O consórcio é uma modalidade de compra bastante popular no Brasil. Ainda assim, muitas pessoas têm dúvidas sobre consórcio e seu funcionamento.

Para tomar decisões financeiras com segurança, é essencial você conhecer o serviço. Afinal, existem alguns detalhes que merecem atenção na hora de saber se ele é vantajoso ou não.

Por isso, preparamos um post com as principais perguntas e respostas sobre esse assunto. Aproveite para reunir informações que baseiem melhor suas escolhas!

1. Do que se trata o consórcio?

Primeiramente, é preciso entender o que, de fato, é um consórcio. Trata-se de um produto financeiro voltado à aquisição de bens de alto valor, como veículos e imóveis. Nos últimos anos, ele passou a ser usado também para a compra de serviços – por exemplo, tratamentos médicos ou pacotes de viagem.

O consórcio costuma ser apresentado como uma alternativa ao financiamento.  Pois, algumas vezes, as taxas podem ser menores. Vem daí a sua popularidade como meio de aquisição de patrimônio.

2. Como ele funciona?

No consórcio, o bem não é adquirido imediatamente, já que não se trata de um financiamento, mas de uma compra programada. O valor do produto é parcelado e o participante precisa esperar ser contemplado para ter acesso ao crédito.

Entretanto, uma de suas principais características é ser organizado como uma compra coletiva. Isto é, o consorciado entra em um grupo interessado na compra de um bem. Cada pessoa paga uma parcela mensal referente à cota pelo produto que deseja comprar.

Com isso, o grupo tem um valor para realizar aquisições desse produto todos os meses. Então, alguns participantes são contemplados com esse valor a cada mês e podem realizar a compra, ainda que não tenham acabado de pagar suas parcelas.

3. Como se dá a contemplação?

Via de regra, todos os consorciados receberão sua carta de crédito para realizar a compra do bem até o final do pagamento das parcelas. Mas, como mensalmente o grupo tem dinheiro para conceder esse crédito a um ou mais participantes, são realizados sorteios para decidir a ordem de recebimento.

Assim, a possibilidade de ter a contemplação por meio do sorteio é um dos principais pontos no funcionamento do consórcio. Os sorteios são realizados em reuniões (as assembleias) com a presença da maioria dos participantes e pode seguir os número da Loteria Federal ou algum método próprio.

É preciso que o participante esteja com suas parcelas em dia para participar do sorteio. Caso seja contemplado, ele recebe a carta de crédito referente ao valor total do item. Com ela, o consorciado tem autonomia para pesquisar e negociar a compra de seu patrimônio.

4. Qual é a função do lance?

O lance é outra forma de ser contemplado. Ele é muito utilizado por quem quer antecipar sua contemplação sem depender da sorte. E funciona da seguinte forma: o participante oferece uma quantia para antecipar parcelas futuras e receber a carta de crédito.

Como diversos consorciados podem oferecer lances a cada mês, a administradora fica responsável por identificar os mais altos. Se ocorrer repetição de valor com alguns participantes, é realizado um sorteio entre eles para decidir quem será contemplado.

Só precisarão pagar o lance os consorciados contemplados. Os demais podem guardar a quantia para oferecer novamente no mês seguinte.

5. Que produto pode ser comprado?

Ao entrar em um consórcio, o participante faz parte de um grupo com o objetivo de comprar algo específico. Por exemplo, um carro de determinado modelo. Essa especificação consta no contrato e serve para saber o valor exato a ser pago.

Entretanto, você não é obrigado a comprar apenas o produto que foi definido no início do grupo. Na verdade, o dinheiro pode ser utilizado para adquirir qualquer item, desde que seja da mesma categoria.

Ou seja, um consórcio de veículo pode servir para comprar uma moto ou carro de qualquer modelo. Enquanto isso, um consórcio imobiliário tem diversas opções: adquirir um terreno, construir seu imóvel ou comprar uma casa pronta, por exemplo.

6. O que mais pode ser feito com o dinheiro?

Não é somente para a compra de bens que o consórcio vale. Ele também pode ser usado para quitar um financiamento na categoria. Ou seja, um financiamento de imóvel no consórcio imobiliário ou de veículo em um consórcio desse tipo.

Outra possibilidade de uso do dinheiro é quando o valor da compra for menor do que o da carta de crédito. O valor restante pode ser utilizado em outros gastos referentes ao bem – como reformas ou pagamento de impostos. Além disso, há a opção de antecipar parcelas do consórcio.

É importante saber, ainda, que existe a opção de receber o valor da sua carta em dinheiro. Se o participante não desejar realizar nenhuma compra, deve informar isso à administradora do consórcio – que vai realizar os trâmites para transferência da quantia.

7. Como as parcelas do consórcio são definidas?

Uma informação importante que você precisa ter é que um consórcio não cobra juros, pois não se trata de um empréstimo. Assim, não há incidência dessa taxa no valor das parcelas – mas existem outras a considerar.

A principal delas é a taxa de administração, que corresponde ao valor pago para a administradora do consórcio. Outro valor incluído na parcela é o fundo de reserva: esse dinheiro fica guardado para cobrir possíveis imprevistos no andamento do grupo.

Para o cálculo das parcelas são considerados o valor do produto e essas taxas. Além disso, há um reajuste periódico para corrigir as perdas inflacionárias.

8. Que cuidados são necessários no consórcio?

Quem deseja entrar em um consórcio precisa ficar atento para escolher uma boa administradora e fazer valer seus direitos. O consórcio é regulamentado por lei no Brasil e as empresas precisam ser autorizadas pelo Banco Central para ofertar esse serviço.

Logo, seu primeiro cuidado deve ser o de conferir no site do órgão as empresas que estão regularizadas. É importante, ainda, ter muita atenção ao assinar o contrato do consórcio. Certifique-se de todas as informações e tire possíveis dúvidas antes de fechar negócio.

9. O consórcio é um investimento?

Essa é uma pergunta muito comum e a resposta é que um consórcio não se trata de um investimento. Ele é uma modalidade de compra, assim como o financiamento. Ou seja, o seu dinheiro não terá rendimentos. Pelo contrário, você estará pagando um valor a mais pela aquisição de um bem.

Em diversas situações, pode ser mais interessante aplicar seu dinheiro em investimentos para realizar a compra à vista no futuro. Mas, agora que você já viu as principais dúvidas sobre consórcio, pode avaliar em que condições ele é um bom negócio para o seu caso!

Quer entender um pouco mais sobre o assunto? Conheça os prós e contras de fazer um consórcio!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Luana Neves

Jornalista e redatora. Atuou como editora de Economia no Jornal DG e Revista Quem é Quem - Economia, assinou por três anos coluna diária de Economia e já produziu conteúdo para diversos portais de notícias do Brasil.

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *