Um bom investimento requer a adoção de estratégias que visem reduzir os impactos negativos reverberados pelo comportamento do mercado, obtendo resultados atraentes para o investidor. Nesse sentido, a estratégia de rebalancear a carteira é uma excelente opção para quem busca retomar o equilíbrio da sua carteira de investimentos e garantir a manutenção dos riscos.

Quando o investidor constrói uma carteira diversificada, são definidos percentuais de investimentos com o objetivo de compor um conjunto adequado ao seu perfil. Entretanto, para essa estratégia funcionar, ela deve levar em consideração a capacidade de manter a alocação de recursos por longos períodos de tempo, independentemente das condições de mercado.

Como o investidor não tem condições de prever quando haverá alta ou baixa em taxas de juros, nem como vai se comportar a bolsa de valores ou a inflação, é natural que a alocação de carteira de investimentos se afaste dos níveis estabelecidos inicialmente. Esse movimento de afastamento é que traz importância e relevância no uso do rebalanceamento de carteira.

Neste artigo, você vai compreender de uma vez por todas o que é essa estratégia, por que ela é tão importante e quais são os seus benefícios, além de aprender como e quando é bom rebalancear. Confira!

O que é o rebalanceamento da carteira de investimentos?

O rebalanceamento da carteira de investimentos é uma técnica utilizada com o objetivo de ajustar o percentual dos ativos da carteira para percentuais determinados em uma estratégia de alocação.

Isso quer dizer que se trata de uma ação que visa retomar o equilíbrio inicial da carteira e investimentos.

No rebalanceamento, o investidor vende os ativos que alcançaram uma rentabilidade acima do esperado e compra aqueles nos quais a rentabilidade ficou abaixo da expectativa. Com essa ação, ele trará a carteira de volta à sua alocação original.

Agindo dessa maneira, o investidor mantém a carteira de investimentos alinhada ao seu perfil, previne a ação errônea de comprar na alta e vender na baixa rentabilidade e contribui para maiores ganhos financeiros a longo prazo.

Importância de rebalancear a sua carteira

Vender na alta e comprar na baixa?

Você deve estar se perguntando: “afinal de contas, como isso pode ser vantajoso para minhas aplicações?”. A resposta é simples: o rebalanceamento é muito importante porque mantém o equilíbrio e os riscos da carteira de investimentos adequados ao seu perfil.

Imagine, por exemplo, se o mercado está seguindo uma crescente significativa; carteiras de alto e baixo riscos acabariam se beneficiando com os resultados do mercado, trazendo uma rentabilidade considerável. Sem nenhuma ação dos investidores, as carteiras se tornaram mais arriscadas.

Além disso, qualquer crise ou movimentação brusca no mercado pode ocasionar uma queda mais significativa do que a rentabilidade anteriormente observada. Isso pode representar um risco para investidores que não têm esse perfil e não gostam de trabalhar com esse tipo de flutuação.

E é justamente aí que entra o rebalanceamento. A estratégia permite que o investidor retorne o risco da carteira ao nível definido inicialmente, o que naturalmente reduz as ameaças de perda de investimentos.

Além de manter o perfil buscado pelo investidor quando elaborada a carteira de investimentos, o rebalanceamento traz outros benefícios para quem investe. Confira!

Ajuda a comprar na baixa e vender na alta

Investidores experientes sabem que um dos principais erros no mercado de ações é comprar ativos quando todo mundo está auferindo benefícios e deixar de comprar quando os investidores estão perdendo. Isso porque, por meio dessa ação, o investidor acaba comprando quando o ativo está em alta e vendendo quando ele está em baixa.

Dessa forma, a estratégia de rebalancear a carteira evita que isso aconteça, já que a baixa de uma ação é uma oportunidade muito mais interessante para adquiri-la, afinal o seu preço está abaixo do valor normalmente praticado pelo mercado.

Aumento da rentabilidade a longo prazo

Outra vantagem do rebalanceamento de carteira é que o investidor garante a rentabilidade a longo prazo, já que a metodologia utilizada evita erros de comportamento provocados pelas altas e baixas do mercado.

Com a adoção de critérios preestabelecidos, fica muito mais fácil seguir um padrão de comportamento e garantir melhores resultados a longo prazo.

Quando se deve rebalancear a carteira?

Existem diversas maneiras de rebalancear a sua carteira de investimentos. Alguns profissionais com expertise na área indicam a realização do procedimento sempre que houver uma oscilação do mercado. Entretanto, na prática, essa ação acaba não sendo a melhor alternativa, já que gera altos custos que podem tornar o processo inviável.

Assim, existem duas linhas principais de temporalidade para a aplicação do rebalanceamento. A primeira delas é a estratégia de tempo, na qual se estabelecem períodos em que será feito o rebalanceamento. Isso quer dizer que ela poderá ser feita bimestralmente, trimestralmente ou semestralmente, a critério do investidor.

A outra linha de temporalidade utiliza percentuais como base para a aplicação do rebalanceamento. Por meio dessa estratégia, os investidores realizam o rebalanceamento apenas nas situações em que a alocação de ativos se afastou por um desvio percentual previamente estabelecido.

Esse percentual pode ser de 1%, 10% e até 30%, ficando a critério do investidor a definição sobre os percentuais que serão considerados em sua carteira.

A adoção da melhor estratégia vai depender do objetivo e do perfil de risco do investidor.

Rebalanceamento na prática: como fazer

O rebalanceamento nada mais é do que a venda e compra de ativos. Por isso, a prática dessa metodologia leva à ação de compra e venda.

Além disso, podemos destacar que essas transações geram custos para o investidor, que podem atrapalhar na rentabilidade. Por isso, vale a pena estudar e avaliar uma ação antes de tomar qualquer iniciativa de ordem prática.

Uma dica para rebalancear a carteira com um custo mais baixo é fazendo novas aplicações regularmente e reinvestir dividendos. Para saber mais sobre dividendos, basta clicar aqui.

Muitos investidores questionam se rebalancear a carteira pode ser uma estratégia vantajosa e, ao mesmo tempo, de baixo custo. Para isso, é importante ter consciência de que o mercado é cíclico, e que o perfil do investidor e os riscos que ele deseja assumir são fatores importantes para definir qualquer ação estratégica de compra e venda.

O rebalanceamento é uma tarefa importante, que mantém o controle dos riscos e garante o sucesso de estratégias de investimento, principalmente passivos. Por isso, busque conhecer a sua carteira e avalie quais são suas estratégias; talvez, o rebalanceamento seja uma excelente opção para manter a segurança dos seus investimentos.

Gostou de saber mais sobre a estratégia de rebalancear a carteira? Então amplie seus conhecimentos conhecendo as 12 principais ferramentas para investidores!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

 

 

Artigo publicado originalmente em 30/08/2017. Atualizado em 15/02/2019.

Autor

Equipe André Bona

Nosso site é um site de educação financeira independente com a missão de auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e os seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *