4 minutes

Você sabe o que são países emergentes? Em síntese, os emergentes são aqueles que apresentam um grande potencial de desenvolvimento, mas que ainda precisam lidar com diversos obstáculos. Esse potencial está ligado à renda, nível de industrialização e ao Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do país em questão.

No entanto, não há uma metodologia de classificação bem definida. O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) — instituições ligadas à Organização das Nações Unidas (a ONU) — são livres para estabelecer os critérios que podem considerar — ou desconsiderar — um determinado país emergente.

Este post aborda o assunto com mais detalhes. Acompanhe a leitura e fique por dentro do tema!

O que são países emergentes?

Os países emergentes — também chamados de países em desenvolvimento ou semiperiféricos — referem-se a um grupo de países subdesenvolvidos, mas que apresentam boas expectativas de crescimento relacionadas aos aspectos econômicos e sociais.

Estudos realizados para estabelecer que países podem ser classificados como “em desenvolvimento” buscam considerar seu crescimento dentro de um setor específico, o quanto pode ser interessante para investimentos estrangeiros e o seu potencial para expandir o mercado interno.

Qual a importância dos países emergentes?

As principais características dos países emergentes fazem com que eles assumam uma importante posição na economia global. Uma delas está relacionada com a manutenção das relações comerciais. Como essas nações procuram outros países emergentes para estabelecer alianças, isso evita de centralizar as operações em países como os Estados Unidos.

Outra questão é a sua industrialização. Nesses países, a mão-de-obra custa menos. O baixo custo de produção atrai as multinacionais, gerando emprego e permitindo que esses países possam se desenvolver.

Quais os países emergentes ao redor do globo?

Existem países emergentes em todos os continentes. Podemos citar:

  • África — Marrocos, Nigéria, África do Sul;
  • América Latina — México, Brasil, Colômbia, Peru;
  • Ásia — China, Índia, Indonésia, Hong Kong;
  • Europa — Rússia, Turquia.

O que leva o Brasil a ser um país emergente?

Apesar de subdesenvolvido, o Brasil é um país industrializado, vinculado a um sistema capitalista e que há anos vem chamando a atenção de multinacionais dos mais variados setores devido a capacidade de mão-de-obra e recursos naturais que existem aqui.

Multinacionais são empresas cujas matrizes se localizam em um determinado país, mas atuam no mundo todo por meio das filiais. A instalação de uma filial em países em desenvolvimento é fundamental para garantir a geração de empregos e o desenvolvimento industrial  da localidade.

Embora o país tenha vivido algumas recessões desde 2001, ainda sim ele pode se tornar uma grande potência, já que os estudos consideram o quanto ele pode se desenvolver até 2050.

Quais as diferenças entre países desenvolvidos, subdesenvolvidos e emergentes?

Em relação ao nível de desenvolvimento de um país, são empregadas diversas classificações, como:

  • desenvolvidos;
  • em desenvolvimento ou emergentes;
  • subdesenvolvidos.

As principais diferenças entre esses níveis são:

Desenvolvidos

Classificação dada para países que apresentam níveis altos em riqueza, industrialização, desenvolvimento, Produto Interno Bruto (PIB), renda per capita e IDH.

Neste grupo, estão Austrália, Estados Unidos, Japão, Noruega e Suíça.

Em desenvolvimento

Os países em desenvolvimento ou emergentes, tratados nesse artigo, têm um ponto em comum: são ricos em recursos naturais e determinadas matérias-primas.

Ou seja, são grandes exportadores de matérias-primas. Além disso, como destacamos anteriormente, comportam a instalação de empresas multinacionais e apresentam uma capacidade de crescimento considerável devido à grande população.

A produção científica também é considerada. O Brasil, país subdesenvolvido e emergente, ocupa o 13º lugar na produção de pesquisas científicas em nível mundial, refletindo um aumento de 30% nas publicações em 5 anos.

Subdesenvolvidos

Países pouco industrializados, economicamente vulneráveis e com baixo IDH são classificados como subdesenvolvidos.

As principais características são o que os difere das nações que são consideradas como emergente são:

  • exportações e produções agrícolas instáveis;
  • indicadores baixos, considerando saúde, educação e nutrição;
  • população que se desloca com frequência, como o que aconteceu no Haiti;
  • produção científica quase inexistente;
  • produto interno bruto (PIB) per capita abaixo de 750 dólares.

Perceba que, embora os países emergentes também sejam considerados subdesenvolvidos, apresentam um cenário positivo em relação a esses indicadores.

Por que alguns países não se desenvolveram?

A diferença entre países desenvolvidos e subdesenvolvidos não englobam apenas os fatores econômicos. Há aspectos históricos, características físicas e recursos naturais que influenciam no desenvolvimento de uma nação:

  • colonização;
  • crescimento demográfico elevado e desproporcional a produção de alimentos;
  • divida externa;
  • falta de saneamento básico, atendimento de saúde precário, deficiências no sistema educacional;
  • guerras civis;
  • pressão dos países ricos para a baixa de impostos na exportação;
  • tecnologia obsoleta.

Para se ter uma ideia de como esses fatores influenciam, enquanto o Brasil foi uma colônia de exploração, os Estados Unidos eram usados como colônia de povoamento. E, embora as guerras sejam fatores que bloqueiam o desenvolvimento de alguns países, elas foram fundamentais para o crescimento do país norte-americano. Por exemplo, após a Independência, norte e sul guerrearam.

De um lado, estava o Estados Unidos desenvolvido. De outro, uma região escravocrata. No entanto, após a vitória do norte, houve um trabalho conjunto para que a economia pudesse se recuperar e o país se desenvolvesse como um todo — o que enxergamos acontecer em um modo bem mais lento no Brasil.

Assim, unindo um cenário favorável, aliados certos  e medidas de crescimento adequadas, o país norte-americano se desenvolveu e se transformou em uma potência mundial.

O que é o BRICS?

Quando falamos em países emergentes precisamos citar os BRICS.

BRICS é a sigla referente aos países Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Juntos, representam:

  • 18% do comércio mundial;
  • 23% do PIB;
  • 30% do território;
  • 42% da população.

A abreviação foi criada pelo economista Jim O’Neill no início da década de 2000, com o objetivo de sinalizar os países com potencial de crescimento e desenvolvimento até 2050. Por esse motivo, não se trata de um bloco econômico.

Anos depois, surgiu o MIST, que faz referência ao México, Indonésia, Coreia do Sul e Turquia. O novo grupo está logo atrás do BRICS.

Não é incomum que os países emergentes sejam relacionados há algo ruim. Mas, como você pôde perceber ao longo do texto, a realidade é que essas nações têm potencial para apresentar um crescimento cada vez mais expressivo ao longo dos anos. Por isso, vale a pena conhecê-las.

Quer continuar aprendendo? Aproveite para conhecer como os Estados Unidos se tornou a maior potência mundial.

Share.

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Leave A Reply