Você já ouviu falar no imposto come cotas? Esse nome estranho pode fazer muita gente pensar que se trata de mais um imposto feito para “pegar mais dinheiro” dos investidores. O que não é bem verdade.

O imposto come-cotas é, basicamente, uma antecipação de tributação. No entanto, ele pode sim fazer uma diferença significativa nos seus rendimentos. E, por isso, ele precisa ser observado.

Mas será mesmo que o imposto come-cotas pode lhe dar tanta dor de cabeça? Leia o artigo, descubra o que é o come-cotas e tire todas as suas dúvidas!

O que é o imposto come-cotas?

O come-cotas nada mais é do que a antecipação do recolhimento do Imposto de Renda em alguns fundos de investimentos. Chamam-no dessa forma porque este imposto reduz semestralmente as cotas dos cotistas em fundos, em alíquotas que variam de 15% a 22,5%.

Todo investidor que aplica em fundos de curto ou longo prazo, em algum momento, acaba se deparando com o come-cotas, seja o fundo de renda fixa, cambial ou outro. Nesses fundos, o imposto de renda é cobrado sobre o total do rendimento.

Essa cobrança segue uma tabela. Confira:

Fundos de Curto Prazo

  • 22,5% em aplicações de até 180 dias;
  • 20,0% em aplicações de 181 dias ou mais.

Fundos de Longo Prazo

  • 22,5% em aplicações de até 180 dias;
  • 20,0% em aplicações de 181 dias a 360 dias;
  • 17,5% em aplicações de 361 dias a 720 dias;
  • 15,0% em aplicações de 721 dias ou mais.

O come-cotas aparece, portanto, quando se antecipa esse Imposto de Renda retido na fonte. A cada seis meses, o número de cotas diminui e o percentual do imposto sobre os rendimentos fica equivalente.

Veja agora um exemplo de como é calculado esse imposto:

Vamos supor que você aplique R$ 20 mil em um fundo de renda fixa para o longo prazo em outubro e, no final de novembro, você tem investidos R$ 20.100,00. Na data do come-cotas, será cobrado do cotista o valor de 15% sobre os R$100, que foi o rendimento deste investimento.

Ou seja, na data do imposto, o come-cotas abaterá R$ 15 em cotas e você ficará com R$ 20.085,00 investidos.

Caso a rentabilidade do seu investimento seja negativa, o imposto come-cotas não será cobrado, pois ele incide apenas sobre o quanto o investimento rendeu.

Como funciona o imposto come-cotas?

O come-cotas funciona, portanto, de uma maneira bem simples. A cada seis meses, mais especificamente no fim dos meses de maio e de novembro, será reduzido automaticamente o número de cotas que equivale ao percentual do Imposto de Renda cobrado sobre os rendimentos da sua aplicação.

Isso significa que haverá um certo resgate de cotas automático, que é a antecipação do imposto, mesmo que você não tenha efetuado essa operação. Isso porque a incidência do come-cotas é automática.

Quais são os fundos afetados pelo imposto come-cotas?

Você precisa saber que o come-cotas existe e quais os fundos podem ser afetados por eles para ter uma ideia de quanto serão seus rendimentos. Os fundos nos quais incide este imposto são:

  • fundos de renda fixa: compostos por títulos do Tesouro Nacional, CDBs, debêntures, LCI e outros;
  • fundos multimercados: fundos que diversificam aplicações em diferentes tipos de ativos, sendo de renda fixa, renda variável ou outros;
  • fundos cambiais: investem em títulos que investem nas flutuações de moedas estrangeiras, geralmente o dólar, ou em variações nos juros;
  • fundos DI: que acompanha a variação do CDI e possui títulos ligados a taxa Selic.

Ou seja, a maioria dos fundos pode sofrer com o imposto come-cotas e poucos são isentos desse pagamento antecipado. É o caso dos fundos de ações, fundos de Previdência Privada e os fundos imobiliários.

Qual a desvantagem do imposto come-cotas?

Antes de explicar as desvantagens desse imposto, é importante deixar claro que o come-cotas não faz com que o imposto de renda seja recolhido em dobro! Muitos podem entender assim, mas saiba que é sempre levada em consideração a menor alíquota aplicável. Ou seja, não há recolhimento dobrado.

Esclarecido isso, vamos às desvantagens do come-cotas. A principal delas é justamente a antecipação do Imposto de Renda. O investidor que não pretende resgatar seu dinheiro em alguns anos terá que pagá-lo mesmo assim.

Ou seja, dependendo do valor aplicado, o que o come-cotas pegar, pode fazer diferença nos rendimentos, pois é menos dinheiro rendendo no total. Em outras palavras, se o come-cotas pegar R$50, o investidor terá deixado de receber os rendimentos desse montante, o que poderia ter feito alguma diferença no final, principalmente quando se pensa em volumes muito grandes.

Por esse motivo, muitos investidores reclamam e enxergam o come-cotas como algo negativo.

Para não ser pego de surpresa, esteja atento a ele e veja se o fundo de investimentos no qual você pensa em investir pode ter incidência desse imposto. E verifique, principalmente, se esta opção está de acordo com seus planos e metas de curto, médio ou longo prazo.

Quer saber mais sobre o imposto come-cotas? Então confira alguns vídeos do canal do Youtube:

●      Falácia do come-cotas em Fundos de Investimento

●      Come cotas nos fundos Fundos de investimento (imposto) – Dúvida

Como você pode perceber, imposto come-cotas é visto com negatividade por alguns investidores, mas ele nada mais é do que uma antecipação de um imposto que você obrigatoriamente terá que pagar, cedo ou tarde.

De qualquer forma, é importante sempre ficar atento ao come-cotas e ao investimento que você deseja realizar. Lembre-se que, antes de iniciar um investimento, é preciso analisar e conhecer todos os pormenores da modalidade, sendo este apenas um dos detalhes que você deve observar.

Quer continuar aprendendo sobre finanças? Então confira nossos v´dieos no canal do Youtube e aprenda cada vez mais a investir seu dinheiro!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *