Você sabia que o seu relacionamento com um banco ou instituição financeira não precisa se manter para sempre? Desde 2013, existe no Brasil a possibilidade de fazer portabilidade de crédito, transferindo uma dívida de uma instituição para outra.

A portabilidade pode ser uma boa opção para rever a taxa de juros que você paga. Além disso, é possível encontrar um melhor atendimento às suas necessidades em um banco diferente do que você já conhece. Então, que tal conhecer mais detalhes sobre esse serviço?

Continue a leitura do post e saiba mais!

O que é a portabilidade de crédito?

Portabilidade diz respeito à transferência de algo. Quem faz portabilidade de celular, por exemplo, consegue manter seu número enquanto muda de operadora. A vantagem dessa atitude é aproveitar facilidades que não se tinha na antiga empresa de telefonia.

A portabilidade de crédito funciona mais ou menos assim, mas se refere a um serviço bancário. Ou seja, você pode transferir um empréstimo, financiamento e outros produtos desse tipo. Assim, deixa o contrato com o banco atual e passa a fazer os pagamentos para outra instituição.

Por esse motivo, a portabilidade de crédito pode ser chamada também de transferência de dívida. Ela é regulamentada pelo Banco Central do Brasil e pode ser feita tanto por pessoas físicas quanto por empresas.

Geralmente, o principal motivo para as pessoas optarem por essa transferência é a busca por menores taxas de juros. Desde que a portabilidade virou uma opção, os bancos estão mais competitivos e, muitas vezes, oferecem taxas diferenciadas para quem vem de outra instituição.

Como ela funciona?

Conseguir a portabilidade de crédito é relativamente simples. Basta que você pesquise as taxas que deseja em diversos bancos e veja qual é a que mais lhe interessa. Essa etapa, correspondente à escolha da nova instituição, depende de você.

Ao encontrar um banco que lhe agrada, é hora de procurar sua atual instituição e informá-la do interesse em fazer a portabilidade. Todos os bancos são obrigados a receber esse tipo de pedido e dar encaminhamento a ele.

Isso significa que a troca de crédito não depende da autorização do banco com o qual você se relaciona atualmente. Caso haja recusa por parte dos funcionários, é seu direito registrar uma reclamação no Banco Central e buscar a solução para esse problema.

Uma vez que a portabilidade dê certo, acontecerá o seguinte: o banco com o qual você fechou contrato vai pagar todo o seu saldo devedor com a instituição anterior. Então, seus pagamentos passam a ser destinados ao novo banco — como se ele tivesse lhe emprestado o dinheiro para quitar a dívida.

O que é preciso para solicitar a portabilidade?

Quando você for procurar um banco para receber sua dívida, será preciso ter algumas informações básicas. As mais importantes são o valor total da dívida e o prazo de pagamento. Assim, a instituição vai poder lhe dizer quais são as condições que ela oferece.

Para realizar a portabilidade, são necessárias mais informações sobre o seu contrato com o banco atual. Além do que já falamos, vão lhe solicitar o número do contrato, o demonstrativo de evolução do saldo devedor e a modalidade de crédito.

É preciso, ainda, informar o valor de cada parcela, a quantidade de prestações que restam e a data do último vencimento. Todos esses dados devem ser passados facilmente pelo seu banco atual – se houver problema para isso, é possível registrar uma reclamação.

Depois de entregar tudo isso à instituição, ela irá lhe informar sobre as novas condições de pagamento para que possam fechar contrato de portabilidade. Depois que ele for assinado, você não precisa negociar com a instituição atual — os próprios bancos vão resolver as pendências entre si.

Quando é possível realizar a portabilidade?

Como falamos, a portabilidade de crédito pode ser solicitada tanto por pessoas físicas quanto por pessoas jurídicas. E você pode optar por ela a qualquer momento. Não existem restrições em relação a esse processo.

O único requisito é encontrar um banco que aceite a transferência do seu crédito. Com isso garantido, basta solicitar o serviço e esperar tudo se resolver.

Em geral, o prazo de pagamento se mantém o mesmo da dívida anterior — por exemplo, quem tem um financiamento em que faltam 5 anos para a quitação, vai continuar com esse prazo.

Como escolher um novo banco?

Na hora de fazer a portabilidade de crédito há um cuidado muito importante: a escolha da nova instituição. O melhor caminho para isso é realizar diversas pesquisas e comparar as condições de pagamento — principalmente relacionadas à taxa de juros.

Faça as comparações baseadas no valor total da dívida e nas taxas cobradas pelas instituições. Depois de fazer todos os cálculos necessários, você vai poder saber qual é a melhor opção. Não esqueça de tentar negociar abatimentos.

Lembre-se de analisar também o seu orçamento antes de fechar contrato. Se as características do pagamento mudarem muito (por exemplo, com parcelas ficando bem mais altas), isso pode desequilibrar suas finanças. Então, é fundamental se planejar para as mudanças.

É interessante destacar uma possibilidade: o seu banco atual pode ter interesse em cobrir a oferta do concorrente para continuar lhe prestando o serviço. Nesse caso, é interessante pesquisar várias condições em outros locais e usar essas informações para negociar.

Como evitar problemas?

Podem existem algumas divergências de informação em relação à portabilidade de crédito. Em primeiro lugar, saiba que não é comum os bancos cobrarem tarifas para fazer esse serviço. Se isso acontecer, desconfie.

Para quem não é cliente ainda, o banco pode colocar como requisito a abertura de uma conta-corrente. Isso pode ser necessário para começar seu relacionamento com a instituição, mas há alternativas para não pagar tarifas — como abrir uma conta com pacote de serviços essenciais.

Entretanto, fique atento se ocorrerem tentativas de exigências ou imposições exageradas. O banco não pode lhe obrigar, por exemplo, a contratar algum tipo de seguro ou outro serviço para que a portabilidade aconteça.

Da mesma forma, a instituição de onde você retirar a dívida não pode aplicar nenhum tipo de sanção, como cancelar sua conta ou retirar algum benefício. Por fim, você pode procurar o Banco Central para esclarecer qualquer dúvida ou denunciar práticas abusivas.

Isto é tudo o que você precisa saber sobre portabilidade de crédito. Avalie se essa é uma boa opção para o seu caso e procure sempre as melhores condições. Assim, é possível aliviar o seu bolso e transferir sua dívida para pagar menos!

E então, o que achou deste post? Deixe seu comentário logo abaixo! E não deixe de assinar nossa newsletter!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *