Quem trabalha com registro em carteira profissional sabe muito bem que tem direito a férias remuneradas. Apesar de estar descrito na CLT, muitos não sabem como funciona o pagamento das férias na prática.

Inclusive, é comum ver pessoas se atrapalhando nas finanças porque fazem dívidas e não sabem o quanto irão receber, de fato, nesse período.

Afinal, como ocorre o pagamento das férias e como utilizar esse dinheiro de forma eficiente? Continue a leitura do artigo, entenda mais sobre esse dinheiro e saiba utilizá-lo com sabedoria!

Acompanhe!

O que é o pagamento das férias?

As férias são um direito do trabalhador assegurado na Constituição da República. A cada 12 meses de trabalho, o empregado terá esse direito, que é de até 30 dias.

Esses dias de folga são remunerados, e quem dá a palavra final sobre o momento em que o empregado irá tirar férias é o empregador. O pagamento se dá em conformidade com as regras definidas na legislação trabalhista.

Como deve ser feito o pagamento das férias?

A maior dúvida geralmente ocorre em relação a como e quando é feito esse pagamento. O salário das férias deve ser efetuado ao empregado até dois dias antes do início do período de descanso.

O artigo que determina o pagamento do terço constitucional de férias é o 145 da CLT. O prazo para pagamento das férias é esse mas, na prática, há patrões que atrasam esse pagamento.

Recentemente, o Tribunal Regional do Trabalho da Quarta Região (TRT-4) decidiu que o pagamento de férias atrasado gera o direito de receber esse benefício em dobro. Ocorre que muitos trabalhadores saíam de férias e quando abriam suas contas bancárias para verificar, constatavam que o benefício não tinha sido depositado, o que atrapalhava todos os seus planos de descanso.

Por isso, os desembargadores declararam que de fato esse atraso deve ser punido. Caso isso ocorra com você, avise seu chefe ou supervisor de que o salário do benefício não foi depositado e cobre providências.

O que se recebe quando sai de férias?

As pessoas acabam se atrapalhando no cálculo porque o que elas recebem não é simplesmente um salário a mais. Por exemplo, se uma pessoa recebeu R$1.000,00 de salário nos 12 meses, ela vai receber esses R$1.000,00 acrescido de um terço desse valor. Logo, o valor bruto das férias ficaria em R$1333,33.

Isso seria o quanto o empregador deve pagar pelas férias, mas você vai receber mais do que isso, em geral. Parte do valor a ser creditado ao empregado é o adiantamento do salário que receberia no mês seguinte, na época regular.

Por exemplo, se um trabalhador resolve pegar suas férias em maio, receberá ainda em abril – até dois dias antes do gozo das férias – o salário do período trabalhado, o salário de férias e mais um terço do valor deste último.

Assim, durante o mês de maio, o empregado estará gozando suas férias retornando ao trabalho no início de junho. Nesse momento ele não irá receber o salário referente ao mês de maio porque o valor foi adiantado e não esteve laborando, efetivamente, durante esse período. Por isso, é preciso cautela quando for utilizar a quantia recebida nesta etapa.

E como funciona o pagamento depois das férias? O salário volta a ser pago normalmente. No exemplo dado acima, o trabalhador voltará a receber seu salário como nos outros meses de trabalho, referente aos dias trabalhados durante todo o mês de junho.

Férias fracionadas

E como fica o caso das férias fracionadas? Na prática, grande maioria pega férias em frações, que pode ser em até 3 períodos de 10 dias. Ainda, há a possibilidade de vender uma parte das férias. Nesse caso, confira como ficaria o pagamento acessando este link.

Como usar o dinheiro das férias de forma inteligente?

Muitas pessoas acabam se surpreendendo com o valor que recebem quando saem de férias, que geralmente é muito superior ao salário regularmente pago. Assim, acabam gastando mais do que deviam e se prejudicam financeiramente nos meses seguintes.

É bastante comum ver pessoas tecendo críticas na volta das férias por considerarem que sempre ficam “sem dinheiro”, mas fato é que o salário foi realmente mal gerenciado. De forma geral, o brasileiro emprega mal seu salário, e com o pagamento das férias não é diferente.

Mas então, como utilizá-lo com sabedoria? Confira essas dicas para não cometer excessos e evitar ficar no prejuízo.

1. Guarde um salário para viver durante o mês seguinte

Independentemente do que você pretende fazer, seja viajar, ficar em casa ou outro programa, evite despender tudo o que entrar na sua conta quando for curtir seu descanso merecido. Guarde o valor que corresponde ao mês seguinte para pagar as contas e evitar o acúmulo de dívidas, bem como o gasto extra com juros e multas por atraso.

2. Não faça dívidas

Existem aqueles que tomam decisões terríveis como aproveitar o valor extra das férias para começar uma nova dívida, ou seja, utilizar na entrada do pagamento de um imóvel novo que será financiado ou em outros produtos de consumo nominalmente mais caros, como automóveis. De maneira nenhuma faça isso!

Utilize o dinheiro para compras pequenas ou fazer programas para descansar e se divertir, como uma viagem curta, um passeio ou atividades na sua cidade mesmo. Aproveite para passear e praticar atividades gratuitas que geralmente você não tem tempo de fazer, como visitar museus, passear em um parque, etc.

Pretende viajar nas suas férias? Então confira alguns artigos que podem lhe ajudar:

3. Use o dinheiro com inteligência

Como dito, o dinheiro deve ser usado para o seu bem-estar e para o descanso. Assim, escolha atividades que lhe façam bem mas que caibam no seu orçamento! O salário das férias não pode ser utilizado de forma desmedida.

Apesar de você não estar no trabalho, o que pode lhe fazer economizar com despesas de transporte e alimentação na rua, por exemplo, lembre-se que suas contas de casa ainda estarão lá! Por isso, tenha muita cautela e utilize seu dinheiro de forma consciente.

Aproveite o tempo de descanso e estude sobre educação financeira, pois esse conhecimento lhe ajudará a cuidar do seu dinheiro para o resto da sua vida.

Não há segredos para utilizar o pagamento das férias de forma eficiente. Basicamente, faz-se necessário resguardar o valor correspondente a um salário regular, utilizando durante o mês de férias o salário recebido juntamente com o terço constitucional.

Lembre-se que as contas do mês não param de vir só porque você está de férias, mas segurando a mão nos gastos e fazendo atividades que caibam no seu bolso, você conseguirá aproveitar suas férias de forma interessante e não ficará prejudicado financeiramente nos meses seguintes.

Que tal assinar nossa newsletter para receber conteúdos incríveis? Assim você vai ter acesso a conteúdos para aprender a cuidar melhor do seu dinheiro!

Então vamos lá! Assine e junte-se a nós!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Comentários

  1. César    

    Boa noite direito ao assunto pois sou leigo no assunto devido ao quadro que nos encontramos a empresa que trabalho me deu 17 dias de férias meu salário bruto é de 1.436 recebo todo quinto dia útil do mês hoje sendo dia 01/05/20 recebi o total de 791 não entendi isso está correto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *