Uma das estratégias comuns entre investidores é montar uma carteira com objetivo de receber dividendos e ter uma renda passiva. É possível alcançar isso por meio de alguns investimentos. Podemos citar como exemplos FIIs ou ações.

Mas qual é a melhor alternativa entre eles? Como escolher investir em fundos imobiliários ou em papéis de companhias de capital aberto? Você sabe analisar as duas opções e decidir qual é a melhor para o seu caso?

Se quiser ajuda para responder às perguntas que fizemos, basta ler este post até o final. Aproveite!

O que são FIIs?

Vamos começar definindo cada um dos investimentos. Fundos imobiliários ou FIIs são um dos tipos dos fundos de investimentos. Eles são negociados em cotas na bolsa de valores. Você pode adquiri-las e se tornar cotista do FII.

Depois disso, estará participando dos eventuais ganhos a partir do portfólio do fundo. Ele é montado por gestores profissionais e, no caso de fundos imobiliários, é composto por ativos relacionados ao setor de imóveis.

Alguns FIIs investem diretamente em imóveis físicos — são os chamados fundos de tijolos. Nesse caso, os gestores são responsáveis por administrar os bens, realizando a compra, venda ou aluguel deles, por exemplo.

Também existem FIIs de papel. Eles investem prioritariamente não em imóveis físicos, mas em títulos relacionados ao setor imobiliário. É o caso das Letras de Crédito Imobiliário (LCI), Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) ou cotas de outros FIIs.

Depois de entender o funcionamento básico dos fundos imobiliários, conheça as suas vantagens e desvantagens.

Vantagens

Um dos principais benefícios buscados pelos investidores que adquirem cotas de FIIs é o pagamento frequente de dividendos. Em geral, ele acontece todos os meses. Além disso, os fundos imobiliários devem dividir quase todo o lucro obtido.

Essas vantagens tornam os fundos imobiliários atrativos, especialmente para pessoas que desejam receber uma renda passiva por seus investimentos. Quem busca lucrar com imóveis sem enfrentar muitos custos ou burocracia também se beneficia de FIIs.

Mais um ponto positivo dos fundos imobiliários é que, apesar de serem investimentos da renda variável, eles estão expostos a menos variações. Quando comparado com ações, os FIIs se tornam alternativas mais previsíveis.

Desvantagens

É importante ter em mente que as cotas de FIIs são negociadas na bolsa de valores. Logo, sempre existe o risco de oscilação do mercado. O preço das cotas pode modificar no curto prazo e gerar prejuízo para quem precisa vendê-las.

O risco relacionado ao setor imobiliário também deve ser considerado, já que crises na área podem afetar os rendimentos. Outra desvantagem que vale a pena citar é a menor liquidez das cotas — o que pode trazer dificuldade para negociá-las.

O que são ações?

As ações são ativos bastante conhecidos por investidores da renda variável. Elas se referem a partes do capital social de uma empresa e quem adquire os papéis se torna sócio de uma companhia.

É possível ter uma renda passiva ao investir em ações de empresas que paguem percentuais interessantes de proventos. Assim, o investidor que mantém os papéis na carteira pode lucrar com a divisão do lucro, paga sob a forma de dividendos.

Existem dois tipos de ações. As ordinárias, que dão direito de voto e de participação nas assembleias do negócio. E as preferenciais, que não dão esse direito, mas oferecem prioridade na distribuição de lucro e no pagamento em caso de liquidação da empresa.

Vantagens

Uma das vantagens das ações em relação aos FIIs é a possibilidade de rendimentos mais altos. Ao escolher empresas com bons resultados financeiros o investidor pode receber dividendos significativos, além de ver o preço de suas ações se valorizarem com o tempo.

Outro ponto positivo é a diversificação. Existem mais companhias listadas na bolsa do que fundos imobiliários. Assim, o investidor conta com mais opções para escolher onde investir o seu dinheiro.

A existência do mercado fracionário também torna as ações acessíveis para investidores com pouco dinheiro. Em alguns casos, as cotas de FIIs giram em torno de R$ 100,00, por exemplo, enquanto ações podem ser compradas em frações por um valor menor.

Desvantagens

Com certeza, uma das principais desvantagens das ações na hora de decidir entre FIIs ou ações é que elas apresentam maior volatilidade. Os papéis estão expostos mais diretamente às oscilações do mercado, então têm riscos de altos e baixos no curto prazo.

Outro ponto é que, diferente dos fundos imobiliários, as empresas não são obrigadas a compartilhar quase todo o seu lucro com os acionistas. Ela pode utilizá-lo para reinvestir ao invés de distribuir dividendos.

O percentual a ser distribuído com os sócios é escolhido pela própria companhia, então costuma ser, em muitas situações, um percentual menor do que os proventos oriundos dos FIIs. Além disso, os dividendos não são pagos com a mesma periodicidade — normalmente, acontece a cada semestre ou ano.

Como escolher entre FIIs ou ações?

Agora que você já sabe o que são FIIs e o que são ações já consegue pensar em qual deles se adéqua melhor à sua estratégia de investimentos, certo? Afinal, o que é melhor: FIIs ou ações? Confira alguns aspectos que precisam ser considerados.

Analise seu perfil

Uma das diferenças mais significativas entre fundos imobiliários e ações diz respeito à exposição ao risco. Os FIIs podem ser compreendidos como opções mais estáveis na renda variável. Com isso, eles costumam ser a escolha de investidores mais conservadores, e também fazem parte da carteira de investidores moderados e arrojados.

Já as ações passam por maior volatilidade no curto prazo. Assim, é aconselhável que os investidores tenham maior abertura ao risco ao fazer essa opção. Logo, pessoas moderadas e arrojadas normalmente têm perfil mais adequado para investir nelas.

Conheça seus objetivos

Além do perfil de investidor, vale a pena pensar em seus objetivos no momento de decidir entre FIIs ou ações. Afinal, ambos são negociados na bolsa de valores, mas, como você viu, apresentam características diversas.

Fundos imobiliários servem bem às pessoas que queiram investir em imóveis com menor burocracia e custo. Além disso, quem deseja uma renda mais frequente tende para eles. Por outro lado, as ações são interessantes para quem deseja investir em outros setores e buscar rendimentos maiores, especialmente no longo prazo.

Considere as duas opções

Nem sempre é preciso ser taxativo na hora de decidir. Você provavelmente sabe que a diversificação é uma boa técnica para aperfeiçoar os resultados da carteira de investimentos, certo? Então, por que não considerar tanto FIIs quanto ações?

Ambos os investimentos podem ser boas alternativas na carteira. Sendo assim, conciliar as vantagens e desvantagens dos dois ao investir de maneira diversificada pode ser a escolha mais eficiente.

Acabamos de compartilhar as informações necessárias para entender os investimentos e escolher entre FIIs ou ações. Coloque nossas dicas em prática e veja quais são as melhores decisões para o seu caso. E lembre-se: a análise das vantagens e desvantagens deve ser feita de acordo com os seus interesses e objetivos.

E então, o que você achou deste post? Quer compartilhar sua opinião sobre FIIs e ações? Deixe um comentário!

 

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *