Você sabia que os títulos do Tesouro não são exclusividade do mercado brasileiro? Assim como os títulos do tesouro brasileiro, comumente inserido em uma carteira de investimentos que busca segurança, nos EUA há a emissão de títulos pelo Tesouro norte-americano.

Assim como ocorre no Brasil, a captação de recursos via emissão de títulos é uma das principais formas de financiamento da dívida soberana dos EUA.

E, além do financiamento da dívida, o Open Market, que é a transação desses títulos públicos, representa a operação mais relevante do FED, Federal Reserve (Banco Central Americano), para contrair ou expandir o volume de reservas.

Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura e conheça os títulos americanos!

Títulos Emitidos pelo Tesouro americano

É o Departamento do Tesouro Americano que emite os ‘treasuries’, que são os títulos de dívida do governo. No site do que seria uma espécie de Tesouro Direto americano, o Treasury Direct, é possível acessar todas as informações sobre os títulos disponíveis no mercado.

Os títulos são comprados com desconto do valor de face que é o valor pago na data do vencimento – valor ao par. Ou seja, o valor de face, valor do título sem acréscimo ou decréscimo.

Os títulos do Tesouro dos EUA se diferenciam por prazo e características. Abaixo estão elencados os principais:

Treasury Bills

Também conhecido como os T-Bills, esse título tem a característica de ‘short-term’, um curto prazo. O vencimento é de até 52 semanas (1 ano). Os títulos emitidos têm ‘maturity’, ou seja, vencimento, de 4, 8, 13, 26 e 52 semanas.

Treasury Notes

As T-Notes são os títulos remunerados com vencimento fixo não inferior a 1 ano e não superior a 10 anos a partir da data de emissão.

Atualmente, são emitidos T-Notes com prazos de 2, 3, 5, 7 e 10 anos (por exemplo: 5 Year Note). Esses títulos apresentam pagamentos de juros semestrais.

Os T-Notes são títulos bastante líquidos e assim como ocorre com os outros títulos, apresentam oscilação de acordo com a marcação a mercado (que é a atualização diária do valor do papel de acordo com o mercado), não considerando, portanto, seu valor somente do vencimento.

Treasury Bonds

O T-Bonds são os títulos que apresentam maiores prazos. São títulos de maturidade acima de 10 anos. Os emitidos atualmente são de 30 anos (30-Year Bond) e, assim como os T-Notes, apresentam pagamentos semestrais.

Quanto maior o prazo do título, maior a volatilidade que ele pode apresentar até seu vencimento.

É possível também que ocorram operações de STRIPS, que é a negociação separada dos cupons e do valor principal do título no T-Notes e T-Bonds.

TIPS

Os ‘Treasury Inflation protected Securities’ são títulos vinculados ao índice de preços ao consumidor – Consumidor Price Index (CPI).

Os TIPS garantem proteção contra a inflação (e contra a deflação) quando levados até o vencimento. Nesta situação, ele paga o original ou o original ajustado, o que for maior.

Todos os títulos dessa modalidade acumulam juros a partir do 15º dia do mês e são emitidos no último dia útil do mês. Dentre os títulos, tem-se: 5 year TIPS, 10 year TIPS e 30 years TIPS.

O que é Yield to Maturity (YTM)?

O YTM – Yield to maturity é o rendimento pago no vencimento do título (rendimento até a maturidade). Ou seja, é o retorno que um investidor recebe ao levar seu investimento até sua dada de vencimento inicial.

Nas operações com esses títulos é importante verificar qual sua maturação, pois os títulos podem ser mantidos até o vencimento com garantia do valor de face ou vendidos antes do vencimento.

Quando um título vence, o investidor recebe o valor nominal. A diferença entre o preço de compra e o valor nominal é igual aos juros auferidos.

O preço do título depende da relação da taxa de juros e o YTM dele. Se o YTM é maior do que a taxa de juros, o preço do título será menor do que o valor nominal.

Se o YTM e taxa de juros são iguais, o preço será igual ao valor nominal. Já se o YTM é menor do que a taxa de juros, o preço será maior que o de face.

Investindo em títulos do Tesouro americano

Apesar da forte cultura de investimentos em ações, a economia americana tem um volume elevado de investimento em renda fixa. Ao investir em um título do tesouro, está se financiamento o governo dos Estados Unidos e optando por um dos investimentos mais seguros do mundo.

Os ‘treasuries’ são considerados o investimento mais seguro que existe, como o ativo livre de risco de referência no mundo – Risk Free, já que a garantia dos títulos é considerada a mais forte – a dada pelo próprio governo americano.

Dessa forma, os rendimentos pagos pelos títulos americanos são considerados baixos. Principalmente para o investidor de mercados emergentes, que tem como referencial a taxa de seus país, que é acrescida de um fator forte de risco e pagam o chamado Spread Over Treasury (SOT).

Conforme estudo do próprio Tesouro brasileiro, o SOT representa o custo adicional pago pelos títulos em relação ao custo de um título ‘risk free’. No mercado global, o parâmetro é dado pelos títulos do Tesouro americano.

E é exatamente por todos estes motivos que você deve conhecer os títulos do Tesouro dos EUA funcionam e entender como eles funcionam.

Quer aprender mais sobre economia e mercado financeiro? Leia nosso artigo sobre Risco-país e como ele é mensurado.

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Comentários

  1. Braga    

    É verdade que as cidades podem emitir títulos da dívida municipal?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *