Moedas fortes foram ao longo da história verdadeiros portos seguros para reserva de valor, protegendo o dinheiro de grandes oscilações e crises mundiais. Normalmente, essas moedas mais fortes do mundo são de países com economia igualmente fortes.

Você já parou para pensar quais são as moedas ao redor do mundo mais valorizadas? E as que são mais desvalorizadas?

Já pensou que para comprar uma mesma mercadoria, como um pão por exemplo, pode ser possível pagar com uma única nota ou moeda ou pode ser necessário uma sacola cheia de moedas dependendo do país?

Vamos trazer nesse artigo algumas curiosidades sobre moedas ao redor do mundo. Boa leitura!

Moedas mais fortes

As moedas mais fortes do mundo são aquelas de países que experimentam por longo período a estabilidade econômica. Na configuração atual, são países que apresentam uma democracia mais sólida e um histórico de conquistas e poder, figurando entre os países desenvolvidos.

O dólar americano é ainda a grande moeda global, mantendo essa posição mesmo com oscilações da economia americana, mas que não abalam as bases dos Estados Unidos de forma mais profunda, configurando-se mais como ciclos econômicos.

No hall dos países desenvolvidos com moedas fortes podemos ainda citar o Dólar Canadense do Canada, a Libra esterlina da Inglaterra e claro, o euro, como moeda dos países do bloco da União Europeia.

Não é incomum conversar com alguém que relate, ou você mesmo pode ter tido a experiência de viajar para algum desses países de moeda forte e verificar que os centavos são valorizados e que os preços apresentam patamares normais. Não há, portanto, discrepância de milhares de unidades para comprar coisas baratas.

A grande característica das moedas fortes são que representam segurança em tempos de incerteza e de que possuem valor mesmo em seus centavos. Ou seja, têm a garantia do poder de compra.

Moedas mais fracas

Países com economias devastadas por anos, subdesenvolvidos apresentam, por outro lado, moedas fracas. Da mesma forma, países do mundo em crise, com economias atravessando processo de dificuldades profundos e prolongados geralmente veem dois grandes vilões renascerem com força: a inflação e a consequente desvalorização de sua moeda.

Já nos países que vivem o subdesenvolvimento há muitos anos, com consequências na economia, podemos citar vários da África Subsaariana, América Latina e países subdesenvolvidos da Ásia.

Como você já poderia esperar, dentre os países próximos é possível observar o movimento da moeda venezuelana nos últimos anos, com crescente desvalorização.

São economias com moedas fracas, ainda, o Paraguai, Serra Leoa e Vietnã, entre muitas outras.

No site do Banco Central do Brasil é possível realizar a conversão de todas as moedas ao redor do mundo por um conversor de moedas online. Lá, portanto, você consegue identificar, na prática, algumas das moedas mais fortes e mais fracas do mundo.

Moedas fortes ou fracas X Moedas caras ou baratas

É sempre importante verificar que moedas fortes não necessariamente são as moedas mais caras ao redor do globo.

Países que tem sua economia baseada no petróleo, principalmente na região do Oriente Médio, apresentam moedas caras, mas que ainda assim esbarram em economias mais fechadas nas quais o regime de governo pode divergir de democracias e sem instituições regulamentadoras fortes.

Ainda contam com moedas caras países que não são signatárias de acordos internacionais de prevenção a lavagem de dinheiro e prevenção ao terrorismo, com proteção de dados, os chamados paraísos fiscais ou países não cooperantes.

Ou ainda é possível que um país tente manter de forma artificial a cotação de sua moeda, pagando um preço caro em um momento ou outro.

Da mesma forma, uma moeda subvalorizada não necessariamente representa uma economia ou moeda fraca. Um grande exemplo atual é o que ocorre no Japão.

A cotação da moeda de um país pode fazer parte de uma estratégia comercial. Muitas economias desenvolvidas ou emergentes e com folego podem subvalorizar artificialmente suas moedas para obter vantagens comerciais nas operações de comercio com outros países. Porém, essas altas oscilações denotam que a moeda ainda não representa uma maturidade de sua economia.

Portanto, nem sempre o valor numérico de uma moeda reflete a potência de sua economia.

Vale a pena investir em moeda estrangeira?

Ao verificar a existência de diferença de cotações entre moedas ao redor do mundo, muitos podem pensar em realizar ganhos com o spread gerado na compra e venda dessas moedas. E, de fato, existe um mercado que se ocupa desse comércio de moedas. Ou melhor, comercio de taxa de câmbios.

Ocorre que este mercado já apresentou caráter altamente especulativo e que necessidade de muito conhecimento e dedicação para não acumular perdas, além de fraca regulamentação.

Porém, em relação a investimentos consistentes, uma coisa é certa: em muitas situações valerá a pena investir em moedas fortes, principalmente buscando a proteção – hedge – de sua carteira.

Gostou de conhecer mais sobre moedas ao redor do mundo? Quer aprender mais sobre economia e mercado financeiro? Leia nosso artigo Curiosidades sobre a economia brasileira que você deveria conhecer.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *