No mercado financeiro, existem pessoas que buscam oportunidades de lucrar no curto prazo ao adquirir ações e cotas de fundos imobiliários que acabaram de estrear no mercado de capitais. Assim, quem adota a prática é conhecido como flipper.

Nesse caso, a estratégia de operação utilizada é chamada flipagem. Por meio dela, é possível participar da abertura de capital na bolsa de uma forma diferente. No entanto, antes de adotar a prática, é necessário conhecer as suas características.

Neste artigo, você entenderá o que é flipper, como funciona a estratégia utilizada e quais são os riscos envolvidos na operação. Vamos lá?

O que é flipper?

O flipper é o especulador que busca ganhar com a diferença de preços de ativos recém-lançados na bolsa de valores. Embora seja uma estratégia de especulação com riscos elevados, ela pode gerar lucros no curto prazo.

Na prática, a flipagem consiste em comprar ações ou cotas de fundos de investimento imobiliário antecipadamente, quando elas são lançadas no mercado. Depois, a intenção é vendê-las em seu dia de estreia no pregão da bolsa.

Logo, é uma forma de operação no curtíssimo prazo, que pode ser considerada um modelo de day trade caso a venda do ativo aconteça no mesmo pregão. Contudo, vale destacar que essa não é uma estratégia de investimento, mas sim de especulação.

A lógica dessa operação se baseia no fato de que, normalmente, o preço das ações e das cotas varia bastante nas primeiras horas após a estreia no mercado. Assim, o especulador pode recuperar o dinheiro gasto e, até mesmo, obter uma margem de lucro na operação.

O que faz o flipper?

Após conhecer o que é flipper, é necessário entender como ele atua. Para isso, ele fica atento aos planos de estreia na bolsa de empresas e fundos imobiliários para decidir se vale a pena comprar esses ativos durante a fase de reserva.

Se ele concluir que há expectativa de valorização no pregão de abertura, a operação pode ter potencial de lucro. Portanto, a oferta pública inicial (IPO) é uma etapa essencial para o flipper.

A partir do momento que a empresa ou fundo comunica ao mercado com o prospecto de oferta das ações ou cotas, os interessados podem optar por investir. O flipper, então, faz a reserva da quantidade desejada de ações ou cotas dos fundos e, após a estreia, realiza a venda dos ativos.

O objetivo é aproveitar as variações de preços que podem ocorrer no IPO. Isso acontece porque o preço de reserva costuma ser inferior ao de venda quando há um alto interesse pelas ações ou cotas.

Logo, se no momento da estreia houver uma grande procura, o aumento da demanda pode elevar a cotação de negociação. Ao fazer a venda dos ativos nesse momento, o flipper tem chances de obter lucros.

Contudo, vale ressaltar que não há garantias de ganhos na renda variável. Por esse motivo, se o preço dos ativos não se comportar da forma esperada pelo flipper, ele pode ter prejuízos financeiros.

O que normalmente um flipper analisa?

Quem deseja flipar na bolsa precisa saber analisar se as condições do mercado estão favoráveis para a operação. Se a demanda dos investidores não for tão intensa, pode não haver uma valorização significativa nos preços.

Consequentemente, o flipper pode ter perdas financeiras. Portanto, é importante analisar diversos fatores antes do período de reserva, como:

  • setor de atuação da empresa;
  • volume de ofertas de ações ou cotas no IPO;
  • book de ofertas;
  • prazo para liquidação financeira dos ativos.

Se o flipper concluir que a tendência é a demanda superar a oferta, deve fazer a reserva que corresponda ao volume financeiro que deseja alocar. Como o processo é realizado pelo home broker, é necessário ter conta em uma instituição financeira.

O próximo passo é indicar o preço máximo que se está disposto a pagar pelas ações ou pelas cotas. Se o número apresentado for maior ou igual ao preço final, há o período de liquidação para adquirir os ativos reservados. Se for menor, não é possível participar do IPO.

Para fazer a venda no dia do IPO, o flipper pode utilizar a análise técnica. O objetivo é identificar o momento mais adequado para vender os ativos e alcançar o lucro desejado. No entanto, como é a estreia da ação ou cota na bolsa, o volume de dados tende a não ser suficiente para realizar uma análise robusta.

Quais são os riscos e as vantagens de ser flipper?

Como toda estratégia, a flipagem apresenta riscos e vantagens que devem ser consideradas. Por exemplo, a estratégia pode ser utilizada como uma forma de diversificar as operações que um especulador utiliza na bolsa.

Em relação às vantagens, vale destacar que existe um potencial de ganhos com a operação. Se houver a valorização da ação ou da cota no IPO, a compra por um preço mais baixo pode resultar em lucros significativos.

No entanto, vale ressaltar que a prática é vista pelo mercado de forma delicada. Isso porque a flipagem pode desempenhar uma especulação prejudicial ao cenário financeiro. Para as instituições, há o risco de que o processo possa comprometer a emissão das ações e cotas de fundos.

Já para quem utiliza a estratégia, existe o risco de os ativos não se comportarem da forma prevista, gerando prejuízos. Além disso, o baixo volume de informações disponíveis pode prejudicar a realização de uma análise técnica mais aprofundada.

Dessa forma, o flipper precisa de ainda mais atenção ao tomar suas decisões. Portanto, é importante ter maior conhecimento sobre o mercado financeiro antes de colocá-la em prática.

Vale a pena ser flipper?

Depois de saber mais sobre a flipagem, você pode se perguntar se vale a pena se tornar um flipper. A resposta dependerá do seu perfil de investidor e dos seus objetivos financeiros no mercado. Por ser uma estratégia especulativa, é necessário ter maior apetite aos riscos.

Ademais, como você viu, para se tornar um flipper bem-sucedido é necessário ter bastante conhecimento sobre o mercado financeiro. Assim, a prática pode não ser aconselhável para iniciantes, por exemplo, porque envolve análises de empresas e fundos imobiliários.

Agora você sabe como um flipper atua na bolsa de valores e como funciona a estratégia utilizada por ele. Antes de realizar a flipagem, avalie se a alternativa é adequada para as suas expectativas e necessidades no mercado de capitais!

Gostou do conteúdo? Então complemente a leitura e entenda o que é um trader na bolsa de valores!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *