Você tem ideia dos gastos dos brasileiros com os animais de estimação? Se não imagina, saiba que, dependendo do animal, as despesas podem ser bastante altas.

De acordo com uma pesquisa feita pelo IBGE, há mais animais de estimação do que crianças nas casas brasileiras. Dentre os bichos mais comuns, o número de cachorros supera o de qualquer outra espécie. Os “pets” já são considerados membros da família e hoje em dia há todo um mercado voltado para o bem-estar animal.

Por causa de toda essa afeição, as pessoas querem sempre o melhor para o seu amigos de quatro patas. Contudo, esses gastos podem ser grandes e é preciso controlá-los.

Quer saber como administrar os gastos com os pets? Então confira o artigo e descubra como fazer isso de forma eficiente!

Considerações antes de pegar um animal de estimação

Antes de escolher um bicho para ser seu companheiro ou da família, é importante entender que animais são seres vivos e precisam de cuidado, carinho e atenção. Não podem ser considerados como meros objetos para enfeites, ou seja, não se pode pegar um animal e achar que pode doar ou abandoná-lo quando quiser.

Vale ressaltar que abandonar animais é inaceitável e a conduta pode ser enquadrada como crime. Ainda, é aconselhável adotar ao invés de comprar. Há muitos animais precisando de um lar e nunca sabemos a real procedência do canil ou gatil que vendeu os bichos para a petshop.

Por isso, se você pensa em ter um animal de estimação, tenha em mente que estará lidando com outro ser vivo. Ainda, considere adotar, pois além de economizar dinheiro, você estará ajudando a diminuir o número de animais abandonados, de rua ou sem lar. Caso você já tenha os seus, vale reforçar a mensagem para evitar o abandono.

Despesas iniciais com pets

Sempre há quem queira muito um cachorro, gato ou outro animal e esquece que terá ônus. Animais são como filhos. Além de precisar de cuidados e atenção, possuem necessidades e você tem que cumprir determinadas obrigações, como levar ao veterinário, comprar ração, etc.

Se você adotar um animal um pouco mais velho, será mais econômico do que comprar um filhote. Animais que foram resgatados e colocados em abrigos geralmente já são entregues vacinados e até castrados. Quando você adquire um filhote, deverá arcar com estes custos que, dependendo do animal, poderão ser demasiadamente caros.

Independente se for adotado ou comprado, os gastos iniciais são maiores, pois envolve comprar brinquedos, caminha, potes de comida e água, ração e outros objetos. Por mais que certos objetos são adquiridos apenas uma vez, a soma de tudo o que foi comprado para receber o bicho pode ser alta.

Por isso, antes de escolher o bicho de estimação que deseja, pergunte tudo o que irá precisar e faça uma pesquisa antecipada para saber o gasto médio que você terá nesse primeiro mês para adequar o ambiente da sua casa.

Esses gastos acabam sendo essenciais, mas sempre há maneiras de improvisar utilizando o que você já tem em casa. Pesquise também os gastos médios com alimentação, vacinas e outros serviços essenciais, como banho e tosa.

Gastos cotidianos

O gasto médio com animais de estimação no país varia muito de animal para animal. Cachorros de porte grande, por exemplo, podem gastar em média quase 500 reais por mês. Com gatos, você pode desembolsar perto dos 200 reais mensais. Cachorros de pequeno porte despendem em torno de 270 reais.

A maioria dos dados são sobre cachorros e gatos, os quais são os mais encontrados nas casas brasileiras. Contudo, há muitas outras espécies que também são comuns, como aves, hamsters e coelhos, dentre outros.

Contudo, sabe-se que esses gastos podem ficar maiores dependendo dos donos, do tipo de animal e do estilo de vida que proporcionaram para o pet. Há donos que desembolsam muito dinheiro em serviços como: babá, hotel para cachorro, spa, passeios, salão de beleza e acessórios como roupas, bijuterias, etc.

Esses gastos supérfluos são pura luxúria e nem o animal se importa com isso, mas cabe ao dono decidir o que é melhor para o seu bicho. Em relação aos gastos necessários, há maneiras de administrá-los e evitar que extrapole o planejado.

Confira a seguir.

Alimentação

Há donos que dão comida humana ou restos para os animais, mas a maioria aposta na ração. A ração, de maneira geral, é mais aconselhável, pois corre menos risco de o animal sofrer alguma contaminação ou alergia.

Pesquise por uma boa ração que seja vendida por um preço razoável. Além disso, você pode oferecer outros tipos de produtos alimentícios, como biscoitos que são próprios para animais. Fique sempre atento à diferença de valores nos diferentes mercados para evitar comprar no mais caro.

Ainda, evite de dar mais comida que o necessário para o seu animal! Além de engordar, você pode deixar seu bicho mais guloso e, assim, a comida acabará rapidamente.

Veterinário

Se você escolheu um animal que não precisa de vacinas, como hamsters e coelhos, você está com sorte. Para os demais, as vacinas são obrigatórias e, claro, você precisa pagar para o veterinário. Antes de entrar em qualquer clínica veterinária, converse e pesquise os valores das vacinas e escolha o lugar que oferecer melhor custo-benefício.

Se for um cachorro ou gato, fique atento às campanhas de vacinação de animais, pois, dessa maneira, você consegue essas vacinas até de graça a depender do município. O mesmo vale para as castrações.

Veja quanto cada clínica cobra e se conseguir castrar em campanhas municipais com esse objetivo, você economiza em mais um aspecto.

Banho e tosa

Como a maioria dos seres vivos, é possível que você escolha um animal que precise tomar banhos frequentes.Há certos animais que não possuem essa necessidade, como os hamsters, alguns répteis e algumas raças de coelhos.

A tosa também pode ser necessária caso o animal fique peludo. Caso não tenha tempo, veja o lugar que oferece o melhor custo-benefício para esses serviços. Se tiver disponibilidade e um lugar para dar banho no seu animal, faça isso por conta, pois um serviço de banho e tosa pode custar bem caro.

O mesmo vale para a tosa. Descubra algum tipo de máquina que sirva para raspar o pêlo do bicho, será mais barato do que pagar um tosador.

Se nao tiver como fazer isso em casa, saiba que o banho e a tosa poderão representar gastos semanais ou quinzenais. Por isso, é importante escolher um bom lugar que ofereça um custo-benefício razoável e até descontos para clientes fiéis ou planos diferenciados.

Para não gastar a mais, analise a necessidade da tosa e do banho. Dependendo do tipo de animal, esse serviço pode ser feito uma vez por mês, por exemplo.

Gastos extras

Como foi comentado, há quem goste de enfeitar seus animais, colocando roupas, bijuterias e bolsas caras para carregar o animal. Existem até serviços como: massagista de cachorros, fotógrafo de animais e arquitetos que ajudam a planejar quartos e móveis exclusivos para esse tipo de público.

Se quiser desembolsar dinheiro nesses tipos de trabalhos, a escolha é sua, mas tenha em mente que é um gasto supérfluo e desnecessário.

Contudo, lembre-se que imprevistos acontecem. E você deve estar preparado para eles, como uma ida ao veterinário por motivos de saúde, por exemplo.

Da mesma forma que as pessoas devem planejar seus gastos e anotar tudo, seja em planilhas ou em papel, os gastos necessários com os animais também precisam ser anotados! Inclusive, detalhar tudo o que foi desembolsado ajudará a ver o que pode ser cortado e no que pode ser economizado em relação as despesas com os pets.

Assim você consegue analisar se está gastando muito com ração e precisa comprar uma mais barata ou diminuir a quantidade, se pode ou não cortar o plano de saúde do animal, entre outras questões .

O ideal é sempre contar com uma reserva de emergência. Assim, além do planejamento mensal, você estará sempre preparado para situações não previstas e não terá problemas financeiros caso elas ocorram.

Conclusão

Gastos com animais de estimação são impossíveis de evitar, caso você tenha ou queira ter um bicho em casa. Como são membros da família, as despesas podem ser exorbitantes, por isso, é sempre bom controlar e detalhar tudo que você desembolsa com o seu animal.

A escolha de ter um bicho de estimação deve ser feita com sabedoria, pois trata-se de um ser vivo que precisa de cuidados, carinho, atenção e possui necessidades a serem satisfeitas. Portanto, pense bem antes de tomar uma escolha!

Caso você já tenha, siga as dicas, detalhe as despesas e planeje. Assim ficará muito mais fácil cortar excessos quando for necessário.

E você, sabe quanto gasta com seu animal de estimação? Então assine a newsletter e aprenda a lidar melhor com o dinheiro para que essas despesas não seja um problema para você!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *