Na renda variável, as ações são um dos ativos mais lembrados entre os investidores. Mas elas podem ser bem diferentes entre si. Logo, é importante buscar informações. Você sabe, por exemplo, como o valor de mercado das empresas pode afetar suas decisões nessa área?

Ele serve para distinguir algumas categorias de ativos: small, mid e large caps. O conceito é importante para adequar as suas escolhas de acordo com o perfil de investidor e objetivos. Assim, saber o que ele é e como calculá-lo é fundamental.

Quer aprender mais sobre o assunto? Neste conteúdo você conhecerá o que é o valor de mercado e as diferenças entre suas divisões. Continue a leitura e se informe!

Qual é o conceito de valor de mercado?

O valor de mercado é um cálculo para saber o valor estimado de uma empresa. Também chamado de capitalização, com ele é possível saber quanto uma empresa vale pelo preço de negociação na bolsa.

Para calculá-lo é preciso multiplicar a cotação da ação de uma empresa pelo número de papéis emitidos. Essa é uma questão importante para as companhias, que têm seu valor de mercado oscilando de acordo com a lei de oferta e demanda.

Se você quiser conseguir informações sobre o valor de mercado de um negócio, basta acessar o site da B3. Lá é possível encontrar a indicação o dado de cada empresa listada. A tabela é atualizada mensalmente, então também é possível analisar as suas variações.

Por que ele é importante para os investidores?

O valor de mercado de uma empresa é uma informação importante para o investidor. Ao avaliar essa e outras informações é possível definir o que você espera do investimento. A capitalização é um indicativo que pode demonstrar diferenças nos riscos, na volatilidade e na liquidez.

Isso porque empresas mais sólidas e com alto valor de mercado costumam ter uma variação menor em suas cotações. Não significa que elas não sofrem oscilações. Afinal ainda estamos falando da renda variável.

Contudo, de maneira geral, as empresas que possuem um valor de mercado mais baixo são mais voláteis. Ao mesmo tempo, costumam apresentar maior potencial de valorização — o que atrai alguns investidores.

Na sua análise, também vale ficar atento para o fato de que o valor de mercado é influenciado por diversos fatores, que alteram a cotação das ações. Por exemplo, questões macroeconômicas como taxa de juros, câmbio e políticas financeiras afetam a capitalização.

Quando o investidor acompanha esses números, consegue identificar tendências e padrões nessas variações. Isso pode ser usado para basear investimentos de longo prazo ou até mesmo especulação.

Como funciona a classificação de empresas por valor de mercado?

No mercado financeiro existe uma classificação conforme o valor de mercado das empresas. Como você viu, elas podem ser small, mid ou large caps. Primeiro é importante entender que não há uma regra definitiva para distinguir essas classificações.

Ainda que seja considerada a capitalização, não existe um consenso em relação ao limite de valores entre as classificações. Além disso, em muitos casos não é considerado somente o valor de mercado, mas também outros detalhes dos papéis.

A seguir você entenderá como elas funcionam e suas características:

Small caps

As small caps são as empresas com menor valor de mercado. As suas ações também são chamadas de terceira linha, pois vêm abaixo das mid e large caps. Contudo, isso não significa que elas não são boas empresas.

Lembre-se que, de forma geral, as empresas menores têm mais potencial de crescimento. Como são empresas em desenvolvimento, com menos participação no mercado, há muito espaço para investimentos e inovações. Claro, acompanhado de maiores riscos.

Apesar de não haver uma definição concreta, geralmente seu valor de mercado é de até R$ 2 bilhões. Contudo, é preciso considerar outros fatores para o enquadramento das small caps.

Além do potencial de valorização, um atrativo para os investidores também é o seu preço. A cotação do papel costuma ser mais acessível. Mas é preciso ter cuidado. Muitas vezes é difícil precificar essas ações, tendo em vista o tamanho e a idade da empresa.

Mid caps

As mid caps são as ações de segunda categoria. Desse modo, elas estão um patamar acima das small caps.  As empresas assim consideradas possuem um valor de mercado entre R$ 2 bilhões e R$ 10 bilhões.

Uma das diferenças em relação às small caps é a liquidez dos papéis. Por serem de empresas um pouco maiores, as ações costumam ter uma facilidade maior para a venda. Entretanto, o potencial de valorização pode ser menor que as anteriores, apesar de ainda poder ser atrativo.

Large caps

Por fim, as large caps, também conhecidas como blue chips, são as empresas com o maior valor de mercado. Chamadas de primeira linha, elas geralmente são aquelas que possuem uma capitalização maior do que R$ 10 bilhões.

Por serem grandes companhias, costumam ter mais solidez. Logo, muitos investidores aportam dinheiro para o longo prazo — inclusive, focando em dividendos. A ideia é usufruir de uma valorização constante e menores riscos quando comparada às outras opções.

Como acompanhar o desempenho das empresas?

Cada classificação de valor de mercado apresenta particularidades em relação às outras. Assim, os resultados das small caps, por exemplo, podem ser bem diferentes das large caps. Então, como acompanhar cada grupo?

O mercado apresenta índices que medem o desempenho das suas ações em diferentes classificações. Para acompanhar small caps, há o SMLL. Ele é divulgado periodicamente e considera uma carteira teórica com as ações assim classificadas.

Já os mid caps podem ser acompanhados pelo índice MidLarge Cap (MLCX). Contudo, ele considera também as ações de primeira linha em sua composição de carteira. Então, é preciso verificar quais papéis estão incluídos nesse indicador.

Por fim, as large caps podem ser acompanhadas pelo índice acima ou também pelo Ibovespa (IBOV). Ele é um indicador muito conhecido, pois considera as ações mais negociadas na bolsa brasileira, tornando-se um termômetro do mercado.

Agora você já sabe o que é o valor de mercado e quais são as classificações existentes na bolsa. Lembre-se que não há uma definição exata para cada um deles, mas é fundamental saber suas características. Afinal, elas podem influenciar nas suas decisões!

Quer saber como você pode acompanhar os índices nos seus investimentos? Conheça nosso conteúdo sobre os ETFs!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *