Ter um cartão de crédito apresenta diversas vantagens, não é mesmo? Com ele, é possível organizar melhor as finanças, pagando por algumas compras apenas no mês seguinte, parcelando produtos de maior preço e recebendo benefícios, como acúmulo de milhas de viagem. Sem dúvida, o uso do crédito pode ser muito benéfico.

Entretanto, ele também pode se transformar em um vilão da sua vida financeira se você não souber utilizá-lo da melhor forma. E, entre os cuidados essenciais, está exatamente a escolha do cartão de crédito. Afinal, são muitas as opções e pode ser difícil decidir.

E que tal contar com a nossa ajuda para isso? Confira no artigo de hoje 6 dicas indispensáveis na hora de tomar essa decisão e escolher o melhor cartão de crédito para você!

1. Identifique suas reais necessidades

O primeiro passo para decidir qual é o cartão ideal é avaliar o que se precisa de verdade. Ninguém sabe melhor do que você quais são as suas necessidades, certo? Então, não há uma fórmula geral para essa escolha e dificilmente outras pessoas vão saber o que é melhor para o seu caso.

Logo, antes de pedir um cartão igual ao de algum amigo ou seguir as ideias do gerente do banco, reflita sobre os seus interesses e necessidades. Por exemplo, alguém que não pretende fazer viagens para o exterior não precisa pagar mais caro para ter um cartão internacional.

A mesma lógica vale para decidir outros pontos relevantes no uso do seu cartão. Como a data do pagamento, o limite de compras e a bandeira — essa informação é essencial na hora de saber se ele será feito na maior parte dos estabelecimentos que você frequenta normalmente.

2. Pesquise as opções

É muito comum que os consumidores solicitem o cartão de crédito no banco onde possuem conta-corrente. Mas você sabia que essa não é a única alternativa? Na verdade, é possível conseguir esse serviço em diversos bancos e outras instituições financeiras mesmo, que não seja cliente delas ainda.

Essa é uma vantagem para o consumidor, pois o aumento da competitividade traz melhores condições. Isso significa que vale a pena pesquisar bastante para conhecer o que cada empresa oferece antes de escolher o seu cartão ideal.

Os principais elementos para comparar são: anuidade, taxa de juros, limite e benefícios extras.

3. Confira gastos com anuidade e taxa de juros

Cada banco ou instituição financeira oferece as suas próprias taxas de anuidade e juros. Na realidade, o mesmo banco pode ter taxas diferentes para diversos tipos de cartão de crédito. Portanto, esse é um elemento relevante para a sua avaliação.

A anuidade costuma ser mais cara de acordo com os benefícios que a empresa oferece. Por exemplo, cartões com limite muito alto ou que fazem parte de algum clube de vantagens, geralmente, tem uma anuidade maior.

Ao mesmo tempo, se você tem um perfil financeiro mais simples pode aproveitar taxas menores e até mesmo negociar a gratuidade.

Já em relação aos juros, é preciso ficar muito atento. Eles são cobrados quando o consumidor atrasa ou deixa de pagar alguma fatura.

Além disso, é comum que os juros de cartão de crédito sejam bastante altos. Ao lado do cheque especial, eles estão entre as maiores taxas do sistema financeiro brasileiro. Portanto, atenção neste aspecto!

4. Avalie os benefícios oferecidos

Como falamos, anuidades mais caras frequentemente estão relacionadas à participação em algum clube de benefícios. Nesse sentido, é muito importante se lembrar da nossa primeira dica: avaliar as suas reais necessidades para responder se os benefícios oferecidos valem a pena.

A resposta dessa pergunta está na avaliação da sua rotina. Uma das vantagens mais comuns no cartão de crédito é a troca de pontos por milhas de passagens aéreas.

Isso é atrativo para quem faz muitos gastos no cartão e costuma viajar bastante. Já para as pessoas que não estão nesse perfil, os gastos com anuidade podem não compensar os benefícios.

As empresas também oferecem troca de pontos do cartão de crédito por produtos, descontos em compras, meia entrada em cinemas e shows, combustível no carro e até mesmo cashback (que é a devolução de uma parte do dinheiro pago na fatura).

Sem dúvida, esses diferenciais chamam a atenção, mas não esqueça que eles só fazem sentido se você realmente precisar do que é oferecido e se os ganhos forem maiores que os gastos com taxas.

5. Negocie o limite do cartão

Um elemento essencial quando se fala de cartão de crédito é o seu limite de compras. Normalmente, o banco faz uma análise do seu perfil financeiro baseado na sua renda e no histórico de pagamentos para decidir qual será o valor do seu limite.

É comum que essa quantia seja pequena nos primeiros meses de uso do cartão, mas há a possibilidade dela aumentar de acordo com seu consumo. Também é possível negociar com o banco o aumento do limite — essa facilidade é especialmente interessante para quem realiza gastos maiores, como a compra de passagens aéreas.

Caso você deseje um limite maior no seu cartão, não deixe de ter cuidado com o descontrole financeiro que pode vir disso. O ideal é que esse valor seja condizente com a sua renda e o seu perfil de gastos, porque um exagero nesse aspecto pode acabar atrapalhando o controle do orçamento.

6. Saiba utilizar seu cartão de crédito

Depois de todas as dicas que devemos até aqui, você está pronto para refletir sobre qual é o cartão de crédito perfeito para o seu uso. Mas precisamos adicionar uma orientação indispensável depois da escolha: saber utilizá-lo de forma moderada.

Um dos fenômenos que mais contribui para o endividamento e a inadimplência dos brasileiros é o mau uso do cartão. Muitas vezes, isso acontece porque as pessoas veem o limite de crédito como uma renda. Ou seja, um dinheiro que pode ser utilizado quando o salário não é suficiente.

Entretanto, o cartão está longe de ser uma renda extra. Pelo contrário, ele é uma conta a mais a ser inserida no seu orçamento.

Logo, é preciso garantir que o seu salário pague normalmente as faturas ou você terá problemas financeiros. Fique atento para utilizar essa ferramenta com inteligência.

Seguindo nossas orientações, é possível avaliar as opções disponíveis e solicitar o cartão de crédito mais condizente com a sua realidade. A alternativa ideal é aquela que atende as suas necessidades e oferece os benefícios que você precisa.

Então, reflita sobre as características que indicamos e tome a melhor decisão!

Está interessado em aprender mais sobre finanças? Continue no site e leia sobre planejamento financeiro para solteiros!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *