e manter a sua saúde financeira em dia), por exemplo, pode ser mais interessante que fazer um novo acordo e criar uma “bola de neve”. 

 

Avalie as alternativas e verifique quais delas fazem mais sentido para você. 

 

Estude a transferência da dívida 

 

Caso a negociação com as empresas credoras não funcione, avalie a possibilidade de portabilidade do crédito. Você pode encontrar alguma instituição que disponha de opções mais vantajosas para quitar suas dívidas.  

 

Pode ser que com a transferência você consiga reduzir a taxa de juros, ajustando-as ao seu novo orçamento mensal, de uma forma mais favorável do que com a instituição antiga. 

 

Pesquise bastante antes de tomar essa decisão, mas também saiba — através da análise dos débitos pendentes — qual o seu limite financeiro. Dessa forma, você se previne de armadilhas e de propostas desvantajosas. 

 

Mas lembre-se: o ideal é que 30% do seu rendimento mensal seja direcionado ao seu endividamento total, não mais que isso. Assim você evita um superendividamento no futuro breve. 

 

Cumpra com o acordo das dívidas 

 

Não adianta organizar todos os gastos para sair das dívidas e não honrar com os pagamentos. Então mantenha o controle dos gastos e não fique inadimplente com seus compromissos.  

 

Normalmente, é mais complicado negociar um acordo já feito em casos de inadimplência. Então, vale atenção neste quesito. 

 

Invista em sua educação financeira

Se está se perguntando em como agir para sair do endividamento de uma vez por todas, o primeiro passo é se conscientizar economicamente e investir em sua educação financeira. Após quitar as dívidas, é comum que algumas pessoas voltem aos velhos hábitos e desenvolvam outros compromissos financeiros, entrando novamente no vermelho.  

 

Tenha em mente que a melhor forma de sair das dívidas é não entrar nelas. Portanto, adquira o conhecimento necessário para evitá-las.  

 

O ideal é que todo ex-endividado construa uma nova mentalidade financeira. E inicie essa jornada criando uma reserva de emergência. Nesse sentido, a dica é pesquisar e estudar mais sobre esse universo. Ao começar a ler mais sobre, verá que administrar as finanças adequadamente também pode gerar bons negócios.  

 

Quer aprender mais sobre finanças e investimentos? Então clique aqui e descubra como cuidar melhor do seu dinheiro! 

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *