Você já ouviu falar na “briga” entre Keynes e Hayek? Se não, saiba que o pensamento desses dois economistas moldaram a forma como a economia mundial se comporta. Na verdade, o mundo praticamente é governado quase que somente por essas duas correntes de pensamento.

Em épocas de turbulência na economia, os dois tiveram pensamentos opostos e muito influentes. Tanto que essa “guerra” ficou conhecida como o maior duelo econômico de todos os tempos. Isso porque os dois vinham de realidades diferentes e viviam discordando um do outro em suas teorias econômicas.

De uma forma de outra, o pensamento dos dois tem influência até hoje e não podemos dizer qual o verdadeiro vencedor dessa batalha. Entenda agora o pensamento desses dois economistas e o que cada um defendia e veja como isso impactou a economia atualmente!

O pensamento de John Maynard Keynes

John Maynard Keynes era um economista britânico que nasceu em 1883 e faleceu em 1946. Formou-se em economia pela King’s College, da Cambridge University. Trabalhou no Tesouro Britânico e teve papéis de importância, participando das negociações após a Primeira Guerra Mundial em Versailles e também foi um dos principais idealizadores do famoso acordo de Bretton Woods.

Keynes também foi professor de economia do King’s College e diretor do Bank of England. Considerado por muitos como um economista progressista.

De maneira resumida, acreditava que o Estado deveria intervir para impulsionar os investimentos e que, em tempos de crises econômicas, era melhor ter o dinheiro líquido (em circulação) do que abrir mão de emprestá-lo ou de gastá-lo, evitando a austeridade.

Ainda, defendia que a economia deve ser entendida pelo quadro geral. Ou seja, deve-se analisar tópicos como oferta, demanda e taxa de juros para entender seu funcionamento (macroeconomia).

Por curiosidade, Keynes influenciou o pensamento de outros economistas. Dentre eles, Thomas Piketty, autor do best sellerO capital no século XXI”.

Sua corrente de pensamento deu origem ao keynesianismo, que leva seu nome.

Keynesianismo

O keynesianismo pode não ser conhecido por nome, mas diversas nações aplicam ou aplicaram essa corrente na sua economia. Também conhecida como Teoria Keynesiana, trata-se de uma doutrina oposta às ideias do liberalismo.

Nessa corrente de pensamento, o Estado tem papel importante e muito presente na construção de uma nação. Keynes pautava-se pela macroeconomia, propondo um regime que controla a inflação e gera emprego para a população.

Dessa forma, o desemprego acabaria, pois todos poderiam ter oportunidades no sistema capitalista. O keynesianismo defende também que era dever do Estado oferecer benefícios sociais aos trabalhadores, como seguro-desemprego, salário mínimo, saúde pública, entre outros.

Ou seja, o Estado deveria proporcionar uma vida digna à sua população. Foi essa teoria que deu origem ao conceito de estado de bem-estar social.

Podemos dizer então que Keynes defendia:

  • Estado como o provedor de uma vida digna aos cidadãos;
  • oposição aos ideais liberais e neoliberais;
  • investimento de capital por parte do governo;
  • protecionismo (proteger o mercado interno da concorrência externa) e equilíbrio econômico;
  • redução das taxas de juros;
  • equilíbrio entre a demanda e a produção;
  • Estado deve intervir na economia;
  • garantia de pleno emprego;
  • benefícios sociais.

Onde o Keynesianismo foi aplicado

Os ideais de John Maynard Keynes estão presentes em diversas economias ao redor do mundo. Vários países tentam aplicar o conceito de bem-estar social e outras ideias, como: benefícios sociais e intervenção do Estado na economia, em algum grau.

O New Deal, sistema adotado pelo ex-presidente estadunidense Franklin Delano Roosevelt foi um grande exemplo da aplicação do Keynesianismo e do conceito de bem-estar social.

Foi nessa época que os EUA viram o maior desenvolvimento na construção civil, com a construção de grandes edifícios, pontes e pavimentação de estradas, coordenadas por agências federais, como a CCC (Corpo de Conservações Civis) que geravam empregos diretos.

Vale destacar que essa corrente não deve ser confundida com o socialismo, uma vez que ela é utilizada no sistema capitalista e não defende um sistema de produção planificada.

O pensamento de Friedrich August von Hayek

Hayek é austríaco e um dos fundadores da escola austríaca de pensamento econômico. Além de economista, tem formação em filosofia, psicologia e doutorado em direito e ciência política. Foi professor na London School of Economics, Universidade de Chicago e na Universidade de Freiburg. Ganhou o Prêmio Nobel de Economia em 1974.

Mais novo que Keynes, nasceu em 1899 e faleceu em 1992. Seus pensamentos influenciaram diversos economistas, dentre eles, Milton Friedman.

O que Hayek defendia

A Hayek foi um dos maiores defensores do liberalismo. O liberalismo é a corrente que preza pela liberdade individual.

O chamado liberalismo econômico foi criado pelo economista Adam Smith, que defende que os cidadãos têm direito ao voto, liberdade individual, social, econômica, política, religiosa e assim por diante. Tudo isso mediante um regime de livre mercado.

A teoria liberal defende baixa intervenção estatal na economia, o oposto do Keynesianismo. Logo, Hayek defendia principalmente que a economia deveria funcionar livremente, sem intervenção do Estado.

Acreditava que o Estado tomando decisões levaria ao fracasso, pois a economia é dinâmica e o Estado não saberia sempre tomar as melhores decisões para todos. Por isso, quem deveria ser responsável pelas decisões econômicas são as pessoas nas suas escolhas diárias. Assim, o mercado escolhe quem oferece o melhor produto e os que não se ajustam acabam saindo.

A economia, segundo Hayek, se desenvolveria no longo prazo e se ajustaria com variáveis, como o preço.

Assim, podemos dizer que F. A Hayek defendia:

  • ausência de intervenção do Estado;
  • o preço é uma variável do ajuste econômico;
  • o indivíduo é capaz de tomar a melhor decisão econômica;
  • nenhum agente econômico tem todas as informações;
  • livre mercado.

Ao contrário de Keynes, que defendia a macroeconomia, Hayek defendia a microeconomia. Ou seja, acreditava que era impossível entender a economia como um todo e que era preciso analisar a ação dos indivíduos no mercado verificando itens como custo e valor, dentre outros.

As teorias de Hayek são importantes para as teorias liberais e neoliberais. Países que aplicam esse conceito acabam utilizando muito as ideias de Hayek em seus governos. Como exemplos, podemos citar o governo do estadunidense Ronald Reagan e as ideias da britânica Margaret Thatcher.

Keynes x Hayek: qual dos dois está certo?

Nenhum dos dois está certo ou errado. Diversos estudiosos encontram falhas e pontos positivos em ambas as teorias.

Enquanto Keynes defendia um Estado forte, que tenha protagonismo, regule o mercado e proporcione bem-estar ao povo, Hayek acreditava no liberalismo, no livre mercado, pouca ou quase nenhuma atuação no mercado e que as pessoas tinham que tomar decisões econômicas e trabalharem para seu bem-estar.

O Keynesianismo foi muito utilizado em épocas que o capitalismo e o sistema liberal apresentou problemas. Por isso, principalmente depois da Segunda Guerra Mundial, diversos países começaram a aplicar as ideias dessa corrente para melhorar a economia.

Outro momento marcante foi após a crise de 1929, na qual os EUA sofreram com excesso de produção e pouca demanda para absorver a quantidade de produtos produzidos.

Atualmente, com a globalização, o Keynesianismo perdeu espaço para o neoliberalismo, uma “atualização” do liberalismo clássico. O neoliberalismo defende ideais como: privatização de empresas estatais, abertura econômica mediante a livre circulação de capital internacional e outros.

Contudo, tanto o keynesianismo, o liberalismo e o neoliberalismo apresentam falhas. E, por isso,é comum que não sejam defendidos a “ferro e fogo”.

Caso você tenha interesse em se aprofundar sobre o duelo entre esses dois pensadores, vale a pena acompanhar leituras sobre teorias econômicas e livros que esmiuçam os debates entre Keynes e Hayek.

Conclusão

Mesmo não conhecendo os dois teóricos, saiba que sua vida foi muito influenciada por eles. Diante de tantas teorias, o mundo vive dividido entre os ideais de Hayek e as ideias de Keynes.

E, concordando ou não com eles, os dois economistas tiveram papel fundamental na formação de um pensamento que tinha como objetivo melhorar a economia de países ao redor do mundo. E, por isso, vale a pena sempre conhecê-los.

Quer aprender como investir melhor? Então clique aqui!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Comentários

  1. Leonardo de Souza Silva    

    O atual momento crítico por que passamos- economia estagnada pelo coronavírus – exige do Estado atuação firme com um misto do pensamento de Keynes e Hayek.
    Estado induzindo investimento econômico mas com livre mercado e com proteção social-econômica aos necessitados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *