Se você tem capital de 100 mil reais, talvez se pergunte qual a melhor aplicação financeira para ele. Por ser um alto patrimônio, é natural que surjam dúvidas sobre os investimentos mais rentáveis ou mais seguros nesse cenário.

Na verdade, independentemente do valor que você tem para investir, é sempre interessante estar ciente das oportunidades para aplicar o seu dinheiro. Além disso, é preciso conhecer bastante cada opção — especialmente em relação à lógica entre risco e retorno.

Pensando nisso, continue a leitura para entender qual é a melhor aplicação financeira para 100 mil reais e encontrar dicas que podem ajudar muito nessa escolha!

Vamos lá?

O que considerar ao buscar o melhor investimento?

Saber qual é a melhor aplicação financeira para 100 mil reais ou outros valores não é exatamente uma descoberta, mas uma decisão. E ela depende de determinados fatores que têm relação com sua estratégia e sua forma de investir.

Quer saber mais? Confira o que deve considerar na escolha!

Seu perfil de investidor

Antes de mais nada, é muito importante que você entenda qual o seu perfil de investidor. Mas não se preocupe, não é tão difícil entender. Essa questão se refere à sua personalidade como investidor — principalmente à sua disposição para tomar mais riscos ou não.

Existem três perfis principais: conservador, moderado e arrojado. Se o seu perfil é conservador, o foco está na segurança, e não tanto na rentabilidade. Já investidores moderados ou arrojados podem preferir se arriscar mais para buscar maior potencial.

Isso porque existe uma relação entre risco e retorno, de modo que não é possível priorizar a segurança e a rentabilidade juntas. Assim, é preciso considerar as suas preferências e os seus objetivos.

Dessa forma ficará mais fácil decidir. Note que não existe certo ou errado nos investimentos. Tudo depende do seu perfil pessoal para saber o que é mais adequado. Por isso, entendê-los é fundamental para que você encontre as alternativas que mais se alinhem com o que busca.

As classes de investimentos

Agora que você já sabe melhor sobre o seu perfil, é hora de entender as diferenças entre renda fixa e renda variável. Elas são as duas principais classes de investimentos. Então vale a pena começar seu processo de escolhe estudando cada uma.

Como os próprios nomes já adiantam, uma é capaz de trazer retornos previsíveis e a outra não. No entanto, é possível explicar melhor os dois conceitos. A renda fixa são os investimentos que possuem regras pré-estabelecidas de remuneração.

Isso significa que no momento em que você investe, é possível prever como se dará o seu retorno. Em geral, aqui se enquadram os títulos de dívida — que podem ser emitidos por Governos, bancos e instituições privadas;

Já na renda variável não há qualquer tipo de previsibilidade sobre os retornos. Isso porque não se tratam de títulos de dívida. Nesse caso, você assume mais riscos junto ao negócio. Logo, é preciso entendê-los para saber se estão adequados ao seu perfil e objetivos.

Alternativas de aplicações

Ao compreender as duas classes de investimentos, você pode pesquisar mais sobre as alternativas existentes. Nesse momento, é comum pensar na poupança. Afinal, ela é o investimento mais popular no Brasil. Contudo, não costuma estar entre os mais vantajosos.

Apesar de ser de renda fixa e trazer segurança e praticidade, as regras de rentabilidade da poupança limitam bastante os ganhos. Em muitos cenários, o investidor perde dinheiro para a inflação ao longo do tempo.

Por isso, quem dispõe de 100 mil reais pode considerar melhor conhecer outros tipos de aplicação financeira para decidir em qual investir. A renda fixa apresenta investimentos tão seguros e práticos, com rentabilidade superior à da poupança. E a renda variável traz mais potencial — seguido de maiores riscos.

Qual a melhor aplicação financeira para 100 mil reais?

Mas, afinal, qual a melhor aplicação financeira para quem busca investir esse valor? Depois de entender o que deve ser considerado, é possível conhecer alternativas e saber decidir entre elas. A seguir, você conhecerá algumas opções.

Mas atenção: não se trata de recomendação de investimento. Cabe a cada investidor avaliar seu perfil e escolher as melhores oportunidades. Confira!

Títulos públicos do Tesouro Direto

O Tesouro Direto é uma plataforma de negociação de títulos de renda fixa emitidos pelo Governo Federal. Eles estão entre as principais alternativas para quem tem perfil conservador, por serem considerados os mais seguros do mercado.

Com previsibilidade e rentabilidade superior à poupança, conhecê-los pode ser interessante. Na plataforma há diversas opções em três tipos principais: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+.

Fundos imobiliários

Semelhante aos títulos do Tesouro Direto, é possível encontrar aplicações de renda fixa privada nas plataformas de bancos de investimentos. Mas você também pode considerar investimentos da bolsa de valores para aportar seus 100 mil reais.

Um exemplo são os Fundos Imobiliários (FII). Eles são uma alternativa de renda variável que foca no mercado de imóveis. Nessa modalidade, é possível investir de modo coletivo e se expor a ativos imobiliários — sejam propriedades físicas ou títulos de dívida do setor.

Em fundos de tijolos, por exemplo, você se expõe aos ganhos com imóveis. Eles podem vir da construção e venda ou dos aluguéis. Já nos fundos de papéis existem investimentos feitos na renda fixa. Em ambos os casos, os responsáveis por decidir em que investir são gestores profissionais.

Assim, o investidor não realiza investimentos por conta própria, mas se expõe aos resultados do gestor. Um ponto característico dos FIIs é que eles fazem distribuição de lucros na forma de dividendos — e muitos podem oferecer uma renda passiva frequente.

Mercado de ações

Por fim, você pode considerar também o mercado de ações — mais um exemplo de renda variável. Elas também são negociadas na bolsa de valores e envolvem riscos maiores que a renda fixa. Logo, assim como os FIIs, são mais adequadas para investidores moderados ou arrojados.

As ações representam partes do capital social de uma empresa. Assim, quem investe nelas se torna sócio de um negócio. Nesse sentido, há duas formas principais de obter lucro: com o aumento do preço dos ativos (que podem ser vendidos mais caros) ou com o recebimento de proventos — como os dividendos.

Agora você sabe como escolher qual a melhor aplicação financeira para 100 mil reais. Lembre-se de que não há uma resposta ideal. Ela depende da sua avaliação acerca do perfil de investidor e dos seus objetivos. Com isso, é possível analisar as opções e diversificar entre elas!

Gostou do nosso conteúdo? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário e participe da discussão do tema!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *