268
0

CPTS11: veja os detalhes sobre esse fundo imobiliário

268
0
4 minutes

A possibilidade de investir no mercado imobiliário costuma atrair a atenção de muitos investidores. Contudo, vale entender que comprar imóveis não é a única alternativa — você também pode recorrer aos fundos de investimento imobiliário (FIIs), como o CPTS11.

Trata-se de um fundo de papel que pode ser interessante para diversas carteiras. Mas, para avaliar se vale a pena investir nessa alternativa, é fundamental conhecer as características do FII e como ele pode contribuir para os resultados do seu portfólio.

Para ajudá-lo a tomar decisões de investimento mais acertadas, neste artigo você acompanhará algumas das principais informações sobre o fundo imobiliário CPTS11. Confira!

O que é um fundo imobiliário?

Como o CPTS11 é um fundo imobiliário, é importante entender o que é esse veículo de investimento. Os FIIs são alternativas de investimento coletivas, que reúnem investidores interessados em investir no mercado de imóveis. Assim, o portfólio do fundo é focado em bens e ativos relacionados ao setor.

Para participar dos resultados obtidos, é necessário adquirir cotas do FII na bolsa de valores. Portanto, trata-se de uma alternativa de investimento de renda variável. Ao comprar as cotas, você recebe o direito de participar dos resultados do fundo.

Já os recursos captados são gerenciados por um gestor profissional. Ele é responsável por selecionar os investimentos e realizar as operações, de acordo com a estratégia do fundo.

Além disso, cada FII segue sua própria estratégia. Por isso, eles podem ser classificados em subcategorias, de acordo com suas características específicas. Os fundos de papel, por exemplo, destinam a maior parte dos recursos a certificados e títulos atrelados ao mercado imobiliário.

Como exemplo, estão as letras de crédito imobiliário (LCIs), letras hipotecárias (LHs) e os certificados de recebíveis imobiliários (CRIs). Já os fundos de tijolo destinam os recursos, principalmente, aos imóveis físicos, como lajes corporativas, industriais, comerciais ou logísticas.

O terceiro tipo é o fundo de fundo, que investe majoritariamente na aquisição de cotas de outros FIIs. Isso permite que os investidores fiquem indiretamente expostos a outros fundos imobiliários.

O que é o CPTS11?

Depois de entender mais sobre os FIIs, é possível saber que o CPTS11 é o ticker usado na negociação do FII Capitania Securities II — um fundo de papel. Assim, ele gera caixa por meio do investimento em títulos de renda fixa e possui uma gestão ativa — que visa superar o benchmark.

Como os demais fundos do tipo, suas cotas são negociadas na bolsa de valores brasileira (B3). A sua oferta inicial pública (IPO) ocorreu em agosto de 2014. Em relação à gestão do fundo, a Capitânia S.A. é a gestora, enquanto a administração é realizada pelo BTG Pactual.

Quais as características desse fundo?

O objetivo do CPTS11 é buscar rentabilidade por meio de títulos e certificados ligados ao setor imobiliário e que sejam geradores de renda. Esse fundo é destinado a investidores em geral que desejam obter, no longo prazo, rentabilidade por meio desses valores mobiliários.

Contudo, embora esse objetivo esteja expresso em seu regulamento, não significa que há garantia de rentabilidade pela gestora. Na verdade, essa é a meta buscada pelo gestor no momento de selecionar os investimentos que farão parte da carteira do fundo e realizar operações.

Vale destacar que, em outubro de 2021, a taxa de administração do FII CPTS11 era definida em 1,05% do patrimônio líquido — mas ela pode sofrer alterações com o tempo. Nessa taxa, estão inclusos custos de gestão e escrituração. Por outro lado, não há cobrança de taxa de performance.

De acordo com as definições estabelecidas no prospecto do fundo, pelo menos 95% dos resultados auferidos a cada semestre são distribuídos em forma de dividendos para os cotistas. Essa distribuição acontece mensalmente.

Quais são as vantagens e os riscos de investir em fundos imobiliários?

Conhecer as vantagens e as desvantagens associadas aos fundos imobiliários ajuda a tomar decisões mais acertadas. Nesse sentido, um dos principais benefícios dos FIIs é a possibilidade de aproveitar os resultados do setor imobiliário de forma simples e acessível.

Afinal, comprar um imóvel físico, por exemplo, é muito mais burocrático e exige maior disponibilidade de recursos. A aquisição de cotas, por outro lado, pode ser feita por qualquer investidor e requer valores menores.

Ademais, os fundos imobiliários podem ser interessantes para quem busca diversificar a carteira de investimentos e gerenciar os riscos do seu portfólio. Como alguns FIIs permitem receber dividendos, essa característica também favorece a conquista de uma renda passiva.

Outra vantagem é a praticidade de contar com um gestor profissional. Já em às desvantagens, os fundos imobiliários estão expostos aos riscos do setor de imóveis. Nos momentos em que esse mercado está enfraquecido, os FIIs podem ter desempenho abaixo do esperado.

Também há o risco de desvalorização das cotas pela volatilidade do mercado. Já nos FIIs que possuem imóveis físicos no portfólio, os riscos de vacância podem reduzir os lucros. Por fim, a cobrança da taxa de administração pode ser considerada uma desvantagem na comparação com outras alternativas do mercado.

Como investir em FIIs?

Até aqui, você conheceu alguns dos principais pontos acerca dos FIIs e do fundo imobiliário CPTS11. Se surgiu o interesse em investir nessa modalidade, é necessário aprender como realizar o processo. O primeiro passo é verificar se o seu perfil de investidor é adequado para a modalidade.

Por ser um investimento de renda variável, o investidor deve ter maior tolerância ao risco. Além disso, é importante definir seus objetivos e ter um bom planejamento financeiro. Cabe ressaltar que, em geral, os FIIs são mais adequados para o longo prazo.

O próximo passo é abrir conta em um banco de investimentos. Como foi possível aprender, as cotas dos FIIs são negociadas na bolsa de valores. Portanto, é necessário contar com o intermédio de uma instituição financeira para ter acesso ao home broker.

Essa plataforma permite que o investidor acesse o ambiente de negociação da B3. Nela, digite o código do FII do seu interesse, insira o número de cotas que deseja adquirir, o preço e envie uma ordem de compra. Em alguns dias, o FII fará parte do seu portfólio.

Neste artigo, você aprendeu mais sobre os fundos imobiliários em geral e, especificamente, sobre o FII CPTS11. Esse conhecimento — somado a uma análise cuidadosa — ajudará a entender se a alternativa está alinhada às suas necessidades e expectativas, favorecendo a tomada de decisão.

Quer investir nesse ou em outros ativos negociados na bolsa de valores? Então abra a sua conta no BTG Pactual digital e comece a fazer seus investimentos!

Equipe André Bona
WRITEN BY

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.