Você já se perguntou de onde vem o dinheiro que circula na economia do país? A resposta é simples: ele vem da Casa da Moeda do Brasil (CMB). Sua função principal é a impressão monetária.

Porém, a CMB tem outras funções além dessa. Entre elas estão o combate à corrupção e às fraudes documentais e a promoção do controle, autenticidade e rastreabilidade de certificações, marcas acadêmicas e, até mesmo, alguns produtos.

Sendo assim, os mais de 300 anos de operação da Casa da Moeda brasileira acumulam bastante história. Saiba mais sobre ela ao continuar a leitura!

O que é a Casa da Moeda do Brasil?

Conforme dito, a Casa da Moeda do Brasil é responsável por emitir o dinheiro que circula no Brasil. Sendo assim, ela se trata de uma empresa estatal que produz papel-moeda e moedas metálicas.

Contudo, em termos de impressões e fabricações, também é possível citar outros itens que ficam sobre a responsabilidade da CMB. Por exemplo:

  • selos federais;
  • moedas comemorativas;
  • medalhas;
  • selos postais;
  • passaportes;
  • bilhetes de metrô;
  • diplomas;
  • certidões;
  • selos fiscais etc.

Em suma, a Casa da Moeda lida com documentações que requerem sistemas de segurança específicos para circularem pelo país.

Qual é sua estrutura?

Apesar da demanda mais conhecida da Casa da Moeda do Brasil ser a emissão monetária, a expansão de suas atividades não é recente. Na verdade, ela acompanhou a expansão da economia do Brasil. Isso se refletiu até mesmo no tamanho de suas instalações.

Seu complexo industrial é considerado um dos maiores do mundo. Ele conta com mais de 120 mil metros quadrados e está localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no bairro Santa Cruz.

O complexo abriga também o chamado parque gráfico. Ele diz respeito às três fábricas que são montadas e equipadas para as confecções realizadas na CMB. A expectativa de produção anual, segundo o site da própria Casa da Moeda do Brasil, comporta:

  • 8 bilhões de selos fiscais;
  • 3 bilhões de cédulas;
  • 4 bilhões de moedas;
  • 3 milhões de passaportes.

Qual é a história da Casa da Moeda?

A CMB é uma das instituições mais antigas do país. Ela foi fundada em 1694. Na época, sua função principal era a de solucionar o problema da circulação de moedas no Brasil colonial. Isso porque as moedas vinham apenas de comerciantes de fora do país e de Portugal.

Após sua construção, ela passou a cunhar as moedas dentro do território brasileiro. Consequentemente, os principais problemas de escassez que tomavam forma foram resolvidos.

O primeiro lugar em que a Casa da Moeda do Brasil foi instalada foi a cidade de Salvador. Porém, em 1699 ela foi transferida para o Rio de Janeiro. Com exceção de uma breve passagem por Recife, a capital carioca foi o lar definitivo da CMB.

Como a Casa da Moeda do Brasil funciona hoje?

Se, no passado, a CMB tinha como função produzir as escassas moedas de outros países no território nacional, hoje, tendo sua própria moeda, ela concede autossuficiência ao Brasil.

O grande processo de modernização da empresa se iniciou em 2008, especialmente em termos de emissão monetária. A fabricação da CMB atende grande parte do meio nacional, contando com insumos muitas vezes advindos do mercado internacional.

Hoje, a Casa da Moeda atua em três turnos, envolvendo profissionais de engenharia de produto, design e da área técnica. Os processos da sua produção incluem a cunhagem, a contagem e a embalagem.

Já no que diz respeito aos impressos, a produção de documentos de segurança também tem foco em qualidade. A empresa pode, inclusive, imprimir documentos de companhias privadas que precisem de garantia de segurança.

No segmento de autenticidade, rastreamento e controle fiscal, a Casa da Moeda desenvolveu sistemas que possibilitam a proteção contra contrabando, desvio e falsificação. Isso se dá por meio do monitoramento da cadeia produtiva.

Consequentemente, selos físicos e digitais contam com características de identificação unívoca. Isso garante autenticidade ao consumidor final que recebe qualquer produto que conte com os serviços da CMB.

Como funciona a fabricação de papel-moeda no Brasil?

Não é incomum ouvir que os problemas financeiros do país poderiam ser resolvidos por meio da impressão de mais dinheiro. Essa afirmação — equivocada — pode dar a entender que seria simples solucionar questões de saúde, educação e segurança.

Contudo, não é tão fácil assim. A circulação artificial de moeda (ou seja, aquela que não advém das próprias movimentações do mercado e do aumento das riquezas nacionais) pode gerar diversos problemas.

Um deles é o desiquilíbrio sistêmico da lei da oferta e da demanda. Com mais dinheiro em mãos, as pessoas passariam a comprar mais. Porém, a produção não aumentaria. Isso geraria um excesso de demanda e a falta de produtos para satisfazê-la.

Também existiriam problemas com a inflação. Uma vez que a escassez resultaria em um aumento generalizado de preços, o real se desvalorizaria. Consequentemente, o Governo precisaria imprimir mais dinheiro.

O resultado: hiperinflação. Em vista disso, compreende-se que a emissão monetária deve ser realizada de forma estruturada pelo poder público. Existem regras a serem seguidas — e elas não são simplistas. Afinal, consideram diversos fatores econômicos para tal.

Qual a relação da Casa da Moeda com o Banco Central?

Você já sabe o que é a Casa da Moeda do Brasil e como ela funciona. Por fim, é interessante compreender qual é sua relação com o Banco Central (BACEN).

Em resumo, a CMB é a única empresa autorizada a emitir dinheiro. Porém, ela não toma as decisões em relação a como e quando fazer isso. As regras cabem ao Banco Central.

Desse modo, o BACEN é responsável por gerenciar a quantidade de dinheiro que entra e sai de circulação, sendo a Casa da Moeda seu instrumento de produção. De modo geral, o Banco Central só visa a “imprimir mais dinheiro” em casos extremos, como cenários de crise.

Porém, no dia a dia, o Banco Central analisa a necessidade de substituir moedas e células danificadas. É importante saber que a política econômica do Ministério da Economia, Fazenda e Planejamento também é considerada nesse momento.

Como você viu, a Casa da Moeda do Brasil responde ao BACEN e é um importante instrumento na economia. Compreender seu funcionamento é essencial para saber como funciona a emissão de papel-moeda no país e como se dá a segurança de diversos produtos!

Entenda mais sobre o papel do BACEN no Brasil ao conferir nosso artigo e saber do que ele se trata!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *