O Imposto de Renda é um tributo que deve ser declarado anualmente pelos brasileiros. Em muitos casos, ele já é descontado direto na fonte — e você pode receber algum valor de restituição depois de realizar a declaração.

É muito importante entender o imposto de renda e declarar seus bens e gastos com cuidado. Afinal, qualquer problema pode fazer você cair na malha fina e precisar prestar esclarecimentos à receita federal.

Algo que muitas pessoas não sabem é que é possível pagar menos IR sem precisar cometer fraudes. Alguns detalhes na sua declaração anual podem fazer muita diferença. Então, que tal conferir dicas para economizar nisso?

Deduzir a previdência privada do tipo PGBL

A procura por planos de previdência privada vem aumentando no nosso país. Isso se deve, principalmente, aos problemas da previdência social e à ampliação da educação financeira nos últimos anos. Assim, cada vez mais pessoas têm se responsabilizado pela própria aposentadoria.

Quem faz esse tipo de investimento deve ficar atento ao seu funcionamento, pois existem diferentes planos de previdência privada. O tipo VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres) não permite deduzir as contribuições do Imposto de Renda.

O plano que oferece essa facilidade é o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre). Logo, ele costuma ser o mais indicado para pessoas que fazem a declaração completa de IR. Assim, se você tem uma previdência privada desse tipo, não se esqueça de deduzir esse valor.

As contribuições previdenciárias correspondentes a até 12% da sua renda anual tributável podem aumentar sua restituição. Quem declara o IR de maneira simplificada ou tem um plano de previdência que ultrapassa esse percentual em aportes talvez prefira aderir ao tipo VGBL — que não é deduzido.

Abater taxas de corretagem de investimentos

Além da previdência privada, outros tipos de produtos financeiros são passíveis de serem incluídos na sua declaração de imposto de renda. Assim, eles ajudam a pagar menos IR ou aumentar a restituição. É o caso de investimentos que cobram taxas (como a de corretagem).

A corretagem e outras taxas podem ser cobradas por bancos de investimentos e corretoras de valores. Elas dizem respeito ao pagamento feito pelo investidor para que a transação financeira aconteça.

Assim, elas costumam incidir sobre a compra e venda de ativos — títulos, ações ou cotas de fundos de investimentos, por exemplo. Para saber que taxas são essas, basta conferir no informe de rendimentos enviado pelo seu banco ou corretora.

Se você precisou pagar alguma taxa desse tipo para investir durante o ano, saiba que o valor pode ser abatido do seu imposto de renda. Isso se refere aos investimentos que cobram IR sobre os rendimentos — no Brasil, existem algumas opções que isentam esse imposto.

Quem precisar pagar IR sobre a rentabilidade conquistada na sua carteira deve declarar as taxas de corretagem se quiser abatê-las. Elas aumentam o valor de compra do ativo e, com isso, diminuem o imposto devido.

Saber como declarar o aluguel de imóveis

Agora, vamos falar sobre quem realiza investimentos em imóveis físicos. Se você tem casas, apartamentos ou salas comerciais e os disponibiliza para aluguel como fonte de renda, vale a pena ficar atento à maneira como declara esse dinheiro.

Por exemplo, existe a possibilidade de abater o valor pago como comissão da imobiliária que cuida do seu imóvel. Semelhante à taxa de corretagem sobre aplicações financeiras, essa quantia será descontada do valor recebido como rendimento do aluguel.

Então, o importo de renda que incide sobre a renda obtida com ele será menor. O mesmo acontece se você declara IPTU (Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana) ou taxa de condomínio — eles devem ser incluídos na aba “pagamentos efetuados” da declaração.

Outra dica relacionada ao aluguel de imóveis é quando essa é uma renda do casal. Dividir a quantia dos alugueis e declarar separadamente pode fazer com que você diminua o valor do imposto de renda pago no total.

Fazer a declaração de forma individual

Uma dúvida muito comum entre os casais é se é mais vantajoso declarar o imposto de renda de maneira conjunta ou individual. Em geral, quando os dois têm fontes de renda, o mais interessante é fazer declarações separadas.

Isso porque a cobrança do imposto acontece por faixas salariais. Como fazer uma declaração conjunta significa somar os dois salários, há o risco da renda dos dois ser classificada em uma alíquota maior de IR.

Por esse motivo, costuma ser mais econômico quando cada pessoa declara o imposto de renda separadamente. Mas atenção: essa é a realidade quando os dois apresentam fontes de renda. Se um dos cônjuges não tiver renda tributável, a faixa de imposto não será alterada.

Nesse cenário em que o casal conta com apenas uma renda, é possível fazer juntos de maneira vantajosa — principalmente se houver muitas despesas a serem deduzidas. Para tirar a dúvida sobre o que seria melhor, você pode preencher o formulário das duas formas e conferir o valor da restituição.

Cadastrar despesas dedutíveis

Por fim, quem deseja saber como economizar no imposto de renda deve ficar bastante atento à inclusão das despesas dedutíveis. Além das dicas que demos até aqui sobre seus investimentos, alguns gastos mensais também são passíveis de diminuição do IR.

Nesse ponto, é importante acompanhar os detalhes divulgados pela receita federal a cada ano. Isso porque as regras para restituir as despesas podem mudar ao longo do tempo — tanto em relação aos custos que podem ser cadastrados quanto ao valor da dedução.

Em geral, as despesas dedutíveis podem ser aquelas relacionadas a:

  • dependentes (filhos ou pais idosos, por exemplo);
  • pagamento de pensão alimentícia;
  • educação (no nível básico e superior);
  • saúde (exceto questões estéticas);
  • doações.

Os trabalhadores autônomos têm mais opções para reduzir o imposto de renda ou aumentar sua restituição: eles podem cadastrar as despesas do seu livro-caixa. É o caso de salários, obrigações trabalhistas e contas essenciais à sua atividade (como aluguel, água, luz, material de escritório, etc).

Vale lembrar que as dicas que demos para pagar menos IR devem ser usadas por quem faz a declaração completa do imposto. Aqueles que optam pela declaração simplificada terão aplicado um desconto padrão, calculado segundo critérios da receita federal. A escolha pelo tipo de declaração depende diretamente do perfil de cada pessoa.

Agora que já sabe como economizar no imposto de renda, veja por que vale a pena adiantar a declaração de IR!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *