Quem tem o objetivo de obter uma renda passiva costuma se perguntar como encontrar as melhores pagadoras de dividendos da bolsa. Você também tem essa dúvida? Entender o assunto e como funcionam os pagamentos é fundamental para suas escolhas.

Além disso, é preciso saber o que exatamente são os dividendos e quais as vantagens de recebê-los. Dessa forma, você poderá avaliar se essa estratégia de investimentos é adequada para o seu portfólio e para seus objetivos.

A seguir você aprenderá mais sobre dividendos e como escolher boas empresas. Confira!

O que são dividendos?

Antes de entender como encontrar as melhores pagadoras de dividendos, é preciso saber o que é, realmente, esse conceito. Ao investir em uma empresa por meio de compra de ações, o investidor torna-se um sócio de negócio, certo?

Com isso, ele tem o direito de participar dos resultados obtidos pela empresa enquanto acionista — e também assume os riscos dela. Logo, se a companhia aumenta seu valor de mercado por meio de resultados positivos, os seus papéis valorizam proporcionalmente.

Por outro lado, se há desvalorização do negócio, há queda no preço das ações. Ademais, como sócio da companhia, o investidor também tem direito a receber parte dos lucros. No mercado financeiro, essa divisão de resultados se dá por meio dos proventos.

Entre os proventos que podem ser distribuídos aos acionistas estão os dividendos. Eles são pagos em dinheiro de forma periódica, conforme o lucro obtido pela empresa naquele período. As regras de pagamento são definidas pela própria companhia e registradas no seu estatuto social.

Nesse cenário, a Lei n.º 6.404 de 1976 define a obrigatoriedade desse pagamento. Assim, as empresas devem estabelecer no estatuto a porcentagem e a frequência de distribuição.

Por que tantos investidores focam nos dividendos?

Agora que você já sabe o que são os dividendos, deve entender por que tantos investidores focam nessa estratégia. Para muitas pessoas, vale a pena investir pensando no recebimento de proventos das ações como renda passiva.

Para compreender o cenário, é fundamental conhecer os conceitos de renda ativa e renda passiva. A primeira é a mais comum e se define como aquela em que os rendimentos são derivados da força de trabalho.

Ou seja, a renda ativa é gerada pelo seu labor, seja ele de carteira assinada, como autônomo ou empresário. Você vende o seu esforço e recebe uma contraprestação por ele — ou seja, a renda. Logo, é preciso continuar utilizando a força de trabalho para receber os rendimentos.

Por outro lado, a renda passiva é aquela em que a remuneração não vem diretamente do trabalho. Exemplos comuns aqui são os aluguéis, direitos autorais e, claro, os dividendos. Assim, uma das fontes pode ser o investimento — como juros e proventos recebidos de um capital aportado.

Pensando nisso, o objetivo de muitos investidores é alcançar a independência financeira, um patamar que o permite viver de renda passiva. Ao chegar até ele, é possível parar de trabalhar e continuar mantendo o padrão de vida com dividendos, por exemplo.

Enquanto esse período não chega, é possível utilizar os dividendos para complementar a renda ativa, utilizá-los para reinvestimento, aumento de patrimônio e outros objetivos. Logo, eles são uma parte importante das estratégias de muitos investidores.

Como encontrar as melhores pagadoras de dividendos?

Você já percebeu que o investimento para recebimento de dividendos pode ser uma estratégia interessante. Mas como saber quais empresas são boas pagadoras de dividendos?

A seguir, veja alguns pontos que você deve se atentar na hora de escolher seus aportes!

Estágio e setor do negócio

Uma empresa passa por diversos estágios desde a sua abertura, e cada um deles determina certos fatores sobre o negócio. Ao iniciar suas atividades, a companhia precisa conquistar clientes, espaço no mercado e gerar lucro.

Para isso, é fundamental que ela faça reinvestimentos constantes para impulsionar o crescimento. Assim, nesse momento a maior parte do seu lucro serve para financiar a expansão e conquista de parcela no mercado.

Logo, a distribuição de dividendos não é tão presente. Ela se torna maior quando a empresa já está consolidada e há uma diminuição na busca por crescimento. Isso é natural, tendo em vista que a conquista de novos clientes e espaço de mercado serão proporcionalmente menores.

Além disso, existem alguns setores que são conhecidos por não demandar tanto reinvestimento. Por exemplo, os segmentos energético e bancário. Eles não costumam envolver a necessidade de investimento frequente em estrutura — como acontece com empresas de tecnologia.

Dividend yield

O dividend yield (DY) é um indicador que demonstra a divisão entre os dividendos pagos e o preço de uma ação. Então, quanto maior é o DY, maiores podem ser os ganhos com dividendos em relação à cotação do papel.

Com isso, o indicador pode ser utilizado como uma métrica de comparação entre diversas empresas. Desse modo, você verá quais retornaram mais dividendos proporcionalmente ao preço pago por seus papéis.

Dividend Payout

O dividend payout é outro indicador que pode ser utilizado para identificar empresas com bons pagamentos de dividendos. Ele representa o percentual de lucro líquido destinado à divisão aos acionistas.

Dessa forma, o dividend payout serve para que o investidor identifique aquelas empresas que distribuem boa parte dos lucros. Geralmente, as companhias que destinam mais da metade dos ganhos são consideradas mais consolidadas.

Contudo, não há uma fórmula exata para determinar um bom payout. Nesse sentido, o montante de lucro líquido e sua constância também devem ser considerados. Afinal, não basta a empresa distribuir grande parte dos ganhos, se eles não são consideráveis ou não ocorrem com frequência.

Histórico de pagamentos

Quem quer encontrar as melhores pagadoras de dividendos da bolsa não pode se esquecer de analisar o histórico de pagamentos. Afinal, bons indicadores agora podem não ter sido consistentes nos últimos anos.

Periodicamente as empresas e os analistas de investimentos publicam relatórios sobre os resultados das companhias. Esses relatórios costumam conter um histórico de cotação da ação, suas variações e quanto foi pago de dividendos aos acionistas.

Então, o investidor consegue avaliar esses números e identificar se, no passado, houve bons pagamentos. Entretanto, vale lembrar que o histórico não garante resultados futuros. Dessa maneira, ele também não deve ser utilizado isoladamente para a tomada de decisão.

Entendeu como encontrar as melhores pagadoras de dividendos da bolsa? Lembre-se que as suas decisões de investimentos devem ser baseadas no perfil de investidor e objetivos. Assim é possível encontrar as opções que fazem sentido para a sua carteira!

Quer conhecer mais maneiras de obter renda passiva? Então acompanhe o nosso conteúdo com 8 alternativas!

Autor

Equipe André Bona

O Portal André Bona é um site de educação financeira independente, que tem como missão auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender o mercado financeiro e seus produtos. Assine nossa newsletter!

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *