O universo dos investimentos oferece muitas possibilidades aos que desejam multiplicar seu patrimônio, garantir estabilidade financeira e alcançar metas. Contudo, nem sempre é fácil se manter focado na hora de investir. Nesse sentido, pode ser uma boa ideia contar com a inspiração certa — como a trajetória do investidor brasileiro Guilherme Aché.

Ao conhecer mais sobre sua história e conquistas, investidores de todos os perfis podem entender melhor temas como gestão de risco e investimentos a longo prazo, por exemplo. Neste artigo, você verá a visão do investidor, em relação a esses e outros assuntos!

Se você deseja se inspirar e entender mais sobre o caminho percorrido por Guilherme Aché, continue a leitura!

Quem é Guilherme Aché?

Quem se interessa por economia ou investimentos provavelmente já ouviu falar sobre quem é Guilherme Aché. Considerado comedido e calculista, ele administra cerca de 7,5 bilhões de reais em fundos na empresa Squadra Investimentos.

Ela é uma gestora independente e voltada ao mercado de Ações, fundada pelo investidor. Além disso, ele também está ligado a grandes organizações do mercado financeiro, como o BTG Pactual (o maior bancos de investimentos da América Latina).

Também esteve ligado à JGP Gestão de Recursos antes da Squadra Investimentos. Em toda a sua trajetória e nas empresas por onde passou, o megainvestidor alcançou resultados positivos e se destacou no mercado financeiro.

A trajetória de Guilherme Aché

Com tantas conquistas em mãos, pode ser inspirador e interessante ao investidor brasileiro da atualidade entender mais sobre a trajetória de Guilherme Aché. Em especial àqueles que desejam otimizar seus resultados.

Ele nasceu na capital do Rio de Janeiro. Além de seu aprendizado básico, que se iniciou na escola Santo Agostinho, o investidor viveu 2 anos na Nigéria e outros 2 anos na Inglaterra. Ao retornar definitivamente ao Brasil, Aché decidiu iniciar uma faculdade de Administração de Empresas e Economia.

Contudo, por ter uma conexão especial com a segunda área, abandonou o curso e entrou em uma nova faculdade. Na notável Universidade Cândido Mendes, Aché se formou no curso de Economia.

Ainda durante a faculdade, foi convidado para atuar em seu primeiro emprego. Um estágio no banco Performance. Em seguida, se tornou analista de empresas do Montreal Bank. Porém, não ficou muito tempo no cargo. Aché logo foi convidado para trabalhar no Pactual — que atualmente é o BTG Pactual.

Foi lá que o investidor iniciou sua jornada de maior destaque. Nos três anos seguintes, ele se tornou chefe de departamento — com apenas 23 anos. Em 1998, deixou o Pactual e fundou a JGP Gestão de Recursos, junto a Paulo Guedes e André Jakurski.

Na época, ambos eram considerados grandes nomes no universo bancário — além de serem, também, fundadores do Pactual. A seguir, veja mais detalhes sobre a experiência de Guilherme Aché!

Trabalho no Banco Pactual

O banco, hoje chamado de BTG Pactual e integrado à plataforma de investimentos BTG Pactual Digital, teve uma grande importância na carreira de Aché. Foi lá que o investidor aprendeu muito do que sabe sobre gestão de riscos.

Isso porque, segundo o próprio Aché, foi onde passou por um dos maiores crescimentos profissionais e pessoais de sua vida: a perda de todo patrimônio pessoal. Algumas pessoas não sabem, mas o investidor já tinha vivido essa experiência antes.

Em 1994, ele havia investido em Ações de alto risco do Banco Nacional, cuja valorização (esperada) nunca ocorreu. Já no antigo Pactual, realizou investimentos substanciais na Telebras (hoje vinculada ao Ministério das Comunicações).

As operações se desvalorizaram e levaram o investidor a perder, novamente, todo o dinheiro investido. Mas, para ele, mesmo com o desafio, o trabalho no banco trouxe diversos outros conhecimentos relevantes sobre investimentos.

Fundação da JGP Gestão de Recursos

Os percalços vividos por Guilherme Aché o ajudaram em sua atuação da JGP. Um exemplo disso é o caso da siderúrgica CSN, que ocorreu entre 2001 e 2002. Nessa situação, o investidor sugeriu à gestão da JGP a compra de 5% da CSN, que custou 50 milhões de dólares. Apenas alguns meses depois, com a valorização de 70%, a JGP embolsou ou lucros e saiu da posição.

Ainda que, naquele momento, a organização tenha lucrado, a experiência trouxe um novo e importante aprendizado a Aché. Ele passou a ter cuidado com a cultura do curto prazo. Um dos motivos do investidor apreciar tanto o longo prazo hoje é, justamente, o resultado dessa operação.

Afinal, anos depois a CSN chegou a valer cerca de 1 bilhão de dólares. Assim, caso os investidores tivessem esperado para realizar o lucro, poderiam ter ganhado ainda mais. Além desse ensinamento, Aché passou a olhar a preservação do capital em um investimento como seu objetivo principal.

Fundação da Squadra Investimentos

Foi com os aprendizados citados em mente que, no ano de 2007, Aché deixou a JGP — por acreditar estar estagnado na gestora. Então, fundou a Squadra Investimentos em 2008. Tendo total controle da empresa, o investidor conquistou enormes resultados.

Hoje, além do valor de 7,5 bilhões de reais em fundos, a gestora possui 2 fundos principais: o Squadra Long-Only FIC FIA e o Squadra Long-Biased FIC FIA.

O que aprender com Guilherme Aché

A trajetória de Aché diz muito aos investidores da atualidade. Ela traz alguns pontos principais à tona. Em primeiro lugar, que não existe investimento sem riscos. Mesmo os investidores experientes estão sujeitos a previsões que não se concretizam conforme o esperado. Por isso, é importante buscar aprender cada vez mais e cultivar a resiliência.

Em segundo lugar, é interessante pensar no longo prazo, em especial no mercado de Ações. Muitas vezes, o resgate prematuro de um investimento pode custar algumas possibilidades ainda melhores. Da mesma forma que o resgate tardio pode ocasionar perdas.

Finalmente, a história de Aché como investidor, gestor, sócio e fundador de empresas, fala sobre oportunidades. Mesmo cumprindo um grande papel na JGP, ele decidiu começar seu próprio negócio, onde se tornou protagonista. Desse modo, é possível perceber que nem sempre a zona de conforto é o melhor lugar para estar.

Como você pode ver, Guilherme Aché tem um caminho notável pelo universo dos investimentos. E pode servir de inspiração para investidores de todas as idades. Sendo assim, não deixe de revisitar este conteúdo sempre que precisar de uma nova perspectiva no momento de investir!

Que tal saber mais sobre os investimentos de longo prazo? Confira o que é e como fazer uma análise fundamentalista!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *