Decidir ter o seu próprio espaço quando surge esse desejo ou necessidade é um grande passo. Entre diversas decisões sobre o novo lugar e a nova rotina, surge uma dúvida urgente: qual é o custo de morar sozinho?

Sim, nem só de realização de sonhos se traduz esse momento. Também é preciso muita informação e organização financeira para levantar todos os gastos futuros e se preparar para eles da melhor forma. Afinal, decidir dar esse passo sem ter as condições para isso pode gerar inúmeros problemas e muito sofrimento.

Então, que tal descobrir qual é o custo de morar sozinho e conferir nossas dicas e para sentir mais seguro nesta nova etapa de vida? Continue a leitura!

Descubra o custo de morar sozinho

Vamos começar dando uma ideia dos principais gastos que surgem quando alguém decide parar de dividir um imóvel com outras pessoas. Acompanhe!

Gastos com a mudança

Antes mesmo de pensar no seu orçamento mensal quando morar sozinho, é preciso fazer um levantamento do quanto vai custar se mudar. Sair de um apartamento ou casa que já está mobiliada gera gastos relevantes com a compra de móveis e eletrodomésticos.

Além disso, o próprio processo de mudança tem um custo. Afinal, será preciso contratar o serviço de frete, caso você tenha objetos maiores para levar. Logo, o primeiro passo para morar sozinho é fazer uma lista do que será preciso pagar nessa etapa inicial.

Aluguel ou parcela do imóvel

Depois dos custos com a mudança em si, precisamos pensar no espaço para onde você está indo. Será um móvel seu ou alugado? Independentemente da opção, considere os custos dessa moradia no seu novo orçamento.

Esse será, provavelmente, um dos maiores gastos mensais a serem incluídos no planejamento financeiro. Se a sua escolha for alugar um apartamento ou casa, lembre-se de procurar um local que apresente bom custo-benefício e caiba no seu bolso.

Contas fixas

Juntamente com o valor do aluguel ou da parcela do seu imóvel, é preciso listar as contas que farão parte da sua rotina morando sozinha. Dessa forma, você conseguirá ter um esboço de um orçamento futuro e avaliar se está em condições de tomar essa decisão agora.

As contas básicas de um orçamento doméstico envolvem despesas com água, luz, compras no mercado, internet, transporte e gás. Em alguns casos, também é preciso inserir taxas com condomínio e IPTU. Os custos que citamos aqui podem ser muito variados, a depender do seu estilo de vida.

O ideal é avaliar as contas da sua casa hoje e fazer uma projeção de como seria se você morasse sozinho. Depois disso, é importante considerar um valor a mais. Afinal, é melhor ter uma folga no planejamento e sobrar dinheiro do que faltar, certo?

Estilo de vida

Por fim, considerações sobre o seu padrão de vida também compõem o custo de morar sozinho. Por mais que isso passe pela cabeça de algumas pessoas, é impossível viver com satisfação apenas pagando as contas básicas. Todos nós temos necessidades ligadas ao nosso estilo de vida.

Estamos falando dos gastos relacionados às compras do dia a dia, às saídas com amigos, jantares em restaurantes, idas ao cinema e outras formas de entretenimento. Desconsiderar isso pode trazer não só desequilíbrio financeiro, mas também muito estresse para sua vida.

Portanto, procure incluir na sua projeção de orçamento os gastos que você costuma fazer no seu cotidiano atual. É o caso de assinatura de TV a cabo, aquisição de produtos tecnológicos, pedidos de comida por delivery e outros pequenos “luxos”.

Pode ser uma boa ideia economizar em alguns desses elementos, mas não é possível cortá-los completamente.

Saiba a importância da organização financeira

Morar sozinho não é apenas um grande passo pessoal, mas também financeiro. Pensando nisso, o mais indicado é só tomar essa decisão depois de se organizar de maneira eficiente. Isto é, ter um planejamento das finanças que comporte os seus gastos de uma vida independente.

A ideia não é desistir ou adiar muito o seu plano de ter o próprio espaço. Na verdade, a atenção com esse aspecto cumpre o objetivo de garantir que o seu sonho seja vivido com mais segurança e felicidade — já que enfrentar problemas financeiros nunca é uma experiência positiva.

Então, como se organizar para morar sozinho? O primeiro requisito é conhecer os custos envolvidos nesse plano, o que você já está fazendo.

Depois disso, chega a hora de avaliar as suas finanças e observar o que pode melhorar nelas para tornar mais fácil a conquista da sua independência.

Uma dica importante é ter controle do orçamento. Conheça as suas receitas e despesas e desenvolva o hábito de anotar todos os seus gastos diários. Assim, você sempre terá informações sobre o que acontece com o seu dinheiro ao longo do mês e será muito mais fácil se planejar.

Outro elemento que indicamos para quem deseja morar sozinho é poupar um valor mensalmente para custear os gastos iniciais com a mudança e a necessidade de mobiliar a casa. Pesquisar bastante os preços e economizar nessas compras também são dicas valiosas.

Monte uma reserva de emergência

Além de ter mais contas para pagar, quem escolhe morar sozinho também deve saber que estará mais exposto em caso de emergência. Afinal, se algo acontecer com a sua renda ou se surgirem gastos imprevistos em relação ao imóvel, você não terá com quem dividir o problema.

Diante disso, chegamos a um conceito fundamental na vida de qualquer pessoa: a reserva de emergência. Ela consiste em um dinheiro que você mantenha para cobrir imprevistos.

Conservando esse valor em um local seguro, é possível contar com ele em urgências e evitar o endividamento ou até mesmo a necessidade de voltar a morar com alguém.

Pense bem: o que você faria em relação aos seus gastos se estivesse morando sozinho e perdesse o emprego? Sem uma reserva de emergência, essa situação seria muito complicada.

Mas, quem tem essa quantia guardada, está mais seguro para manter o padrão de vida enquanto recupera suas finanças. Muito bom, não é mesmo?

A liberdade de viver por conta própria traz também diversas responsabilidades, mas esse não precisa ser um aspecto negativo. Quando você sabe qual é o custo de morar sozinho e se prepara para viver essa fase, com certeza fica mais fácil aproveitar bastante a nova etapa da vida!

Quer começar sua reserva de emergência agora mesmo? Então saiba onde investir esse dinheiro!

Como fazer seu dinheiro trabalhar para você?

Aprender a investir melhor seu dinheiro e tomar boas decisões de investimentos, de acordo com seu planejamento pessoal, é a única maneira de fazer seu dinheiro trabalhar para você e de conquistar todos os seus objetivos financeiros.

Quer acelerar a conquista da sua liberdade financeira? Então clique aqui e saiba como fazer o seu dinheiro trabalhar para você agora!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

shadow

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *