Se você costuma acompanhar minhas publicações no canal do Blog de Valor no YouTube e os nossos artigos aqui no blog já deve saber que a prática de investir começa nas finanças pessoais.

Não adianta, por exemplo, acompanhar todas as notícias e movimentações do mercado financeiro se você não é capaz de receber dinheiro e gastar menos do que você recebe. Sem o cuidado de fazer um planejamento de gastos e controlar o seu dinheiro, portanto, é simplesmente impossível acumular patrimônio.

Existem, no entanto, algumas dicas práticas para o dia a dia que costumam ser bastante úteis para quem deseja acumular dinheiro com mais facilidade e manter o orçamento sempre controlado – como a questão dos custos fixos e variáveis. Continue a leitura e entenda como fazer um planejamento de gastos eficiente e com inteligência e aumentar sua capacidade de poupar ao longo do tempo.

Acompanhe!

Custos fixos x custos variáveis

Quando falamos em planejamento de gastos e planejamento financeiro eficiente, uma das questões mais importantes a serem consideradas é a questão dos custos fixos e os custos variáveis mensais.

Os custos fixos são aquelas despesas que precisam ser pagos todos os meses, como o aluguel, as despesas com condomínio, conta de energia elétrica, conta de água, entre outros. Já os custos variáveis são aqueles que oscilam ao longo dos meses – como os gastos com lazer, por exemplo, que podem ser ampliados ou reduzidos em determinados períodos.

Há, ainda, aqueles custos que são semi-fixos e semi-variáveis, como é o caso das compras no supermercado. Você pode reduzir os gastos ou aumentá-los em determinados meses, mas este custo sempre irá existir – sendo, portanto, um custo semi-fixo.

Apesar de importantes, estes conceitos acabam, muitas vezes, ficando em segundo plano na hora de planejar e organizar as finanças – o que não deveria acontecer.

Planejamento de gastos ineficiente

É bastante comum que as pessoas, ao organizarem suas finanças, identifiquem o montante de renda recebido mensalmente e definam um percentual desta renda para o comprometimento com custos – sem mensurar o que é custo fixo e o que é custo variável.

Uma pessoa que ganha R$ 5 mil por mês poderia definir, por exemplo, um comprometimento de até R$ 4 mil (80% da renda) do orçamento para pagar despesas fixas e vaiáveis – direcionando o montante restante para outras finalidades, como os investimentos.

Esta prática de comprometimento dos ganhos, no entanto, acaba gerando problemas para muita gente – principalmente por “engessar” o orçamento mensal e não permitir manobras em caso de necessidades. Por esse motivo, não considero este um método eficiente para planejar as finanças de maneira inteligente.

Planejamento de gastos eficiente e inteligente

Uma forma bastante interessante de manter um planejamento de gastos sempre eficiente é manter os custos fixos no menor nível possível e trabalhar os custos variáveis, semi-fixos e semi-variáveis ao longo de cada mês.

Manter um aluguel mais baixo e reduzir as contas de consumo, por exemplo, podem fazer seus custos variáveis caírem – aumentando o poder de manobra para cortar custos variáveis – como TV a cabo, academia, entre outros – em caso de necessidade e em períodos de restrições ou corte nos custos.

Desta maneira, você consegue manter sua renda o menos comprometida possível – lhe oferecendo uma maior flexibilidade e liberdade para aumentar ou reduzir custos variáveis diversos ao longo do tempo e acumular mais patrimônio ao longo dos anos.

A questão do financiamento

Neste cenário, vale a pena também repensar algumas decisões que podem imobilizar sua condição financeira e manter seus custos fixos elevadíssimos por muito tempo, como é o caso de um financiamento imobiliário de 30 anos, por exemplo.

Os custos fixos permanecem elevados – o que não lhe permitiria fazer algumas escolhas em relação ao dinheiro em caso de necessidade sem que isso lhe trouxesse problemas – como precisar se desfazer do imóvel para não se endividar em caso de dificuldades de pagamento as parcelas do financiamento.

A importância da organização financeira

Para impulsionar a acumulação financeira e manter um bom planejamento financeiro ao longo do tempo, procure sempre manter suas finanças organizadas e planeje-as de modo a não comprometer tanto sua renda com despesas fixas – buscando sempre gerenciar, preferencialmente, as oscilações dos custos variáveis dentro do seu orçamento.

Este tipo de organização e planejamento financeiro pode ajudar você a evitar dificuldades financeiras e tendem a facilitar a acumulação de dinheiro visando a liberdade e a independência financeira – além dos demais objetivos financeiros que você possua.

Portanto, se você ainda possui muitos – e altos – custos fixos no seu dia a dia, este pode ser um bom momento para rever seus hábitos e realizar mudanças que lhe permitam reduzir estes custos fixos e aumentar a margem de manobra para os custos variáveis.

Com empenho, disciplina, organização e um bom planejamento ficará muito mais fácil economizar, poupar e investir mais e melhor o seu dinheiro.

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

André Bona

André Bona possui mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro, tendo auxiliado milhares de investidores a investir melhor seus recursos e é o criador do Blog de Valor - site de educação financeira independente.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *