Você sabe quais são as taxas cobradas nos investimentos feitos na bolsa de valores? Normalmente, os investidores ficam mais atentos às cobranças de impostos e de possíveis taxas de corretagem nas operações.

Isso é natural, já que são cobranças mais conhecidas e, no caso da taxa de corretagem, podem mudar de uma instituição financeira para outra. Mas há uma taxa que muitos ainda não conhecem, por ser automática e em valores menores. Estamos falando dos emolumentos.

Eles são cobrados em toda compra ou venda na bolsa. Então, se você realiza operações no mercado de ações ou pretende começar a investir, chegou a hora de conhecê-los, não é mesmo?

Continue a leitura e saiba mais!

O que são emolumentos?

Os emolumentos ou taxa de negociação são cobrados pela B3 (a bolsa de valores brasileira) e a CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). Eles incidem sobre qualquer operação de compra e venda de ativos na renda variável.

O que os investidores ou especuladores pagam de emolumentos é destinado a custear os serviços de registro e custódia dos investimentos. Ou seja, a B3 e a CBLC se responsabilizam por registrar as operações e cobram para que isso seja feito.

Por esse motivo, há cobrança da taxa sempre que você compra ou vende um ativo na bolsa. Afinal, em qualquer operação é preciso registrar o que foi realizado. Embora os registros não sejam mais de forma manual, os emolumentos são cobrados desde a época em que era feitos assim.

Registrar, catalogar e guardar as informações das negociações feitas na bolsa é essencial para a segurança do investidor e do mercado financeiro. Logo, o pagamento da taxa se refere a algo fundamental para suas operações.

Como eles são calculados?

A cobrança dos emolumentos se dá a partir de um percentual do volume movimentado na operação de compra e venda. Em primeiro lugar, vale a pena destacar que a taxa de emolumentos corresponde a uma pequena parte do que você investe.

A porcentagem cobrada pode variar bastante ao longo do tempo. Por isso, é sempre importante se atualizar sobre a taxa diretamente no site da B3. Contudo, de modo geral, a cobrança costuma corresponder a menos do que 0,1% do volume negociado.

Veja detalhes sobre como ela é calculada.

Custos que compõem o cálculo

Os emolumentos, na verdade, dizem respeito a duas taxas: a de liquidação, que é cobrada pela CBLC, e o Imposto sobre Serviço (ISS).

A taxa de liquidação varia de acordo com o volume de dinheiro que é negociado em cada transação. Assim, o percentual que incide pode ser maior ou menor a depender dessa característica.

Já o ISS é um imposto cuja alíquota não varia segundo o volume da operação, mas pode ser diferente em cada município do país. Assim, ele pode dar a ideia de que os emolumentos variam entre as instituições, mas isso se deve à cidade em que cada uma funciona.

Diferenças no percentual da taxa

Como dissemos, a alíquota de emolumentos muda conforme o valor movimentado na compra e venda de ativos — assim como de outras particularidades.

Por exemplo, a taxa é diferente para pessoas físicas e jurídicas. Fundos ou clubes de investimentos pagam um percentual menor, pois movimentam grandes quantidades de dinheiro a cada negociação.

Mesmo entre investidores pessoas físicas a alíquota pode não ser a mesma, a depender dos valores negociados. Além disso, há diferenças entre operações comuns (compra e venda feitas em dias diferentes) e day trade.

Cobrança

Embora seja importante saber o que são os emolumentos e quais são as lógicas do cálculo da taxa, o investidor ou especulador não precisa se preocupar em calcular o valor a ser pago. A cobrança da alíquota se dá de forma automática.

É função da própria B3 realizar o cálculo e passar os valores para sua corretora de valores ou banco de investimentos. Então, ao final de cada pregão, ela faz o cálculo e a corretora ou banco de investimentos realiza o desconto na sua conta.

Assim, sempre que uma negociação de compra e venda for liquidada você receberá um extrato especificando a operação e as cobranças que foram realizadas.

As informações podem ser conferidas na sua nota de corretagem — que fica disponível no site da instituição ou é enviada por e-mail após a liquidação das operações. Conferir e guardar o documento também é importante para manter seus registros organizados.

Quais as diferenças entre os emolumentos e outras taxas?

Quem investe em ações ou demais investimentos da renda variável está exposto a cobranças de algumas taxas. Além dos emolumentos, que explicamos ser cobrado pela B3 para fazer o registro das suas operações, é preciso diferenciar as outras.

Uma taxa muito relevante para quem negocia ativos ou derivativos na bolsa de valores é a de corretagem. Ela é cobrada diretamente pela corretora de valores ou banco de investimentos — e pode ser isenta em alguns casos.

A taxa de corretagem também incide sobre todas as operações feitas por intermédio da instituição. Mas, diferente dos emolumentos, não se trata de uma taxa obrigatória. Então, você pode avaliar a alíquota cobrada por cada instituição antes de escolher qual utilizar.

A cobrança da taxa de custódia é outro exemplo que pode variar entre bancos e corretoras. Ela é um pagamento feito para a CBLC pela guarda dos registros das operações ao longo do tempo. A cobrança pode ser realizada mensalmente ou por ano.

Evidentemente, os investidores da renda variável também precisam ficar atentos ao Imposto de Renda — que é outra taxa de grande relevância. Ele varia em relação aos ativos e às operações comuns ou day trade, então vale a pena aprender sobre ele.

Por que os investidores devem conhecer os emolumentos?

Se os emolumentos correspondem a uma pequena parte das suas negociações e se a cobrança deles se dá de forma automática, por que é importante conhecê-los? De fato, muitas pessoas podem não reparar no detalhe das suas notas de corretagem.

Contudo, é fundamental que você identifique todas as taxas e cobranças relevantes nos seus investimentos. Afinal, independentemente dos valores, elas incidem sobre suas decisões e interferem no seu lucro líquido.

Ao montar uma carteira de investimentos é muito importante acompanhar todas as informações que lhe afetam. Então, depois de ler este conteúdo, você já sabe o que são e como funcionam os emolumentos na bolsa de valores. Considere essa e as outras taxas nas suas escolhas!

Quer continuar atualizado sobre temas como este? Nosso canal no YouTube oferece muitas dicas sobre finanças e investimentos. Confira!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *