Você já pensou em ter independência financeira e aproveitar todos os benefícios que esse patamar lhe oferece? Para muitas pessoas, alcançar essa autonomia parece um sonho distante. No entanto, é possível mudar alguns hábitos para encurtar esse caminho.

Ter uma reserva financeira e bons investimentos pode proporcionar uma renda passiva mensal que cubra todos os gastos e lhe permita viver com mais tranquilidade. O processo é lento mas, com planejamento, organização e investimentos constantes é possível alcançar seus objetivos.

Continue a leitura e confira 6 passos para conquistar a sua independência financeira!

Diferença entre liberdade e independência financeira

Antes de conhecer algumas importantes dicas para alcançar a independência financeira é importante entender melhor este conceito. Afinal, o que é a independência financeira?

Esse conceito refere-se ao momento da vida no qual acumulamos patrimônio suficiente para viver dos rendimentos que eles proporcionam. Quem atinge esse estágio não depende mais do recebimento de salários, por exemplo.

O valor recebido por meio dos rendimentos deve cobrir todos os seus gastos mensais. Por isso, o nível de independência financeira que cada pessoa deve alcançar é algo muito particular. Quanto mais dinheiro você precisar, maior deve ser o montante acumulado.

Mas isso não quer dizer que você não precisará mais trabalhar. Na verdade, a independência financeira permite que o indivíduo trabalhe se quiser. A diferença é que o trabalho poderá ser exercido com mais tranquilidade e qualidade, pois não é necessário se preocupar com as contas em curto prazo.

Quando conseguimos equilibrar as contas, não adquirimos mais dívidas e temos dinheiro para investir, podemos dizer que alcançamos a liberdade financeira. Nesse caso, as decisões financeiras são tomadas com maior tranquilidade e não temos preocupações excessivas com o dinheiro.

Isso significa que podemos focar em acumular patrimônio. É possível alcançar a liberdade financeira sem atingir a independência. Nesse estágio, a tendência é que façamos escolhas mais acertadas para que, no futuro, possamos viver de forma financeiramente livre.

Entender a diferença entre os dois conceitos, portanto, é fundamental para entender em que fase você se encontra e onde pretende chegar.

Dicas para alcançar a independência financeira

Agora que você já sabe o que é a independência financeira, confira 6 dicas fundamentais para se organizar e iniciar a formação do seu patrimônio rumo à sua independência em relação às finanças. Acompanhe:

1. Faça um bom planejamento financeiro

O primeiro passo para quem quer investir e ver o dinheiro render é entender como está a sua saúde financeira e traçar objetivos. Assim, fica mais fácil identificar quais são os seus maiores gastos e quais hábitos você deverá mudar.

Para isso, anote todos os seus gastos e faça um orçamento mensal. Defina o que é essencial e supérfluo, categorizando cada despesa. Se você tiver alguma dívida, esse é o momento de tentar uma negociação para se livrar de todos os débitos.

Por fim, defina um teto de gastos, de acordo com as despesas essenciais e fixas. Dessa forma, você consegue prever quanto terá no final do mês para investir.

2. Comece a poupar

Quando você entender que é necessário gastar menos do que ganha para equilibrar as contas e conseguir investir, reconhecerá a importância de poupar. Porém, muitas pessoas têm dificuldade de colocar essa ação em prática.

Determinação e persistência são pontos importantes no momento de economizar. Ao analisar o seu planejamento financeiro, você perceberá que existem alguns gastos que podem ser eliminados ou reduzidos.

Um exemplo é pesquisar planos de celular mais baratos e entrar em contato com a sua operadora. Converse sobre a possibilidade de conseguir um desconto no seu plano atual ou migre para outro que seja mais barato. Outra opção é fazer a portabilidade — um serviço gratuito.

O importante é poupar e acumular dinheiro.

3.  Tenha uma reserva de emergência

Você já ouviu falar em reserva de emergência? Esse dinheiro permite que você passe por uma instabilidade financeira em curto e médio prazo sem precisar recorrer a empréstimos ou se endividar. Por isso, esse deve ser o primeiro montante que você acumulará.

Existem alguns princípios básicos para quem está montando a própria reserva. Primeiro, calcule o valor que você precisa juntar. O recomendado é acumular a quantia referente a 6 meses dos seus gastos mensais.

Se você precisa de R$2.500,00 para pagar as contas do mês, terá que juntar R$15 mil na reserva de emergência. Assim, se você perder o emprego, por exemplo, poderá ainda se manter por um certo período sem muitos problemas.

O outro ponto importante é guardar o dinheiro em um investimento que tenha segurança e liquidez diária. Isso significa que você poderá solicitar o valor aplicado e o rendimento a qualquer momento.

4. Aprenda a fazer investimentos

Se você quer alcançar a independência financeira, o seu dinheiro não pode ficar parado. É importante que ele trabalhe para você e gere rendimentos, de forma que o montante acumulado sempre aumente.

Por isso, é fundamental aprender a fazer investimentos. Existem diversas opções disponíveis no mercado que podem se encaixar com os seus objetivos e com o seu perfil de investidor (que permite entender quais riscos você está disposto a assumir).

Antes de escolher a melhor alternativa, estude bastante sobre o mercado financeiro. E monte uma carteira que esteja alinhada a cada uma das suas metas financeiras e sua tolerância a riscos.

5. Faça aportes com frequência

Crie o hábito de fazer aportes todos os meses. No início, é normal que os seus investimentos rendam pouco. Por isso, essa estratégia é fundamental para que o seu capital aumente.

Assim que você faz um investimento, o seu dinheiro começa a sofrer a ação dos juros compostos. É por isso que dizemos que ele está trabalhando para você. Afinal, sem que seja necessário fazer nada, o valor aumenta a cada mês.

E saiba que não é necessário esperar acumular uma quantia alta para investir. Existem bons investimentos que aceitam aportes mais baixos. Além disso, quando você faz aportes frequentes, está evitando gastar com outras coisas.

Ao longo do tempo será esta frequência que levará você a alcançar a sua independência financeira.

6. Tenha uma renda extra

É comum precisar trabalhar mais no início para, depois, alcançar a independência financeira. Se você gasta mais do que recebe ou acredita que não sobrará dinheiro para investir, está na hora de começar a ter uma renda extra.

Buscar formas de receber mais dinheiro pode ser a chave para o seu sucesso financeiro. Inicialmente, esse valor pode ser usado para quitar uma dívida. Se esse não for o seu caso, a remuneração pode ir diretamente para os investimentos.

Tente pensar em algo que você goste e use o seu talento para receber mais. Para isso, faça uma pergunta para si mesmo: o que as pessoas me pagariam para fazer? É possível realizar vendas, fazer um trabalho freelancer ou dar aulas particulares no tempo livre, por exemplo.

Entender de finanças pessoais, ter um bom planejamento e seguir seus objetivos é fundamental para atingir a sua independência financeira. Quanto antes você começar, mais tempo terá para receber a ação dos juros compostos e mais rápido poderá viver de renda passiva.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de complementar a leitura e conheça os melhores podcasts sobre finanças pessoais e investimentos!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *