Algumas vezes todos nós queremos adiantar alguns sonhos não é mesmo? E uma das opções que temos é adiantar o dinheiro que precisamos para realizar esse sonho, por meio de empréstimos e financiamentos, pagando juros por isso.

Outra modalidade utilizada é o consórcio. Caso você já tenha se deparado com essa situação, com certeza ficou em dúvida em qual modalidade atenderia melhor seus objetivos.

Preparamos aqui um artigo com os principais pontos sobre o financiamento e sobre o consórcio, para que você possa fazer escolhas conscientes! Vamos lá?

O que é um financiamento?

O financiamento é um dinheiro emprestado vinculado à aquisição de um bem específico, como um automóvel ou imóvel.

As instituições financeiras fazem os financiamentos e cobram juros por eles, que é o custo por você estar adiantando um dinheiro que não tem hoje. Geralmente esses juros tendem a ser menores do que os empréstimos nos quais o dinheiro não tem destinação específica.

No financiamento, o acesso ao valor para aquisição do bem é imediato após a celebração do contrato.

Características gerais do financiamento

Confira a seguir algumas das principais características do financiamento:

  • É feito através de uma análise e aprovação de crédito pela instituição financeira.
  • O pagamento/quitação é feito por parcelas mensais, já com os juros computados em cada parcela. Ou seja, o que você paga não é integralmente para amortizar a dívida, parte dele é juros.
  • No caso de antecipação de valores, é previsto desconto dos juros que incidiriam futuramente.

Vantagens e desvantagens do financiamento

A grande VANTAGEM do financiamento é a disponibilização do valor de imediato. E, claro, como o acesso ao dinheiro é mais rápido, você estará pagando mais caro por isso também. E essa é a grande DESVANTAGEM.

Não raro, ao fazer um financiamento, você paga ao fim do contrato o valor referente a 2 (duas) ou 3 (três) vezes o valor do bem adquirido. Imagine: o valor que você paga durante toda a vigência de um financiamento de carro por exemplo, daria para você comprar 2 ou 3 carros. Impressionante, não é?

Mas lembre-se: este é o custo do dinheiro. É o que você está pagando por usufruir de um dinheiro que você ainda não tem.

Agora que vimos as principais características de um financiamento, continue a leitura e entenda mais sobre o consórcio.

O que é um consórcio?

Já vamos começar essa parte falando da grande diferença do consórcio em relação ao financiamento: No consórcio, o acesso ao valor não é imediato.

Ele funciona como uma modalidade de compra em grupo, na qual esse grupo paga mensalmente uma parcela, e o dinheiro acumulado é destinado a um fundo. E. todo mês, alguns integrantes são “sorteados” para receber o valor do bem consorciado.

Enquanto você paga o consórcio e ainda não foi contemplado, você está acumulando e não são feitas avaliações de crédito e nem é solicitada a comprovação de renda.

Já a partir do momento que você é contemplado com o valor da carta, passa a ser um devedor, tendo acesso a um valor maior do que o que você já pagou. Nesse momento da contemplação é que é feita a análise de crédito.

Características gerais do consórcio

Conheça algumas das características principais do consórcio:

  • Não é cobrado exatamente juros, o que você paga além do valor principal é uma taxa de administração, que é calculada pelo prazo total da vigência do grupo.
  • Todo mês alguns participantes são contemplados, tendo acesso ao valor da carta de consórcio e podendo assim adquirir o bem.
  • Existe a possibilidade de dar lances, todo mês, que é uma antecipação do pagamento de parcelas, aumentando sua chance de ser contemplado com o valor total do crédito.

Vantagens e desvantagens do consórcio

A grande vantagem do consórcio é o seu custo menor. Ao final do pagamento de todas as suas parcelas do consórcio, você paga o valor total do bem e mais um pequeno acréscimo, não chegando a dar duas vezes o valor do bem, como ocorre no financiamento.

A desvantagem é que você depende de ser sorteado para ter acesso ao valor da carta. E isso pode ocorrer logo no primeiro mês ou no último! Para turbinar as chances, dando lance, você precisará dispor de algum valor para pagar esse lance.

Dica de consórcio: Ao aderir a um consórcio, verifique antes o histórico do grupo, a quantidade de contemplações mensais, as médias de lances dados pelos participantes todo mês e sua saúde financeira.

Conclusão

Apesar da redução no custo do dinheiro no mercado brasileiro nos últimos anos, as taxas praticadas pelas instituições financeiras na concessão de crédito ainda são bastante descoladas da Taxa Selic. E não respondem com velocidade à pressão de queda dos juros no Brasil.

Portanto, lembre-se sempre que:

Antes de tomar um empréstimo ou financiamento, convém perguntar a si mesmo:

  • Para que preciso do dinheiro?
  • É mesmo necessário? Sempre lembrando que necessidade é diferente de desejo!
  • A prestação cabe no meu orçamento?
  • Vale a pena pagar os juros ou é melhor esperar, juntar o dinheiro e comprar depois?

Ao se decidir por adiantar um sonho, verifique se pode programar essa aquisição de bem e usufruir de taxas menores, como a do consórcio; Verifique também se o seu objetivo é imediato. Se a resposta for negativa, você pode abrir mão do negócio e evita pagar mais caro pelo dinheiro!

Quer aprender a investir melhor? Então clique aqui!

Autor

Daniela Viola Bona

Especialista em Finanças e Economista pela UFES (ES). Especialista em Comportamento Organizacional. Atua no mercado financeiro há 10 anos. Realiza atividades de educação e treinamento como professora/instrutora na área de banking/economia.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *